Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/25753
Title: Grupo estratégico de promoção da saúde: uma pesquisa participativa sobre a autonomia de pessoas vivendo com diabetes
Authors: Silva, José Adailton da
Keywords: Autonomia pessoal;Pesquisa qualitativa;Doença crônica;Diabetes Mellitus;Processos grupais
Issue Date: 26-Jun-2018
Citation: SILVA, José Adailton da. Grupo estratégico de promoção da saúde: uma pesquisa participativa sobre a autonomia de pessoas vivendo com diabetes. 2018. 218f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: A diabetes exige mudanças na vida de quem adoece, em especial, requer a adoção de hábitos de vida saudáveis, atividade física regular e até a autoadministração de medicamentos. Por vezes, exige certo autocontrole que requer a capacidade de reconhecer opções e tomar decisões, ou seja, é necessário o exercício da autonomia pessoal. A importância da discussão sobre autonomia parte do respeito pelas escolhas das pessoas, mesmo diante de situações limitadoras e, deste modo, trabalhar a autonomia nas doenças crônicas ainda é bastante desafiador. Este estudo teve como objetivo compor estratégias de promoção da saúde que estimulem a autonomia nos modos de cuidar da saúde e de lidar com a diabetes, a partir da implantação de um Grupo Estratégico de Promoção da Saúde. Trata-se de pesquisa do tipo participativa, com abordagem qualitativa, apoiada na reflexividade. Foi constituído um grupo composto por dezesseis pessoas diagnosticadas com diabetes para discutir temáticas diversas, definidas e pactuadas com as participantes. A análise das narrativas produzidas nesses encontros resultou em três eixos temáticos, a saber: a) Reconhecer a diabetes; b) Conviver com a diabetes e c) Exercitando a autonomia e o protagonismo. Estes eixos compuseram três sínteses textuais, as quais foram apreciadas e validadas pelas participantes em outros três encontros. Dessas sínteses, desdobrou-se o exercício interpretativo. Os resultados obtidos mostram as experiências das pessoas participantes em relação ao impacto do diagnóstico da diabetes, o que provocou um momento de instabilidade no reconhecimento de seus modos de cuidar da própria saúde e implicou a adoção de novos significados para seus hábitos de vida. O reconhecimento da condição crônica transforma diretamente o modo como elas passam a conviver com a diabetes, a partir de suas diversas estratégias pessoais de autocontrole, autocuidado e adaptação. Compartilhar as experiências facilita o reconhecimento de escolhas possíveis ao próprio sujeito, estimulando sua autonomia e seu protagonismo. O cuidado compartilhado, em um processo de cogestão, é fundamental para a longitudinalidade do cuidado a diabetes. Entre as conclusões do estudo, ressalta-se que o Grupo Estratégico de Promoção da Saúde amplia as possibilidades de cuidado de si e provoca reflexões sobre o trabalho em saúde e as práticas de promoção da saúde, como uma ferramenta importante para a gestão do cuidado na cogestão de coletivos. As estratégias grupais, quando direcionadas para a autonomia dos sujeitos, fortalecem a Atenção Primária à Saúde e possibilitam o alcance de seus atributos essenciais.
Abstract: Diabetes requires changes in the lives of those who become diagnosed with it, requiring healthy living habits, regular physical activity and even self-administration of medications. Sometimes, it requires a certain self-control that involves the ability to recognize options and make decisions: in this sense, the exercise of personal autonomy is necessary. Discussion on autonomy pays attention to the respect for people's choices, even in the face of restraining situations. Certainly, working with practices of autonomy in chronic diseases are still quite challenging. The purpose of this study was to compose health promotion strategies, based on a Strategic Health Promotion Group (GEPS), to help create the conditions for the exercise of people's autonomy regarding health care dealing with a disease chronic condition. The research is participatory, with a qualitative approach based on reflexivity. A previous consent was necessary to form a sixteen people group diagnosed with diabetes. Different topics were discussed, and the analysis of narratives produced in the meetings resulted in three thematic axes: a) Recognizing diabetes; b) Living with diabetes, and c) Exercising autonomy and protagonism. These axes formed three respective textual summaries, which were evaluated and validated by the participants in other three meetings. An interpretative exercise unfolded these summaries. Results demonstrate how participant´s experiences are related to the impact of diabetes diagnosis, provoking a moment of instability in the recognition of their ways of taking care of their own health, implying in the adoption of new meanings for their life habits. The recognition of this chronic condition transforms the way they come to live with diabetes, deriving in diverse personal strategies of self-control, self-care and adaptation. Sharing experiences facilitates the recognition of choices to the subject, stimulating their autonomy and protagonism. Shared care in a co-management process is critical to the longitudinality of diabetes care. In conclusion, the study emphasizes that the Strategic Group for Health Promotion extends the possibilities of self-care management and provokes reflections on health workers and health promotion practices, becoming an important tool for the health collective management. Group strategies, when directed towards the subject´s autonomy, tend to strengthen Primary Health Care and to achieve its essential attributes.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25753
Appears in Collections:PPGSCOL_Doutorado_Saúde_Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JoseAdailtonDaSilva_TESE.pdf3,46 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.