Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/26268
Title: Qualidade da água de telhados verdes na cidade de Natal/RN: análise do pH, condutividade elétrica e turbidez
Authors: Nogueira, Joyce Daiane de Lima
Keywords: Telhados verdes;Período chuvoso;Extremos de precipitação;Qualidade da água
Issue Date: 31-Aug-2018
Citation: NOGUEIRA, Joyce Daiane de Lima. Qualidade da água de telhados verdes na cidade de Natal/RN: análise do pH, condutividade elétrica e turbidez. 2018. 82f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Sanitária) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Telhados verdes têm emergido como uma alternativa à minimização dos problemas causados pelo desenvolvimento urbano. Sua estrutura traz benefícios ao meio ambiente e principalmente à população. Pesquisas pelo mundo convergem para uma verdade sobre os telhados verdes: Eles precisam estar adaptados ao clima de cada localidade em que for construído. Assim, através de três diferentes configurações, esta pesquisa trata sobre a qualidade da água escoada dos módulos de telhados verdes extensivos, compostos com materiais locais (substrato, vegetação e demais componentes) submetidos à precipitação natural da cidade de Natal/RN. Para isso, foi realizado um estudo sobre o clima, baseado em uma série histórica de dados de precipitação de 30 anos do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET e dados de 3 anos e 3 meses de um pluviógrafo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Além da climatologia de precipitação da cidade, foi estudado também os Eventos Extremos de Precipitação (EEP), utilizando a técnica estatística dos quantis, e a qualidade da água da chuva, representada por três parâmetros: potencial hidrogeniônico (pH), condutividade elétrica (CE) e turbidez (Turb). Estes mesmos parâmetros foram analisados a partir da água escoada dos telhados verdes e comparados aos dados obtidos a partir da água da chuva numa superfície impermeável. O período chuvoso para Natal/RN concentra-se de março a julho e chove em média 1000 mm neste período. Junho é o mês com maior volume de chuva, embora no ano de 2017, julho teve maior precipitação. O valor do limiar para um EEP diário considerado neste estudo é de 42,8 mm. Durante o período de abril de 2014 a julho de 2017, Natal/RN registrou 27 EEP. A intensidade máxima foi de 35,05 mm/h e foi necessária pelo menos 2 horas para uma precipitação atingir o valor extremo. A maioria dos EEP de Natal/RN demoram 6 horas para atingirem o limiar. A consequência mais frequente desses tipos de precipitação são alagamentos pela cidade. Em relação à qualidade da água de chuva, os parâmetros não se alteraram no intervalo dez anos atrás e quando comparados aos parâmetros da água do telhado verde, nota-se claramente que o substrato de solo utilizado é o maior responsável pela alteração dos parâmetros. Um fato interessante sobre os módulos utilizados é que os vegetados não necessitaram de rega durante o período chuvoso.
Abstract: Green roofs have emerged as an alternative to the minimization of the problems caused by urban development. Its structure brings benefits to the environment and especially to the population. Researches around the world converge on a truth about green roofs: They need to be adapted to the weather of each location in which they are built. Thus, through three different models, this research deals with the quality of the water drained of extensive green roof modules, composed of local materials (substrate, vegetation and other components) and subjected to the natural occurrences of precipitation in the city of Natal / RN, which is representing other Brazilian cities with a humid coastal climate. For this, a study was carried out on the climate of the city and the rainy season, based on a historical series of 30-year precipitation data from National Institute of Meteorology (INMET) and data of 3 years and 3 months of a pluviograph of the Federal University of Rio Grande do Norte, UFRN (the pluviograph was called PUFRN). In addition to the climatology of precipitation of the city, Extreme Events of Precipitation (EEP) were also studied, using a statistical technique of quantiles, and rainfall quality, represented by three parameters: potential of Hydrogen (pH), electrical conductivity (EC) and turbidity (Turb). These same parameters were analysed for the water drained of a green roof and compared to the ones obtained from the rainfall water on an impermeable surface. As result of the climatological study, it is observed that the rainy season for Natal/RN is concentrated from March to July and, in average, it rains 1000 mm in this period. June is the month with the highest volume of rain, although in the year 2017, it rained more in July. The threshold value for a daily EEP is 42.8 mm. During the period of April 2014 to July 2017, Natal/RN registered 27 EEP. The maximum intensity was 35.05 mm/h and it was necessary at least 2 hours for a precipitation become extreme. Most EEPs in Natal/RN take 6 hours to occur. The most frequent consequence of this type of occurrence are floods around the city. Regarding the quality of rainwater, for the last 10 years the parameters are the same and when compared to the parameters of the green roof water, it is noticed that the soil substrate is the major responsible for changing the parameters. An interesting fact about the modules used is that the ones with vegetation do not require watering during the rainy season.
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/26268
Appears in Collections:PPGESA - Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Qualidadeáguatelhado_Nogueira_2018.pdf2.43 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.