Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/27121
Title: Legados urbanos e suburbanos: analisando indicadores morfológicos de vitalidade urbana em duas vilas olímpicas certificadas pelo selo LEED-ND
Authors: Martino, Nicholas Saraiva
Keywords: Vizinhanças sustentáveis;Morfologia urbana;Vitalidade urbana
Issue Date: 26-Apr-2019
Citation: MARTINO, Nicholas Saraiva. Legados urbanos e suburbanos: analisando indicadores morfológicos de vitalidade urbana em duas vilas olímpicas certificadas pelo selo LEED-ND. 2019. 89f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: As Vilas Olímpicas construídas para os jogos do Rio de Janeiro (Condomínio Ilha Pura, CIP, 2016) e Vancouver (Southeast False Creek, SFC, 2010) receberam a certificação LEED-ND para desenvolvimento de vizinhança sustentável com base em critérios de avaliação pensados para promover comunidades habitáveis e sustentáveis. Considerando que a obtenção dessas qualidades é parcialmente dependente das propriedades morfológicas e funcionais que facilitam movimento, visibilidade e encontros entre sujeitos nos espaços públicos – ingredientes considerados como favorecedores da vitalidade urbana – o objetivo dessa pesquisa foi verificar se o desenho dessas Vilas Olímpicas certificadas pelo LEED-ND facilita ou dificulta essa vitalidade nos espaços públicos, avaliando a incidência de indicadores morfológicos em múltiplas escalas espaciais. Primeiramente analisou-se a relação entre configuração da malha viária e destinos diários (bancos, farmácias, escolas, etc.) em Vancouver e no Rio de Janeiro a fim de entender como essas Vilas Olímpicas estão inseridas no todo urbano em termos do uso do caminhar como um meio de locomoção. Indicadores de acessibilidade, densidade e diversidade, relacionados ao conceito de caminhabiliade, foram agregados em um raio de 800m a partir de cada segmento de rua das vizinhanças e seu entorno imediato. Em segundo lugar, mapas de usos e integração dos espaços abertos foram graficamente justapostos, na tentativa de responder como o desenho de cada empreendimento integra ou segrega diferentes usos. Por fim, mapas de constitutividade de fachadas (acessos aos edifícios), mobiliário e vegetação foram justapostos a modelos georreferenciados de visibilidade e permeabilidade espacial que indicam movimento potencial de pedestres. As diferentes intenções subjacentes aos planos das vizinhanças estão “impressas” na forma urbana em ambos os casos. Enquanto SFC foi construído em terras públicas para conectar a cidade à orla e reabilitar uma área industrial abandonada, o CIP foi construído em terras privadas como uma “ilha” verde e de lazer que pouco contribui para a vitalidade urbana do entorno, deficiente de infraestrutura e cercado por comunidades informais. Padrões que representam um alto potencial de movimento em SFC surgem da sua relação com o todo urbano, da diversidade de usos do solo e da integração entre edifícios, espaços públicos, corredores de transporte e orla. Enquanto isso, o CIP é segregado tanto da cidade do Rio de Janeiro como do seu entorno imediato, resultando em uma distribuição desigual de espaços verdes e de lazer, altamente integrados àqueles que vivem dentro do condomínio e pouco integrados às comunidades do entorno. Os resultados levantam questões sobre a necessidade de aplicar processos de acreditação dispendiosos (como o LEED-ND) com o objetivo de avaliar conceitos amplos e subjetivos de "sustentabilidade" e "smart growth".
Abstract: The Olympic Villages built for the Olympic games in Rio de Janeiro (Ilha Pura Condominium, IPC, 2016) and Vancouver (Southeast False Creek, SFC, 2010) were both granted LEED-ND certification for sustainable neighbourhood developments based on evaluation criteria devised to foster walkable, livable and sustainable communities. Considering that the attainment of these qualities is partially dependent on morphological and functional properties that facilitate movement, visibility and encounters among people in public spaces – ingredients deemed to favour urban vitality and liveliness – the purpose of this research was to verify how the design of these LEED-ND certified Olympic villages facilitates or hinders the vitality of public spaces, by assessing the incidence of urban vitality indicators across multiple spatial scales. Firstly, the relation between the configuration of the street network and the presence of daily destinations (banks, pharmacies, schools, etc.) were analyzed in Rio de Janeiro and Vancouver in an attempt to to understand how these Olympic Villages are inserted in the urban whole in terms of the use of walking as a mean of transport. Indicators of accessibility, density and diversity, related to the concept of walkability, were aggregated within a radius of 800m of each street segment within the neighborhoods and their immediate surroundings. Secondly, maps of land use and spatial integration were graphically juxtaposed, in an attempt to verify whether the design of each development integrates or segregates different uses. Finally, maps of the constitutivity of form (furniture, vegetation and access to buildings) were compared to potential pedestrian movement patterns, expressed through georeferenced models based on measures of spatial visibility and moveability. The different intentions underlying each neighborhood plan are "printed" in their urban form in both cases. While SFC was built on public lands to connect the city to the waterfront and rehabilitate an abandoned industrial area, IPC was built on private land as a green and leisure "island" that barely contributes to the urban vitality of its surroundings, composed of poor infrastructure and informal communities. Patterns that indicate a high potential of pedestrian movement in SFC arise from its relationship with the urban whole, diversity of land uses and integration among buildings, public transport, transportation corridors and waterfront. Meanwhile, the IPC is segregated both from the city of Rio de Janeiro and from its immediate surroundings, resulting in an unequal distribution of green and leisure spaces, highly integrated to those living inside the condominium and little integrated to the surrounding communities. Findings in this research also raise questions about the suitability of applying expensive accreditation processes (such as LEED-ND) to evaluate concepts as broad and subjective as "sustainability" or "smart growth".
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/27121
Appears in Collections:PPGAU - Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Legadosurbanossuburbanos_Martino_2019.pdf8,12 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.