Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/30620
Title: Morbidade hospitalar e mortalidade em crianças menores de cinco anos no Brasil no período de 2007 a 2016
Authors: Ferreira, Tainara Lôrena dos Santos
Keywords: Criança;Mortalidade da criança;Morbidade;Hospitalização;Indicadores básicos de saúde;Child;Child mortality;Morbidity;Hospitalization;Health status indicators
Issue Date: 28-Jun-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FERREIRA, Tainara Lôrena dos Santos. Morbidade hospitalar e mortalidade em crianças menores de cinco anos no Brasil no período de 2007 a 2016. 2019. 85f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Nas últimas décadas, têm-se observado a redução da mortalidade entre menores de cinco anos, embora um grande número de mortes se mostre evitáveis. Assim, esse grupo etário ganhou nova perspectiva pela Organização das Nações Unidas, em 2015, em busca de eliminar mortes evitáveis de recém-nascidos e crianças menores de cinco anos. Portanto, o estudo objetiva avaliar a morbidade hospitalar e mortalidade no Brasil em menores de cinco anos de idade, no período de 2007 a 2016 e correlacionar com indicadores sociais, de desigualdade e de acesso aos serviços de saúde pública no Brasil. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal, ecológico de série temporal a ser realizado com uso de dados secundários do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde e Sistema de Informação sobre Mortalidade dos últimos dez anos (2007-2016) no âmbito nacional, disponíveis e extraídos da base nacional de domínio público pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Utilizou-se como variáveis dependentes: Coeficiente de Mortalidade Infantil e Coeficiente de Mortalidade de Crianças entre um a menores de cinco anos, distribuição percentual de internações hospitalares infantis e percentual de internações hospitalares de crianças entre um a menores de cinco anos. Como variáveis independentes, foram selecionadas: cobertura da Atenção Básica, cobertura de consultas de puericultura, cobertura de imunização, cobertura do Programa Bolsa Família, Índice de Desenvolvimento Humano, Índice de Gini e proporção de pobres. Para análise estatística dos dados foi utilizado o programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 22.0, com número de série 10101141047, sendo calculadas as medidas de tendência central e dispersão, e realizado o teste t de student entre as Regiões Intermediarias de Articulação Urbana. Para a análise espacial e construção dos mapas, foram utilizados os programas TerraView, versão 4.2.2, e o Geoda, versão 1.2. Observou-se que nos menores de um ano houve no período estudado a variação na média das causas como primeiro lugar uma média de 33,56 (sistema respiratório); seguindo de 32,13 (afecções originadas no período perinatal) e por último 17,07 (doenças infecciosas e parasitárias). Houve redução do coeficiente de mortalidade infantil comparando a média de 16,43 em 2007 e 13,41 em 2016. No tocante ao grupo infantil de um a quatro anos, o primeiro adoecimento se deu por respiratório (42,69), em segundo lugar por doenças infecciosas e parasitárias (25,84). Sobre o coeficiente de mortalidade em crianças entre um e menores de cinco anos obteve-se 2,84 em 2007 e 2,34 em 2016. Constatou-se a formação de clusters para a morbidade hospitalar e mortalidade, demonstrando dependência espacial para ocorrência dos eventos, grupo etário independente, correlacionados aos indicadores sociais, de desigualdade em saúde e de acesso aos serviços de saúde pública. Desta forma, sinaliza-se a necessidade de promover a diminuição de desigualdades sociais e regionais, e a ampliação do acesso aos serviços de saúde da criança e da assistência em saúde de qualidade nos serviços de baixa e média complexidade com vistas a redução dos agravos e melhora dos indicadores de morbimortalidade infantil
Abstract: In the last decades, we have noticed a reduction of mortality rates amongst under 5 years-old children, although a high number of deaths could be avoided. So, this age group received a new perspective by United Nations in 2015, aiming to finish avoidable deaths of newborn and under 5 years-old children. Therefore, this study aims to evaluate hospital morbidity and mortality in Brazil among under 5 years-oldchildren between 2007 and 2016. It is an transversal epidemiologic study, ecological and time series to be performed with usage of secondary data from Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (System of Hospital Information of Unique Health System, in free translation) and Informação sobre Mortalidade (Mortality Information System, in free translation) in last ten years (2007 to 2016) in a national range, available and extracted from national base of public domain by the Information Department of SUS. We used the following dependent variants: Children Mortality Estimation and Mortality Estimation of Children Among One and Under Five Years Old, percentual distribution of children hospital intakes and percentage of children among one and under five years old hospital intakes. As independent variants, we selected: Atenção Básica (Basic Attention Service, in free translation) coverage, immunization coverage, Bolsa Família Program coverage, Índice de Desenvolvimento Humano (Index of Human Deveolpment, in free translation), Gini Index and poverty proportion. Fora statistical data analysis, we used Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) program, 22.0 version, 10101141047 serial number, and we calculated the measures of central tendencies and dispersion. We also applied test t Student among Regiões Intermediárias de Articulação Urbana (Urban Articulation Intermediary Regions, in free translation). For spatial analysis and map construction, we used TerraView program, 4.2.2 version, and Geoda, 1.2 version. We noticed that, among under one-year old children, during the analyzed period, there was a variation in cause of deaths averages: as first cause, 33,56 (respiratory system); followed by 32,13 (diseases that come from perinatal period); and, at last, 17,07 (infectious and parasitic diseases). There was areduction in children mortality estimation when compared 16,43 average in 2007 and 13,41 in 2016. Regarding age group between one and four years old, first cause of illness was respiratory system (42,69); the second cause was infectious and parasitic diseases (25,84). Concerning mortality coefficient of 1 to 5-year-old children, we had these numbers: 2,84 in 2007 and 2,34 in 2016, highlighting in the age group deaths due to external causes of morbidity and mortality.We verified clusters formation to hospital morbidity and mortality, presenting spatial dependence for events, independent age group, correlated to care and inequalities indicators. Thus, it shows the necessity of lowering social and regional inequality, besides raising access to health public services for children and quality of low and medium complexity health assistance, aiming to reduce grievance and children morbidity and mortality indicators
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/30620
Appears in Collections:PPGSCOL - Mestrado em Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TainaraLorenaDosSantosFerreira_DISSERT.pdf3.05 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.