Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/31609
Title: Impacto da inserção da temática saúde sexual e reprodutiva na graduação de Medicina
Other Titles: Impact of sexual and reproductive health theme insertion in the undergraduate medical
Authors: Medeiros, Robinson Dias de
Azevedo, George Dantas de
Maranhão, Técia Maria de Oliveira
Oliveira, Ana Katherine da Silveira Goncalves de
Barros, Yasha Emerenciano
Araújo, Ana Cristina Pinheiro Fernandes de
Lima, Stênia Lins Leão
Keywords: Saúde sexual e reprodutiva;Direitos sexuais e reprodutivos;Educação em saúde;Sexual and reproductive health;Sexual and reproductive rights;Health education
Issue Date: Mar-2014
Publisher: Thieme Open
Citation: MEDEIROS, Robinson Dias de; AZEVEDO, George Dantas de; MARANHÃO, Técia Maria de Oliveira; GONÇALVES, Ana Katherine; BARROS, Yasha Emerenciano; ARAÚJO, Ana Cristina Pinheiro Fernandes de; LIMA, Stênia Lins Leão. Impacto da inserção da temática saúde sexual e reprodutiva na graduação de medicina. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, [s. l.], v. 36, n. 3, p. 107-112, mar. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000300107. Acesso em: 30 jun. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/s0100-72032014000300003
Portuguese Abstract: Objetivo: avaliar o impacto da inserção da temática saúde sexual e reprodutiva na graduação de Medicina em uma universidade pública do Brasil. Métodos: foi desenvolvido instrumento de avaliação cognitiva em saúde sexual e reprodutiva com base nos temas abordados no componente curricular optativo Saúde Reprodutiva, resultando em prova objetiva de múltipla escolha contendo 27 itens. Os temas selecionados foram: direitos humanos, sexuais e reprodutivos (DHSR), sexualidade, violência institucional, gênero, violência sexual, concepção, contracepção, aborto/interrupção legal da gestação, mortalidade materna e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) – HIV/AIDS. Os temas foram agrupados em três dimensões do conhecimento: DHSR, legal/institucional e biomédica. Na análise de covariância, dois modelos multivariados foram ajustados. Resultados: participaram do estudo 183 alunos, 127 do grupo que cursou o componente curricular eletivo saúde reprodutiva (Grupo SR) e 56 do grupo que não cursou (Grupo Não SR). Noventa e seis alunos (52,5%) eram do sexo masculino e 87 (47,5%) do sexo feminino. A média de idade foi de 24,7±1,9 anos no Grupo SR e de 24,4±2,6 no Não SR. O desempenho médio do Grupo SR foi superior ao Não SR nos temas DHSR, sexualidade, violência institucional, violência sexual, aborto/interrupção legal e DSTs – HIV/AIDS. Não houve diferença no desempenho dos sexos masculino e feminino, com a exceção do tema mortalidade materna, no qual o grupo masculino foi inferior (6,9±0,2 e 7,8±0,2, respectivamente; p<0,05). Conclusões: a participação dos estudantes no componente curricular eletivo Saúde Reprodutiva mostrou-se associada com melhor desempenho em algumas dimensões da avaliação cognitiva, o que sugere um impacto positivo dessa iniciativa na formação médica generalista
Abstract: Purpose: to evaluate the impact of sexual and reproductive health theme insertion in the undergraduate medical curriculum at a Brazilian public university. Methods: we developed an instrument for cognitive assessment in sexual and reproductive health based on the subjects addressed in the optional curriculum component Reproductive Health, resulting in an objective multiple choice test containing 27 items. The selected topics were: human, sexual and reproductive rights (HSRR), sexuality, institutional violence, gender, sexual violence, conception, contraception, abortion/legal interruption of pregnancy, maternal mortality and sexually transmitted infections (STIs) – HIV/AIDS. The subjects were grouped into three dimensions of knowledge: HSRR, legal/institutional and biomedical. Two multivariate models were adjusted in the analysis of covariance. Results: the study included 183 students, 127 of the group who took the elective curriculum course reproductive health (RH Group) and 56 who did not (Non-RH Group). Ninety-six students (52.5%) were males and 87 (47.5%) were females. Mean age was 24.7±1.9 years for the RH Group and 24.4±2.6 for the Non-RH Group. The average performance of the SR Group was higher than that of Non-RH subjects regarding the following subjects: HSRR, sexuality, institutional violence, sexual violence, abortion/legal interruption, and STDs – HIV/AIDS. There was no gender difference in performance, except for the theme maternal mortality, in which males scored worse than females (6.9±0.2 and 7.8±0.2, respectively; p<0.05). Conclusions: the participation of students in the elective curriculum component Reproductive Health was associated with better performance in some dimensions of cognitive assessment, suggesting a positive impact of this initiative on general medical education
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/31609
ISSN: 0100-7203
Appears in Collections:CB - DMOR - Artigos publicados em periódicos
CCS - DTG - Artigos publicados em periódicos
EMCM - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SaudeSexualGraduacao_Azevedo_2014.pdf514.01 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons