Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32216
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorWeissheimer, Janaina-
dc.contributor.authorLeandro, Diêgo Cesar-
dc.date.accessioned2021-04-14T22:48:05Z-
dc.date.available2021-04-14T22:48:05Z-
dc.date.issued2020-12-17-
dc.identifier.citationLEANDRO, Diêgo Cesar. Memória de trabalho, planejamento pré-tarefa e produção oral em inglês como L2: um estudo exploratório usando análise de grafos. 2020. 306f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32216-
dc.description.abstractThe present cross-sectional, mixed-methods study (Dörnyei, 2007) aimed at investigating the relationship between working memory capacity, pre-task planning and L2 speech production. It also aimed at exploring the predictive power of graph analysis in relation to L2 speech production across proficiency levels. Fifty-six speakers of English as L2, at a pre-intermediate (n = 46) and an advanced (n = 10) level of proficiency, integrated the cohort of the study. The pre-intermediate learners were exposed to three lab-like tasks: (a) a picture-description task, aimed at eliciting speech in the L2; (b) a delayed verbal protocol (Zaccaron, 2018), aimed at assessing participants’ planning process; and (c) the speaking span test in L1 (Daneman & Carpenter, 1980; Weissheimer, 2007; Prebianca, 2009), aimed at measuring verbal working memory capacity. Task (a) required participants to use the L2 to describe three pictures, for one minute each. Descriptions were made under the following pre-task planning conditions: a noplanning condition (Yuan & Ellis, 2003; Guará-Tavares, 2008), in which participants immediately described the picture, without time to plan their speech; an oral planning condition, in which they orally rehearsed their speech for one minute; and a written planning condition, in which they planned their output by taking notes for one minute. The advanced group only performed task (a) and only under the oral and written planning conditions. Speech performance was analyzed in terms of complexity (number of t-units), accuracy (errors per 100 words), weighted lexical density (proportion of novel words) and fluency (speech rate). Additionally, participants’ speech samples (both groups) were represented as speech graphs in which the nodes represented words and the directed edges indicated the trajectory of the words produced (Mota et al., 2016, 2019; Luz, 2018). According to our hypotheses, speech produced under the oral and written planning conditions would outscore the no-planning condition, and the oral planning condition, sharing more characteristics with the picture-description task, would outscore the written planning condition. Besides, as working memory capacity can influence planning skills, helping learners translate planning into task performance (Guará-Tavares, 2008), we hypothesized that pre-task planning would affect the speech of higher spans and lower spans in different ways. Lastly, we hypothesized that speech graph attributes would correlate with speech production measures and that graph analysis would successfully predict fluency in the continuum between a pre-intermediate and an advanced level of L2 speech proficiency, offering an alternative assessment. Results show that pre-task planning has exerted a positive effect on participants’ L2 speech, irrespective of the modality it assumed and that all gains in speech production measures were due exclusively to pre-task planning. Qualitative results show that participants had positive impressions toward pre-task planning and that their performance was in line with Swain’s (1985, 1993) output hypothesis.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortept_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMemória de trabalhopt_BR
dc.subjectPlanejamento pré-tarefapt_BR
dc.subjectProdução oral em L2pt_BR
dc.subjectAnálise de grafospt_BR
dc.titleMemória de trabalho, planejamento pré-tarefa e produção oral em inglês como L2: um estudo exploratório usando análise de grafospt_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA LINGUAGEMpt_BR
dc.contributor.authorIDpt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8791581843167941pt_BR
dc.contributor.advisorIDpt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7345837860360864pt_BR
dc.contributor.referees1Finger, Ingrid-
dc.contributor.referees1IDpt_BR
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4698750497441929pt_BR
dc.contributor.referees2Godoy, Mahayana Cristina-
dc.contributor.referees2IDpt_BR
dc.contributor.referees2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3506387688763831pt_BR
dc.contributor.referees3Mota, Natalia Bezerra-
dc.contributor.referees3IDpt_BR
dc.contributor.referees3Latteshttp://lattes.cnpq.br/0218733015647416pt_BR
dc.contributor.referees4D'ely, Raquel Carolina Souza Ferraz-
dc.contributor.referees4IDpt_BR
dc.contributor.referees4Latteshttp://lattes.cnpq.br/6108582415836151pt_BR
dc.description.resumoO presente estudo transversal e de métodos mistos (Dörnyei, 2007) teve como objetivo investigar a relação entre o capacidade de memória de trabalho, planejamento pré-tarefa e produção oral em L2. Além disso, teve como objetivo explorar o poder preditivo da análise de grafos em relação à produção em L2 entre níveis de proficiência. Cinquenta e seis falantes de inglês como L2, em um nível de proficiência pré-intermediário (n = 46) e avançado (n = 10), integraram o estudo. Os aprendizes pré-intermediários foram expostos a três tarefas semelhantes às de laboratório: (a) uma tarefa de descrição de imagem, que visa eliciar a fala em L2; (b) um protocolo verbal tardio (Zaccaron, 2018), que visa avaliar o processo de planejamento dos participantes; e (c) o speaking span test em L1 (Daneman & Carpenter, 1980; Weissheimer, 2007; Prebianca, 2009), que visa medir a capacidade de memória de trabalho verbal. A tarefa (a) exigia que os participantes usassem a L2 para descrever três imagens, por um minuto cada. As descrições foram feitas sob as seguintes condições de planejamento prétarefa: condição de não planejamento (Yuan & Ellis, 2003; Guará-Tavares, 2008), em que o participante descreveu imediatamente a figura, sem tempo para planejar seu discurso; uma condição de planejamento oral, na qual ensaiavam oralmente sua fala por um minuto; e uma condição de planejamento por escrito, na qual planejavam sua produção fazendo anotações por um minuto. O grupo avançado somente executou a tarefa (a) e somente sob as condições de planejamento oral e escrito. As amostras de fala foram analisas quanto à complexidade (número de t-unidades), acurácia (erros a cada 100 palavras), densidade lexical ponderada (proporção de palavras novas) e fluência (velocidade da fala). Além disso, as amostras de fala dos participantes (ambos os grupos) foram representadas como grafos de fala em que os nós representavam palavras e as arestas direcionadas indicavam a trajetória das palavras produzidas (Mota et al., 2016, 2019; Luz, 2018). De acordo com nossas hipóteses, o discurso produzido sob as condições de planejamento oral e escrito superaria a condição de não planejamento, e a condição de planejamento oral, compartilhando mais características com a tarefa de descrição de imagem, superaria a condição de planejamento escrito. Além disso, como a capacidade de memória de trabalho pode influenciar as habilidades de planejamento, ajudando os alunos a traduzir o planejamento em desempenho de tarefas (Guará-Tavares, 2008), nossa hipótese era que o planejamento pré-tarefa afetaria a produção oral de participantes com alta e baixa capacidade de memória de trabalho de diferentes maneiras. Por último, formulamos a hipótese de que os atributos de grafos de fala se correlacionariam com as medidas de produção oral e que a análise de grafos poderia prever com sucesso a fluência no continuum entre um nível préintermediário e um nível avançado de proficiência em L2, oferecendo uma avalição alternativa. Os resultados mostram que o planejamento pré-tarefa afetou positivamente a produção oral dos participantes, independentemente da modalidade, e que ganhos em produção oral foram devidos exclusivamente ao planejamento. Resultados qualitativos mostram que os participantes tiveram impressões positivas acerca do planejamento pré-tarefa e que a sua performance foi de acordo com a hipótese do output proposta por Swain (1985, 1993).pt_BR
Appears in Collections:PPGEL - Doutorado em Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Memoriatrabalhoplanejamento_Leandro_2020.pdf3,72 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.