Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32387
Title: Interseções entre qualidade de vida e resiliência em mulheres rurais: estudo de métodos mistos
Other Titles: Intersections between quality of life and resilience in rural women: mixed methods study
Authors: Silva, Bruno Neves da
Keywords: Mulheres;População rural;Qualidade de vida;Resiliência psicológica;Saúde da população rural;Promoção da saúde;Enfermagem rural
Issue Date: 26-Feb-2021
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Bruno Neves da. Interseções entre qualidade de vida e resiliência em mulheres rurais: estudo de métodos mistos. 2021. 164f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2021.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: historicamente, o cenário rural brasileiro é cercado por desigualdades sociais que influenciam as trajetórias de vida dos sujeitos. As mulheres rurais sofrem com essas desigualdades devido a sua condição de classe e de gênero, existindo a necessidade de considerar-se os processos que levam essas mulheres a resistirem às adversidades diárias, caso da resiliência e da qualidade de vida. OBJETIVO: Analisar as interseções entre resiliência e qualidade de vida de mulheres rurais. MÉTODO: estudo de métodos mistos do tipo paralelo convergente (QUAN + QUAL), em que foram triangulados um estudo quantitativo do tipo observacional, cuja amostra foi constituída por 87 mulheres rurais; e um estudo qualitativo, orientado pelo método da história oral de vida, do qual participaram sete mulheres. Os dados foram concomitantemente coletados entre o período de julho a novembro de 2020, na zona rural do município de Nazarezinho, Paraíba. No estudo quantitativo foram aplicados os seguintes instrumentos: um formulário sociodemográfico, a Escala de Resiliência, e o Medical Outcomes Study 36-Item ShortForm Health Survey (SF-36). Os dados qualitativos foram recolhidos mediante entrevistas livres, que foram gravadas. O tratamento dos dados quantitativos foi realizado pelo software SPSS versão 25.0® no qual foram realizadas análises estatísticas descritivas e inferenciais. Os dados qualitativos foram inicialmente transcritos, textualizados e transcriados, quando então foram submetidos à análise temática indutiva. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte sob parecer 3.950.023. RESULTADOS: foi constatado que o grau médio de resiliência verificado possui associação com o domínio aspectos sociais do SF-36, e que os demais domínios de qualidade de vida, quando considerados variáveis independentes em um modelo de regressão linear múltipla, predizem cerca de 14,1% dos escores de resiliência, indicando que a resiliência influencia na qualidade de vida das mulheres rurais e é influenciada por ela. A análise das narrativas de vida, subsidiada pelos três eixos temáticos delimitados – (Re)existências femininas: os ires e devires das mulheres no cotidiano rural; Concepções das mulheres rurais sobre saúde e qualidade de vida; e Ruralidade, resiliência e qualidade de vida: interfaces promotoras de fatores de proteção – destaca que, apesar dos percalços e dificuldades vivenciadas, as mulheres rurais enxergam o seu cotidiano com satisfação, e o percebem como promotor de saúde e resiliência. A integração dos resultados permitiu ampliar o conhecimento sobre como ocorre a interseção entre esses construtos, e presume-se que se dá a partir da mediação de fatores de proteção elaborados pelas mulheres rurais, dentre eles, os sentimentos de encantamento e pertencimento ao seu contexto, a formação de redes de apoio social e a espiritualidade. CONCLUSÃO: a partir do entendimento obtido de que a resiliência influencia a qualidade de vida das mulheres rurais, espera-se que este estudo contribua para subsidiar futuras intervenções e políticas públicas que possibilitem elevar a qualidade de vida e diminuir as desigualdades existentes no meio rural, e contribua para a promoção da saúde das mulheres que (re)existem nesse contexto.
Abstract: INTRODUCTION: historically, the Brazilian rural scenario is surrounded by social inequalities that influence the subjects' life trajectories. Rural women suffer from these inequalities due to their class and gender condition, and there is a need to consider the processes that lead these women to resist daily adversities, such as resilience and quality of life. OBJECTIVE: Analyzing the intersections between resilience and quality of life in rural women. METHOD: a convergent parallel (QUAN + QUAL) mixed methods study, in which a quantitative observational study, whose sample consisted of 87 rural women; and a qualitative study, guided by the oral life history method, in which seven women participated. Data was simultaneously collected between July and November 2020, in the rural area of the municipality of Nazarezinho, Paraíba. In the quantitative study, the following instruments were applied: a sociodemographic form, the Resilience Scale, and the Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey (SF-36). Qualitative data was collected by means of open interviews, which were recorded. The quantitative data treatment was performed by SPSS software version 25.0® in which descriptive and inferential statistical analyses were performed. Qualitative data was initially transcribed, textualized and transcribed, when they were then submitted to inductive thematic analysis. The study was approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of Rio Grande do Norte under opinion 3.950.023. RESULTS: it was found that the average degree of resilience verified has an association with the social aspects domain of the SF-36, and that the other domains of quality of life, when considered independent variables in a multiple linear regression model, predict about 14.1% of the resilience scores, indicating that resilience influences the quality of life of rural women and is influenced by it. The analysis of life narratives, subsidized by the three delimited thematic axes - Feminine (Re) existences: the comings and goings of women in rural daily life; Conceptions of rural women about health and quality of life; and Rurality, resilience and quality of life: interfaces promoting protection factors - highlights that, despite the setbacks and difficulties experienced, rural women view their daily lives with satisfaction, and perceive it as promoting health and resilience. The integration of results allowed expanding the knowledge about how the intersection between these constructs occurs, and it is assumed that it occurs from the mediation of protective factors developed by rural women, among them, the feelings of enchantment and belonging to their context, the formation of social support networks and spirituality. CONCLUSION: Based on the understanding that resilience influences the quality of life of rural women, it is expected that this study will contribute to subsidize future interventions and public policies that make it possible to raise the quality of life and reduce existing inequalities in rural areas, and contribute to the promotion of the health of women who (re)exist in this context.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32387
Appears in Collections:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Files in This Item:
File SizeFormat 
Intersecoesentrequalidade_Silva_2021.pdf5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.