Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32778
Title: Reinvenções na vida de pessoas com deficiência visual: caminhos à reabilitação inclusiva?
Authors: Amorim, Érico Gurgel
Keywords: Pessoas com deficiência visual;Reabilitação;Estigma social;Centros de reabilitação;Saúde pública
Issue Date: 9-Apr-2021
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: AMORIM, Érico Gurgel. Reinvenções na vida de pessoas com deficiência visual: caminhos à reabilitação inclusiva?. 2021. 163f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2021.
Portuguese Abstract: Fruto dos avanços na conquista de direitos das pessoas com deficiência ao longo dos primeiros anos do século XXI, tem-se observado maior participação de pessoas com os diversos tipos de deficiência nos variados setores da sociedade, todavia esse avanço não foi observado com a mesma proporção no subgrupo da deficiência visual. Um caminho utilizado por tais sujeitos para se alcançar novos patamares de vida é a reabilitação. Supondo que os espaços e as práticas de reabilitação possibilitam a reinvenção de vida frente à perda de visão, no presente estudo objetivamos analisar as reinvenções de vida da pessoa com deficiência visual ao longo do percurso reabilitacional. Nessa trajetória, tece-se um diálogo com os aprofundamentos sobre interdependência partir dos aportes teórico-conceituais desenvolvidos por Elias (1994), Kittay (2011) e Butler (2015). Metodologicamente, empreendemos uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa, apoiada na dialética e na reflexividade, visando potencializar diferentes saberes. Os sujeitos colaboradores desta pesquisa foram quinze pessoas com idade acima de dezoito anos, cegas ou com baixa visão, que passaram ou estão passando por serviços de reabilitação visual e integrantes de um grupo de extensão universitária voltado para pessoas com deficiência, bem como uma informante-chave vinculada à gestão da rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência do estado do Rio Grande do Norte (SESAP) e também um integrante do corpo diretivo do Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte (IERC). Para a captação dos dados empíricos, realizamos três sessões de grupos focais heterogêneos e ocorridos entre os meses de setembro e outubro de 2019 e duas entrevistas semiestruturadas com os gestores no mesmo período. Posteriormente, os dados foram analisados com subsídio na análise de conteúdo temática (MINAYO, 2008). A pesquisa obteve aprovação ética para sua execução conforme regulamentação vigente envolvendo pesquisas com seres humanos. Quanto aos resultados, as categorias emergentes afloraram primariamente da análise indutiva e ascendente dos dados e se constituíram em três eixos principais: 1) espaços e práticas de reabilitação para a constituição de novas encenações de vida; 2) desafios à reabilitação; e 3) tessitura da reabilitação e reinvenção dos sujeitos. Foi possível conhecer em que medida as reinvenções se constituem e permeiam os cotidianos materiais e simbólicos de quem perdeu a visão, e os avanços e os desafios nessa construção. Adicionalmente, propomos um modelo de reabilitação inclusiva com vistas a melhor compreender as instâncias para atuação entre estado-sujeito-sociedade, cujas características principais são: biopsicossocial, interdependência, acessibilidade, aceitação da diversidade e valorização dos protagonismos dos sujeitos. Os achados da pesquisa nos levam a considerar como necessária a recusa da abordagem negativa da deficiência visual, pautada nas ideias de falta, déficit e defeito, transmutando-a para uma noção de potência inventiva propulsora da emancipação, no intuito de fazer emergir um mundo comum e heterogêneo aberto ao diálogo com a diversidade e permeado pelo modelo da inclusão social.
Abstract: As a result of the advances in the conquest of rights for people with disabilities during the first years of the 21st century, a greater participation of people with different types of disabilities has been observed in various sectors of society, however this advance has not been observed with the same proportion in the subgroup of visual impairment. One path used by such individuals to reach new levels of life is rehabilitation. Assuming that the spaces and practices of rehabilitation enable the reinvention of life in the face of loss of vision, in this study we aim to analyze the reinventions of life of the person with visual impairment along the rehabilitational path. In this trajectory, we weave a dialogue with the deepening of interdependence based on the theoretical-conceptual contributions developed by Elias (1994), Kittay (2011) and Butler (2015). Methodologically, we undertake an exploratory research with a qualitative approach, supported by dialectics and reflectivity, aiming at potentializing different knowledges. The subjects of this research were fifteen people over eighteen years of age, blind or with low vision, who have undergone or are undergoing visual rehabilitation and members of a university extension group focused on people with disabilities, as well as a key informant linked to the management of the health care network for people with disabilities in the state of Rio Grande do Norte (SESAP) and also a member of the board of directors of the Institute of Education and Rehabilitation of the Blind of Rio Grande do Norte (IERC). To capture the empirical data, we conducted three sessions of heterogeneous focus groups that took place between the months of September and October 2019 and two semi-structured interviews with managers during the same period. Later, the data were analyzed with subsidy in the thematic contente analysis (MINAYO, 2008). The research obtained ethical approval for its execution in accordance with current regulations involving research with human beings. As for the results, the emerging categories emerged primarily from the inductive and ascending analysis of the data and were constituted in three main axes: 1) spaces and practices of rehabilitation for the constitution of new enclaves, 2) challenges to rehabilitation; and 3) subject's rehabilitation and reinvention. It was possible to know the extent to which reinventions constitute and permeate the material and symbolic daily lives of those who have lost their vision, and the advances and challenges in this construction. Additionally, we propose an inclusive model of rehabilitation with a view to better understand the instances for action between the subject-subject-society, whose main characteristics are: biopsychosocial, interdependence, accessibility, acceptance of diversity and appreciation of the protagonisms of the subjects. The findings of the research lead us to consider as necessary the refusal of the negative approach to visual disability, based on the ideas of lack, deficit and defect, transmuting it to a notion of inventive power that propels emancipation, in order to bring out a common and heterogeneous world open to dialogue with diversity and permeated by the model of social inclusion.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/32778
Appears in Collections:PPGSCOL_Doutorado_Saúde_Coletiva

Files in This Item:
File SizeFormat 
Reinvencoesvidapessoas_Amorim_2021.pdf960,04 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.