Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/33999
Title: Um filme em dois tempos
Authors: Goes, Mariana Cardoso Tinoco de
Advisor: Segundo, Carlos Antonio dos Santos
Keywords: Fotografia;Existencialismo;contemporaneidade
Issue Date: Sep-2021
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GOES, Mariana Cardoso Tinoco de. Um filme em dois tempos. 2021. 40f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social – Audiovisual) – Departamento de Comunicação Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2021.
Portuguese Abstract: Trata a presente pesquisa de uma análise sobre a fotografia contemporânea enquanto resultante da liberdade de escolha do ser fotógrafa. Compreende a fotografia como um ente cujos sentidos resultam da fusão de horizontes pertencentes ao artista e ao observador. Sustenta que o resultado dessa obra é o processo de construção da artista fotógrafa, libertando-se das exigências estéticas de antes e expressando uma reflexão sobre as imagens fotografadas. Propõe que a fotografia, assim percebida, assuma existência própria, como um ente na conformidade do ontologismo existencial de M. Heidegger. Adota, para tanto, o critério atemporal para a existência da fotografia valendo-se de dois momentos distintos, o primeiro situado em acontecimentos anteriores à pandemia do coronavírus e o ultimo já durante o seu advento. Busca extrair do acaso imagens que nos dois períodos citados ainda se encontram vinculadas à escolha inerente à liberdade do artista. Firma uma perspectiva de que num só filme a efemeridade do momento, ainda que se esgote no seu instante, torna ela, a fotografia, permanentemente existente no seu acontecer. Utiliza, para tanto, fotografias de uma série fotográfica analógica realizada por esta autora e com ela busca reafirmar a essência existencial da fotografia enquanto um ente no mundo.
Abstract: The present research analyses the contemporary photography as a result of the photographer’s freedom of choice. It understands the photography as an entity whose senses result of the fusion of horizons, which belong to the artist and the observer. It sustains that the result of the artwork is a construction process of the photographer artist, freeing oneself of the early aesthetic demands and expressing a reflection of the captured image. It proposes that the photography, as perceived, assumes its own existence, as an entity in accordance with M. Heidegger’s existential ontologism. It embraces, thus, the timeless criteria to the photography’s existence, invoking two distinct moments, the first situated in previous events of coronavirus’ pandemic and the last already in its advent. The research seeks to extract from serendipity images that, in the two aforementioned periods, still find themselves attached to the inherent free choice of the artist. It establishes a perspective that in one photographic film, the moment’s ephemerality, yet depleted in its instant, makes it, the photography, permanently existent in its own happening.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/33999
Appears in Collections:CCHLA - TCC - Comunicação Social - Audiovisual

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FilmeDoisTempos_Goes_2021.pdf189,02 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.