Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/49041
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMaciel, Álvaro Campos Cavalcanti-
dc.contributor.authorNew York, Beatriz Souza de Albuquerque Cacique-
dc.date.accessioned2022-08-04T17:13:03Z-
dc.date.available2022-08-04T17:13:03Z-
dc.date.issued2021-02-11-
dc.identifier.citationNEW YORK, Beatriz Souza de Albuquerque Cacique. Relação entre histórico uroginecológico e obstétrico e desempenho físico de membros inferiores em mulheres de meia-idade e idosas: um estudo transversal. 2021. 88f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/49041-
dc.description.abstractIntroduction: The decline in physical performance of the lower limbs is one of the main factors responsible for the increase in falls and disabilities in the elderly population, being among the associated factors, the urogynecological and obstetric history. Previous studies have shown that variables such as early maternal age, parity, and menopause status are associated with the physical performance assessed by the Short Physical Performance Battery (SPPB). However, studies are needed to verify the relationships between other variables of the urogynecological and obstetric history and the physical performance of lower limbs evaluated SPPB, in addition to the strength of knee flexors and extensors. Objective: To analyze the relationship between variables of urogynecological and obstetric history and the physical performance of lower limbs in middle-aged and elderly women. Methods: Cross-sectional study, carried out with women between 40 and 80 years of age, from the municipality of Santa Cruz and Parnamirim-RN. Participants were assessed for socioeconomic and demographic aspects, clinical evaluation (BMI, comorbidities, and physical activity), urogynecological and obstetric history (age at menarche, early menarche, number of pregnancies, number of deliveries, age of first pregnancy, age of last pregnancy, first premature child, use of hormone therapy, hysterectomy, urinary incontinence, and pelvic organ prolapse) and physical performance of lower limbs (SPPB, knee flexor, and extensor strength). The normality of the data was verified by the Kolmogorov-Smirnov test. To evaluate the relationships between the independent variables and the dependent variables, Student's T-tests, ANOVA, and Pearson's correlation were used. Linear regression models were analyzed to observe the relationship between variables of urogynecological and obstetric history and the physical performance of lower limbs, adjusted by covariates. The data were analyzed using the Statistical Package for Social Sciences (SPSS) software, version 22.0. Results: 581 women participated in the study, with a mean age of 54.8 ± 9.4 years. The only variable in the urogynecological and obstetric history that was associated with the physical performance of the lower limbs was the number of deliveries for the knee extension variables (β = -0.41; CI = -0.65 - 0.22; p = 0.009 ) and SPPB (β = - 0.08; CI = -0.11 - 0.05; p = 0.002). Conclusion: The number of deliveries was the only variable in the urogynecological and obstetric history associated with the worse physical performance of the lower limbs, after adjustments for covariates. Older age, lower family income, stable union, and not performing physical activity remained associated with worse physical performance in the final model. Thus, health and rehabilitation strategies are needed to focus on preventing pathophysiological mechanisms that trigger the decline in physical performance in women, particularly in women with a high number of deliveries.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortept_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEnvelhecimentopt_BR
dc.subjectDesempenho funcional físicopt_BR
dc.subjectForça muscularpt_BR
dc.subjectHistória reprodutivapt_BR
dc.titleRelação entre histórico uroginecológico e obstétrico e desempenho físico de membros inferiores em mulheres de meia-idade e idosas: um estudo transversalpt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.publisher.programPROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIApt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3199289682378919pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9441132413428495pt_BR
dc.contributor.referees1Câmara, Saionara Maria Aires da-
dc.contributor.referees1IDhttps://orcid.org/0000-0002-3054-7213pt_BR
dc.contributor.referees1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9021377225085393pt_BR
dc.contributor.referees2Moreira, Mayle Andrade-
dc.description.resumoIntrodução: O declínio do desempenho físico de membros inferiores é um dos principais fatores responsáveis pelo aumento de quedas e incapacidades na população idosa, estando dentre os fatores associados, o histórico uroginecológico e obstétrico. Estudos anteriores mostraram que variáveis como idade materna precoce, paridade e status de menopausa são associados ao desempenho físico avaliado pelo Short Physical Performance Battery (SPPB). No entanto, são necessários estudos que verifiquem as relações entre demais variáveis do histórico uroginecológico e obstétrico e o desempenho físico de membros inferiores avaliados pelo SPPB, além da força de flexores e extensores de joelho. Objetivo: Analisar a relação entre variáveis do histórico uroginecológico e obstétrico e o desempenho físico de membros inferiores em mulheres de meia-idade e idosas. Métodos: Estudo transversal, realizado com mulheres entre 40 a 80 anos de idade, do município de Santa Cruz e Parnamirim-RN. As participantes foram avaliadas quanto aos aspectos socioeconômicos e demográficos, avaliação clínica (IMC, comorbidades e prática de atividade física), histórico uroginecológico e obstétrico (idade da menarca, menarca precoce, número de gestações, número de partos, idade da primeira gestação, idade da última gestação, primeiro filho precoce, uso de terapia hormonal, histerectomia, incontinência urinária e prolapso de órgão pélvico) e desempenho físico de membros inferiores (SPPB, força de flexores e extensores de joelho). A normalidade dos dados foi verificada pelo teste Kolmogorov-Smirnov. Para avaliar as relações entre as variáveis independentes e as variáveis dependentes foram utilizados os testes T de Student, ANOVA e correlação de Pearson. Modelos de regressão linear foram analisados para observar a relação entre variáveis do histórico uroginecológico e obstétrico e o desempenho físico de membros inferiores, ajustadas pelas covariáveis. Os dados foram analisados no software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 22.0. Resultados: 581 mulheres participaram do estudo, com média etária de 54,8 ± 9,4 anos. A única variável do histórico uroginecológico e obstétrico que foi associada ao desempenho físico de membros inferiores foi o número de partos para as variáveis extensão de joelho (β= -0,41; IC= -0,65 – 0,22; p= 0,009) e SPPB (β= -0,08; IC= -0,11 – 0,05; p= 0,002). Conclusão: O número de partos foi a única variável do histórico uroginecológico e obstétrico associada ao pior desempenho físico de membros inferiores, após ajustes por covariáveis. Maior idade, menor renda familiar, união estável e não realizar atividade física permaneceram associadas ao pior desempenho físico no modelo final. Assim, faz-se necessárias estratégias de saúde e reabilitação que visem focar na prevenção de mecanismos fisiopatológicos que desencadeiam o declínio do desempenho físico em mulheres, particularmente em mulheres com elevados número de partos.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONALpt_BR
Appears in Collections:PPGFS - Mestrado em Fisioterapia

Files in This Item:
File SizeFormat 
Relacaoentrehistorico_NewYork_2021.pdf1,99 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.