Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/49072
Title: Melhoria da qualidade e da segurança cirúrgica na linha de cuidado do paciente com fratura de fêmur
Authors: Garcia, Pedro Braga Linhares
Advisor: Sousa, Ana Carolina Patrício de Albuquerque
Keywords: Fêmur - cirurgia;Segurança do paciente;Gestão da qualidade em saúde;Fraturas do quadril
Issue Date: 21-Jun-2022
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GARCIA, Pedro Braga Linhares. Melhoria da qualidade e da segurança cirúrgica na linha de cuidado do paciente com fratura de fêmur. 2022. 63f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde) - Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2022.
Portuguese Abstract: Introdução: A Segurança do Paciente é um componente essencial da qualidade do cuidado. Um ciclo de melhoria deve analisar os dados a fim de traçar um plano de ação direcionado. Em 2018, o Ministério da Saúde no Brasil aprovou as Diretrizes para o Tratamento de Fratura de Colo do fêmur em idosos. Objetivo do estudo: Avaliar o nível de conformidade ao protocolo de cirurgia segura nos pacientes com fratura de fêmur, em um hospital de referência, antes e após um ciclo de melhoria. Método: Trata-se de um estudo de intervenção realizado no Hospital Regional do Sertão Central, Quixeramobim - CE para avaliar a conformidade ao protocolo de cirurgia segura nos pacientes com fratura de fêmur, antes e após um ciclo de melhoria. Durante 18 meses, os pacientes admitidos para realização de procedimento cirúrgico na linha do cuidado do fêmur foram avaliados quanto à conformidade aos protocolos. Foram excluídas as reoperações e os procedimentos sem incisão cirúrgica. Os dados foram coletados por meio de consulta às planilhas de gerenciamento de segurança, à lista de verificação de segurança cirúrgica (“checklist”) e ao prontuário. Foram também avaliados: infecção de sítio cirúrgico; readmissão hospitalar, reoperação e mortalidade nos primeiros 90 dias após internação; desfecho cirúrgico; tempo de permanência hospitalar; intervalo entre a fratura e admissão hospitalar; intervalo entre a admissão e a cirurgia. Os dados foram analisados mediante estatística e inferencial, considerando o intervalo de confiança de 95%. Resultados: Foram avaliados 550 protocolos. A maioria dos pacientes foi do sexo feminino (65,2%), com média de idade igual a 73,2±17,9 anos. Após o ciclo de melhoria, houve diminuição no número de ocorrência de infecção do sítio cirúrgico, readmissão hospitalar, óbito pósoperatório e reoperação, este último com significância estatística. A principal falha processual identificada foi referente à profilaxia antibiótica, com 82,6% de representação. Conclusão: O ciclo de melhoria implementado foi responsável por ajustes nos processos, gerando crescimento na conformidade ao protocolo de cirurgia segura de 60,1% para 92,9% e 90,6% nas amostras após o ciclo de melhoria, sendo esta diferença estatisticamente significativa. A melhoria na conformidade dos níveis de segurança cirúrgica pode mitigar os riscos de infecção de sítio cirúrgico e outros eventos relacionados como reinternações, reoperações e óbitos.
Abstract: Introduction: Patient Safety is an essential component of quality of care. An improvement cycle must analyze the data in order to devise a targeted action plan. In 2018, the Ministry of Health in Brazil approved the Guidelines for the Treatment of Neck Fracture of the Femur in the Elderly. Objective: To assess the level of compliance with the safe surgery protocol in patients with femur fracture, in a referral hospital, before and after an improvement cycle. Method: This is an intervention study carried out at Hospital Regional do Sertão Central, Quixeramobim - CE to assess compliance with the safe surgery protocol in patients with femoral fractures, before and after an improvement cycle. During 18 months, patients admitted for a surgical procedure in the line of femur care were evaluated for compliance with the protocols. Reoperations and procedures without surgical incision were excluded. Data were collected by consulting the safety management worksheets, the surgical safety checklist (“checklist”) and medical records. The following were also evaluated: surgical site infection; hospital readmission, reoperation and mortality in the first 90 days after admission; surgical outcome; length of hospital stay; interval between fracture and hospital admission; interval between admission and surgery. Data were analyzed using statistics and inference, considering the 95% confidence interval. Results: 550 protocols were evaluated. Most patients were female (65.2%), with a mean age of 73.2±17.9 years. After the improvement cycle, there was a decrease in the number of occurrences of surgical site infection, hospital readmission, postoperative death and reoperation, the latter with statistical significance. The main procedural flaw identified was related to antibiotic prophylaxis, with 82.6% representation. Conclusion: The improvement cycle implemented was responsible for process adjustments, generating growth in compliance with the safe surgery protocol from 60.1% to 92.9% and 90.6% in the samples after the improvement cycle, this difference being statistically significant. Improved compliance with surgical safety levels can mitigate the risks of surgical site infection and other related events such as readmissions, reoperations and deaths.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/49072
Appears in Collections:QUALISAÚDE - Mestrado Profissional Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde

Files in This Item:
File SizeFormat 
Melhoriaqualidadeseguranca_Garcia_2022.pdf1.47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.