Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/50618
Title: Alterações bucais em pacientes portadores de neoplasias malignas hematológicas
Authors: Trigueiro, Bruna Teixeira
Advisor: Silveira, Éricka Janine Dantas da
Keywords: Alterações bucais;Cuidados orais;Neoplasias malignas hematológicas;Cirurgião-dentista
Issue Date: 8-Dec-2022
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: TRIGUEIRO, Bruna Teixeira. Alterações bucais em pacientes portadores de neoplasias malignas hematológicas. Monografia. Orientador: Éricka Janine Dantas da Silveira. 2022. 46f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Odontologia) - Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2022.
Portuguese Abstract: Introdução: Pacientes portadores de neoplasias malignas hematológicas podem exibir alterações bucais decorrentes da própria neoplasia, ou do tratamento instituído e estas alterações podem comprometer o seu tratamento. Objetivo: O objetivo desta pesquisa foi analisar a frequência de alterações bucais em pacientes portadores de neoplasias malignas hematológicas desde o diagnóstico da doença, bem como durante o seu tratamento. Metodologia: Foi realizado um estudo de campo, retrospectivo, com amostragem de 43 pacientes internados durante os anos de 2021 e 2022 no setor de Oncohematologia do Hospital Universitário Onofre Lopes localizado na capital do estado do Rio Grande do Norte. A coleta de dados foi feita com base na ficha confeccionada para o presente estudo e os dados foram transferidos para uma planilha do Microsoft Excel, sendo posteriormente analisados e aplicado o Teste Exato de Fisher, adotando um nível de significância de 5% para todos os testes. Resultados: Dentre os 43 pacientes analisados, a maioria era do sexo masculino (62,8%) e com faixa etária entre 22 e 84 anos. O linfoma Não-Hodgkin, foi a neoplasia mais frequente (27.9%). A quimioterapia foi o tipo de tratamento mais realizado (62.8%), o óbito ocorreu em 44,2% dos casos e 72.1% dos pacientes desenvolveu algum tipo de alteração bucal, sendo as úlceras (30,2%), seguidas da candidose (25,6%), sangramento gengival (25,6%) e mucosite oral (23,3%) as mais frequentes. Foi evidenciada associação estatisticamente significativa entre tratamento quimioterápico e a presença de alterações bucais (p<0.05%), pois 81,2% dos pacientes que fizeram o uso desse tratamento apresentaram algum tipo de manifestação. Também foi possível observar associação entre alterações bucais e aumento do índice de morbidade desses pacientes, pois todos os pacientes que vieram a óbito do presente estudo, desenvolveram alterações bucais (p<0,0001). Conclusões: Os resultados sugerem que as alterações bucais foram frequentes nos pacientes portadores de neoplasias malignas hematológicas principalmente associadas à quimioterapia e dessa forma reforçam a necessidade de acompanhamento constante de um cirurgião-dentista para evitar que essas complicações interfiram na resposta do paciente ao tratamento.
Abstract: Introduction: Patients with hematological diseases can have oral manifestations due to the neoplasm itself or the treatment of choice, and this alterations can compromise it’s treatment. Objective: The objective of this research was to analyze the frequency of the oral manifestations in hematological diseases patients on a medical approach, since the diagnosis of the malignancie, through it’s treatment. Material and methods: This is a retrospective study, with a sample of 43 patients hospitalized during the period of 2021 and 2022 on the Oncohematological department of the Hospital Universitário Onofre Lopes, in Rio Grande do Norte. The data research was made based on a formulary and it’s data was transferred to a spread sheet on Microsoft Excel and posterly being analyzed by a statistic program called Statistical Package for Social Sciences (SPSS 20.0 version for Windows; SPSS Inc., Chicago, IL, USA). Results: On the 43 analyzed patients, male gender was the majority (62,8%) with age between 22 and 84 years. The Non-Hodgkin lymphoma was the more common neoplasm (27.9%). Chemoterapy was the chosen treament on 62.8% of the cases, death occurred on 44.2% of the cases and 72.1% of the patients developted some type of oral alteration, where ulcer (30,2%), followed by candidiasis (25,6%), gingival bleeding (25,6%) and mucositis (23,3%) were the more prevalent. The straight relation of chemoterapy and the presence of oral manifestations can be observed, where 81,2% of the patients who have been exposed to this treatment showed some type of oral manifestation. The correlation of this manifestations and the increase of mortality rate could be observed too, where all of the patients who died, developted some type of oral alteration. Conclusion: The results suggests that oral manifestations were more prevalent on patients with hematological malignancies who had chemotherapy as treatment of choice, reinforcing the need of constant dentist assistance to avoid and prevent that these complications interfere on the patient response to the neoplasic treatment.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/50618
Appears in Collections:CCS - TCC - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC_Bruna_Repositório.pdf830,52 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons