Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/57986
Title: Entre telas e conexões: uma proposta de cuidado antimanicomial no contexto pandêmico (2020 - 2023)
Other Titles: Between screens and connections: a proposal for anti-asylum care in the pandemic context (2020 - 2023)
Authors: Campelo, Camila Barbosa
Advisor: Londero, Mário Francis Petry
Keywords: Acompanhamento terapêutico;Pandemia;Saúde mental;Distanciamento social;Clínica
Issue Date: 7-Jun-2023
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CAMPELO, Camila Barbosa. Entre telas e conexões: uma proposta de cuidado antimanicomial no contexto pandêmico (2020 - 2023). Orientador: Dr. Mário Francis Petry Londero. 2023. 123f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2023.
Portuguese Abstract: A presente pesquisa se configura na intenção de rememorar e compartilhar experiências de Acompanhamento Terapêutico (AT) exercido de forma híbrida, com encontros virtuais e presenciais, no contexto do distanciamento social ocorrido no advento da pandemia do novo coronavírus e após. O encontro com dois convivas do Centro de Convivência e Cultura de Natal (CECCO), os quais chamamos de Inventores, Coragem e Viagem - numa referência a seus modos de estar no mundo - é a base que funda esta proposta construída em cooperação, espaço de convocação provocadora de deslocamentos e invenções, tendo em vista as outras vias de escuta mobilizadas para além do modelo da psicoterapia demandada inicialmente pelo serviço. Orientada pela teoria e prática do AT como clínica-política-antimanicomial, utilizou- se como método a produção de narrativas cartográficas, a partir dos registros do vivido feitos em diários de campo nomeados Diários de Andanças, almejando explorar as possibilidades de reinvenção de uma clínica antimanicomial frente ao contexto pandêmico. As experiências de AT narradas apontam para a abertura dos espaços relacionais diante dos efeitos de intensificação do sofrimento trazidos pelo isolamento social e restrição do acesso aos serviços de saúde mental, falam da potência da invenção de novos modos de escuta da singularidade diante das prisões operadas pela medicalização e silenciamento do sofrimento. Neste exercício de coabitação do AT, surge a capacidade de delimitar o Outro e cavar lugar para o sujeito singular e se coloca na ordem do dia a urgência da luta pela efetivação da Rede de Atenção Psicossocial sucateada pelo sistema capitalista à serviço da lógica neoliberal. O contato do AT com a RAPS de Natal aparece como agente desinstitucionalizante, confirmando-se a necessidade de seu lugar permanente na rede, para além dos projetos universitários e conectado com as demandas urgentes dos trabalhadores da saúde da cidade.
Abstract: The present research is based on the intention of remembering and sharing experiences of Therapeutic Accompaniment (TA) practiced in virtual and face-to-face meetings, during and after the advent of the pandemic crises. The meeting with two convivas of the Centro de Convivencia e Cultura de Natal (CECCO), that we named Inventores, Coragem and Viagem - in a reference to their ways of being in the world – is the foundation of this cooperative investigation, space of provocative summons of displacements and inventions, having in mind other ways of mobilized listening, beyond the psychotherapy model initially demanded by the service. Guided by the theory and practice of TA as a clinical-political-anti- asylum, used the production of cartographic narratives as a method, based on the records of the lived made in field diaries, named Diários de Andanças, aiming to explore the possibilities of reinvention of an anti-asylum clinic in the pandemic context. The experiences of TA shared with the reader point to the opening of relational spaces in the face of the effects of intensification of suffering brought by social isolation and restriction of access to mental health services, and speak of the power of the invention of new ways of listening to the singularity before the prisons operated by the medicalization and silencing of suffering. The ability to delimit the Other and carve out a place for the singular subject, flourish through this exercise of cohabitation of the TA, which makes the struggle for the effectiveness of the Rede de Atenção Psicossocial, that was scrapped by the capitalist system in service of neoliberal logic, imperative by the day. The contact of the TA with the RAPS of Natal appears as a deinstitutionalizing agent, confirming the need for its permanent place in the mental healthcare network, beyond the university projects and connected with the urgent demands of the city's health workers.
URI: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/57986
Appears in Collections:PPGPSI - Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File SizeFormat 
Entretelasconexoes_Campelo_2023.pdf2,1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.