Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12103
Título: Relações interorganizacionais e eficiência coletiva: um estudo de caso no arranjo produtivo local de confecções do Agreste de Pernambuco
Autor(es): Souza, Iêda Isabella de Lira
Palavras-chave: Arranjo produtivo local;Redes sociais;Eficiência coletiva;Local productive arrangement;Social networks;Collective efficiency
Data do documento: 20-Ago-2008
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SOUZA, Iêda Isabella de Lira. Relações interorganizacionais e eficiência coletiva: um estudo de caso no arranjo produtivo local de confecções do Agreste de Pernambuco. 2008. 139 f. Dissertação (Mestrado em Políticas e Gestão Públicas; Gestão Organizacional) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.
Resumo: This work is a study in the Local Productive Arrangement of confections from Agreste of Pernambuco, as a relevant sector in economic and social aspect. This research has as central aim to understand how the inter-organizational relations influence the collective efficiency of arrangement. The theoretical framework employed highlights the approaches that deal with the benefits of business agglomeration for the develop­ment of firms and regions. It has discussed the approach of small and medium enter­ prises and industrial districts (SCHMITZ, 1997), which introduce the concept of col­ lective efficiency, explaining that only those externalities explained by Marshall (1996) are not sufficient to explain the competitive advantage of enterprises, expand­ing the idea that organizations achieve competitive advantage not acting alone. To examine the influences of relations in the collective efficiency, it has been taken as analytical perspective theory of social networks (GRANOVETTER, 1973, 1985; BURT, 1992; UZZI, 1997) because it has believe that this approach provides subsi­ dies for a structural analysis of social relationships in face the behavior of human ac­tion. By examining the organizations in a social network, you should understand the reason of this establishment of the relationship, their benefits, and as the information flow takes place and density of links between the actors (Powell; SMITH-DOERR, 1994). As for the methods, this study is characterized as a case study, in according to the purposed objectives, in addition to qualitative method. Also, due to recovering of the historical milestones of the arrangement, it is used a sectional approach with longitudinal perspective (VIEIRA, 2004). The primary and secondary data were used in order to understand the evolutionary process of the sector and their inter-actors re­ lationships in the arrangement for the promotion of development, for both, was used the contend and documentary analysis technique, respectively (DELLAGNELO ; SIL­VA, 2005). The approach of social networks has permitted understand that social re­lationships may extend the collective efficiency of the arrangement, and therefore need to develop policies that encourage the legalization of informal companies in ar­rangement, by showing up themselves representative. Thus, the relations estab­ lished in LPA of confections from Agreste of Pernambuco need for more effective mechanisms to broaden the collective efficiency. Therefore, this way as take place has directly benefited only a group of companies that are linked in some way the sup­portive institutions. So we can conclude that the inter-actor relations have limited the collective efficiency of LPA, being stimulated by the institutions in support only to groups of entrepreneurs, even those that produce external relations for all clustered companies
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho consiste em um estudo no Arranjo Produtivo Local de confecções do Agreste de Pernambuco, por ser um setor relevante no aspecto econômico e social. O estudo tem como objetivo central compreender como as relações interorganizacionais influenciam na eficiência coletiva do arranjo. O referencial teórico utilizado contempla as abordagens que tratam dos benefícios das aglomerações empresariais para o desenvolvimento das firmas e de regiões. Em especial discute a abordagem das pequenas e médias empresas e distritos industriais (SCHMITZ, 1997), que introduz o conceito de eficiência coletiva, explicando que somente as externalidades explicadas por Marshall (1996) não são suficientes para elucidar a vantagem competitiva das empresas, ampliando a concepção de que as organizações não alcançam vantagem competitiva agindo isoladamente. Para analisar as influências das relações na eficiência coletiva tomou-se como perspectiva analítica a teoria de redes sociais (GRANOVETTER, 1973; 1985; BURT, 1992; UZZI, 1997) por entender que tal abordagem proporciona subsídios para uma análise estrutural das relações sociais frente aos comportamentos da ação humana. Ao analisar as organizações numa rede social, deve-se compreender o porquê do estabelecimento da relação, seus benefícios, e como ocorre o fluxo de informações e a densidade dos elos entre os atores (POWELL; SMITH-DOERR, 1994). Quanto aos métodos, este estudo se caracteriza como um estudo de caso, em consonância com os objetivos propostos utilizou-se como abordagem o método qualitativo, e em função do resgate dos marcos histórico do arranjo, utilizou-se uma abordagem seccional com perspectiva longitudinal (VIEIRA, 2004). Os dados primários e secundários foram utilizados de forma a compreender o processo evolutivo do setor, bem como as relações inter-atores no arranjo para a promoção do desenvolvimento, para tanto, utilizou-se da técnica de análise de conteúdo e documental, respectivamente (DELLAGNELO; SILVA, 2005). A abordagem das redes sociais permitiu entender que as relações sociais podem ampliar a eficiência coletiva do arranjo, para tanto, precisa-se de mudanças nas políticas institucionais em promover a integração entre os atores econômicos, fato que, de certa forma, se mostra desafiador para o SEBRAE tanto do ponto de vista da governança entre os atores, como para a capacitação de recursos que pudessem ampliar as suas ações no APL. Pois, da maneira como as relações ocorrem, beneficiam diretamente apenas um grupo de empresas que estão ligadas de alguma forma as instituições de apoio. Portanto, pode-se concluir que as relações inter-atores têm limitado a eficiência coletiva do APL, por serem estimuladas pelas instituições de apoio apenas a grupos de empresários, mesmo que essas relações produzam externalidades para todas as empresas aglomeradas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12103
Aparece nas coleções:PPGA - Mestrado em Administração

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IedaILS.pdf795,77 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.