Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12145
Título: Coevolução e as práticas isomórficas de gestão: um estudo sobre os processos de mudanças institucionais no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN
Autor(es): Silva, Maria Emília Santos Ferreira da
Palavras-chave: Co-evolução;Práticas isomórficas;Relação de interdependência;Co-evolution;Isomorphic practices;Interdependence relations
Data do documento: 18-Jun-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Maria Emília Santos Ferreira da. Coevolução e as práticas isomórficas de gestão: um estudo sobre os processos de mudanças institucionais no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN. 2010. 147 f. Dissertação (Mestrado em Políticas e Gestão Públicas; Gestão Organizacional) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: The Federal Institution for Education, Science and Technology, in its historical path, has been living different changes. The transformations occurred along the way have been determined by coercive forces from the institutional environment, which has became more and more broad and complex throughout the time, obtaining diverse characteristics and new elements such as non institutional factors1 which started to contribute with the other changes. In this context, this work aims to study the isomorphic practices of the managers in the institutional changes process of the IFRN in 1998 and 2008, as of a theoretical coevolutionary perspective (CHILD; RODRIGUES; LEWIN; CARROL; VOLBERDA, 2003). This theory brings a new point of view for the organization analysis to the organizational studies, since it offers a non deterministic and non linear lection of the evolution process, which means, a coevolution. Thus, the organizations and their institutional and non institutional environment auto evolve, auto organize and auto reproduce. Therefore, the institutional and non institutional factors of the macro environment keep a continuous interdependence relationship with the organizations. For the means of this study, it is important to understand that is impossible to comprehend the object, the isomorphic practices, without considering that the previous institutional changes and its evolutions, its continuations and discontinuations, important in the coevolution process. As such, to call upon the institutional historical track is a fundamental aspect to materialize this study, for the recursive movement is indeed present in the coevolution. Another important point to make this research effective is that it is not possible to abdicate from the hologramatic view2 of this study, which considers the object, the isomorphic practices, part of the whole and this whole is also in the parts, therefore it is impossible to comprehend the object of study outside the context where it belongs. With this, as of the objective previously proposed, it is necessary to describe the characteristics of coevolution of the institutional changes related in 1998 and 2008; analyze the dynamic of the isomorphic mechanisms in its respective institutional change process; and describe the lessons learned which the isomorphic practices left to the IFRN, regarding its benefits and difficulties. All these transformations happened through coercive forces3 of the institutional environment. As of the Nineties, these forces became stronger, the environment became broader and more complex, with the emergency of new environmental factors. This study proposed to study the managing process and its practices, related to the micro environment, although it is required to articulate these actions, the demands and requirements from the macro environment. To make this research effective, semi structured interviews have been conducted with the managers who participated in both institutional change processes. In the results analysis, it has been possible to verify the particularity of each change, the one from 1998 with a strong normative action of the managers against coercive forces from the government for the search of recognition and the institutional legitimation and the one in 2008, which has been characterized by the normative action by managers in agreement with the coercive forces from the government, in favor of the government policy for the technological professional education. However, the results analysis it is possible to notice the evidence of a belonging feeling from the interviewed managers
metadata.dc.description.resumo: O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, em sua trajetória histórica, tem vivenciado diversas mudanças. As transformações ocorridas ao longo do tempo foram determinadas por forças coercitivas do ambiente institucional, que ao longo do tempo foi se tornando complexo e amplo, adquirindo características diversas e novos elementos como os fatores não-institucionais1 que passaram a contribui com as demais mudanças. Nesse contexto, este trabalho objetiva estudar as práticas isomórficas dos gestores nos processos de mudanças institucionais no IFRN nos períodos de 1998 e 2008, partindo de uma perspectiva teórica coevolutiva (CHILD; RODRIGUES; LEWIN; CARROL; VOLBERDA, 2003). Essa teoria traz para os estudos organizacionais uma nova ótica de análise das organizações, pois oferece uma leitura não determinista e não linear do processo de evolução, significando uma co-evolução. Nesse sentido as organizações e seus ambientes institucionais e não institucionais se autoevoluem, se autoorganizam e se autoreproduzem. E, dessa forma, os fatores institucionais e os não-institucionais do ambiente macro mantêm uma relação de interdependência contínua com as organizações. Para fins desse estudo, se faz importante entender que é impossível compreender o objeto, as práticas isomórficas, sem considerar as mudanças institucionais anteriores e suas evoluções, suas continuidades e descontinuidades, importantes no processo coevolutivo. Para tanto, recorrer à trajetória histórica institucional é um aspecto fundamental para a concretização do estudo, pois o movimento recursivo faz-se presente na coevolução. Outro aspecto é que não se pode abdicar da visão de hologramática2, que considera o objeto, as práticas isomórficas, parte constituinte de um todo e que esse todo, também está nas partes, sendo impossível compreender o objeto, descolado do contexto do qual faz parte. Com esse entendimento, partindo do objetivo proposto, é necessário, descrever as características de co-evolução das mudanças institucionais referentes aos períodos de 1998 e 2008; analisar a dinâmica dos mecanismos isomórficos nos respectivos processos de mudança institucional; e descrever o aprendizado que as práticas isomórficas deixaram para o IFRN. Todas essas transformações se deram por forças coercitivas3 do ambiente institucional. A partir da década de 90 essas forças se intensificaram, o ambiente se tornou mais amplo e complexo, com a emergência de novos fatores ambientais. No entanto, propõe-se estudar o processo de gestão e suas práticas, referentes ao ambiente micro, embora necessite articular essas ações, às demandas e exigências do ambiente macro. Para a efetivação da pesquisa foram feitas entrevistas semi-estruturadas com os gestores que participaram dos dois processos de mudanças institucionais. Nas análises dos resultados foram constatadas as particularidades de cada mudança, a de 1998 com uma forte ação normativa dos gestores contra as forças coercitivas do Estado na busca do reconhecimento e legitimidade institucional e a de 2008, que se caracterizou pela ação normativa dos gestores em consonância com as forças coercitivas do Estado, em favor da política do governo para a educação profissional tecnológica. Na análise dos resultados percebe-se a evidência de um sentimento de pertencimento por parte dos gestores entrevistados
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12145
Aparece nas coleções:PPGA - Mestrado em Administração

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaESFS_DISSERT.pdf1,51 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.