Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12273
Título: Twitter e ciberativismo: o movimento social da hashtag #ForaMicarla em Natal-RN
Autor(es): Silva, Raquel Souza da
Palavras-chave: twitter;ciberativismo;hashtag;cultura política;identidade;esfera pública;twitter;cyber activism;hashtag;political culture;identity;public sphere
Data do documento: 27-Abr-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Raquel Souza da. Twitter e ciberativismo: o movimento social da hashtag #ForaMicarla em Natal-RN. 2012. 142 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The spatial and temporal fluidity conditioned by the technologies of social interaction online have been allowing that collective actions of protest and activism arise every day in cyberspace - the cyber-activism. If before these actions were located in geographical boundaries, today's demands and mobilizations extrapolate the location, connect to the global, and at the same time, return to the regional through digital virtuality. Within this context of the relationship between digital technology and global flow of sociability, emerges in October 2010 the social movement of the hashtag "#ForaMicarla", which means the dissatisfaction of cibernauts from Natal of Twitter with the current management of the municipality of Natal-RN, Micarla de Sousa (Green Party). We can find in the center of this movement and others who appeared in the world at the same time a technological condition of Twitter, with the hashtag "#". Given this scenario, this research seeks to analyze how the relationship of the agents of movement hashtag "ForaMicarla", based on the principle that it was formed in the Twitter network and is maintained on the platform on a daily basis, it can create a new kind of political culture. Thus, this study discusses theoretically the importance of Twitter and movements that emerge on the platform and through it to understand the social and political demands of the contemporary world and this public sphere, which now seems to include cyberspace
metadata.dc.description.resumo: A fluidez espacial e temporal condicionada pelas tecnologias online de interação social vem possibilitando que ações coletivas de protesto e ativismo surjam a cada dia no ciberespaço o ciberativismo. Se antes essas ações estavam localizadas em fronteiras geográficas, hoje as reivindicações e mobilizações extrapolam o local, conectam-se ao global e, ao mesmo tempo, retornam ao regional por meio da virtualidade digital. Dentro desse contexto da relação entre tecnologia digital e fluxo de sociabilidade global, surge em outubro de 2010 o movimento social da hashtag #ForaMicarla , que significa a insatisfação dos cibernautas natalenses do Twitter com a atual gestão da prefeitura da cidade de Natal RN, Micarla de Sousa (Partido Verde). Podemos encontrar no centro desse movimento e de outros que surgiram no mundo na mesma época uma condição tecnológica do Twitter, a hashtag # é o símbolo # seguido de uma palavra ou frase. É usada pelos cibernautas como forma de marcar assuntos na plataforma. Partindo desse cenário, esta pesquisa busca analisar como a relação dos agentes do movimento da hashtag #ForaMicarla , tendo como princípio que ele foi formado em rede no Twitter e é mantido na plataforma de forma cotidiana, pode criar um novo tipo de cultura política. Assim, esta pesquisa problematiza teoricamente a importância do Twitter e dos movimentos que emergem na plataforma e através dela para compreender as reivindicações sociais e políticas do mundo contemporâneo e dessa esfera pública, que agora parece incluir o ciberespaço
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12273
Aparece nas coleções:PPGAS - Mestrado em Antropologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RaquelSS_DISSERT.pdf3,55 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.