Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12287
Título:  Okupar, resistir, insistir : uma etnografia das práticas de ocupação urbana Fortaleza / Ceará
Autor(es): Lima, Andressa Lidicy Morais
Palavras-chave: Antropologia urbana. Etnografia. Movimento Okupa;Urban anthropology. Ethnography. Movement Okupa
Data do documento: 14-Dez-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: LIMA, Andressa Lidicy Morais. Okupar, resistir, insistir : uma etnografia das práticas de ocupação urbana Fortaleza / Ceará. 2012. 168 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The objective of this dissertation is understand the relationships built between subjects who occupy buildings in a state of abandonment to revitalize them - called okupas, noting which individuals construct such meanings on the practice of occupation and how to organize the construction and maintenance of a collective life project. Having the Okupa Squat Torém, located in the neighborhood of Fatima in the southern city of Fortaleza-CE, as locus and observed through the ethnographic method, followed the social practices of urban segment. I invested in a data collection revealed that the custom of okupas and their domestic habits, inside and outside of okupa, emphasizing the interaction situations, like most appropriate occasions to observe the constant negotiation and refinement of his cunning to intervene in the city . Among the objectives of this research, the main thing is to observe which senses are assigned to the practice of the occupation by okupas. For this, reflecting from the specifics of this urban phenomenon and talking mostly with the tradition of research in the field of anthropology, I tried to address some issues regarding the practice of okupação and organization of the group, which the principles and movements that make these contacts with city etc. The appropriation made by the subjects on the urban space here means understanding them as a cultural expression of a number of collective values, resulting from experience and perception of okupas like themselves. The intention is to show how this practice intervention and collective action has appeared in contemporary times and how my ethnography can contribute to a dialogue on the practices of mobilization and update of the city, considering the Theory of Recognition Axel Honneth (2003) as an analytical category useful to describe the forms of reciprocity experienced by okupas
metadata.dc.description.resumo: O objetivo dessa dissertação é compreender as relações construídas entre sujeitos que ocupam prédios em estado de abandono para revitalizá-los - chamados okupas, observando quais significados tais indivíduos constroem sobre a prática de ocupação e de que modo se organizam para a construção e manutenção de um projeto de vida coletivo. Tendo a Okupa Squat Torém, localizada no bairro de Fátima na zona sul da cidade de Fortaleza-CE, como lócus observado e através do método etnográfico, acompanhei as práticas sociais desse segmento urbano. Investi numa coleta de dados que revelasse o costume dos okupas e seus hábitos domésticos, dentro e também fora da okupa, dando relevo a situações de interação, a exemplo de ocasiões mais adequadas para observar a negociação constante e o requinte de sua astúcia para intervir na cidade. Dentre os objetivos dessa pesquisa, o principal é observar quais sentidos são atribuídos a prática da ocupação pelos okupas. Para isso, refletindo a partir das especificidades desse fenômeno urbano e dialogando principalmente com a tradição de pesquisas nesse campo da Antropologia, procurei abordar algumas questões relativas a prática da okupação e a organização do grupo, quais os princípios e os movimentos que esses interlocutores fazem com a cidade e de onde parte a sua prática em relação com as questões que fundamentam suas intervenções. A apropriação feita pelos sujeitos sobre o espaço urbano significa aqui compreendê-los como expressão cultural de uma série de valores coletivos, fruto da vivência e percepção dos próprios okupas. A intenção é mostrar como essa prática de intervenção e ação coletiva tem se apresentado na contemporaneidade e de que maneira minha etnografia pode contribuir para um diálogo sobre as práticas de mobilização e atualização da cidade considerando ainda a Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth (2003) como uma categoria analítica útil para descrever as formas de reciprocidade vivenciadas pelos okupas
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12287
Aparece nas coleções:PPGAS - Mestrado em Antropologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AndressaLML_DISSERT.pdf3,12 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.