Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12428
Título: O ouro branco abre caminho: o algodão e a modernização do espaço urbano da Cidade da Parahyba (1850-1924)
Autor(es): Guedes, Kaline Abrantes
Palavras-chave: Urbanismo;Modernização urbana;Parahyba;Economia algodoeira;História urbana;Urbanism;Urban modernization between 1850-1924;Cotton economy;Urban history of Parahyba
Data do documento: 23-Jun-2006
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GUEDES, Kaline Abrantes. O ouro branco abre caminho: o algodão e a modernização do espaço urbano da Cidade da Parahyba (1850-1924). 2006. 165 f. Dissertação (Mestrado em Conforto no Ambiente Construído; Forma Urbana e Habitação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2006.
Resumo: The present research deals with the modernization process of the Cidade da Parahyba2, between 1850 and 1924, and its relation with the cotton economy, which represented the main source of wealth accumulation for both the private and the public sectors throughout the First Republic. This study on urban history was developed by focusing on the understanding of the city s spatial formation, and despite its emphasis on the economic aspects involved, other factors that also contribute to the development of the social life were not put aside. The modernization process of the Cidade da Parahyba was also analyzed during the period established for the study according to a chronological and thematic approach that established comparisons with the financial situation of the State, whenever this was necessary, with special attention to the contribution of the cotton economy to the State´s revenues. It was possible to detect a lack of financial help and loans from the federal and municipal administrations for finishing several public works already underway in the capital, since the federal funds allocated to the State of Parahyba do Norte were rather employed in emergency works against droughts and in agricultural development. One can then conclude that the financial resources required for the urban interventions were withdrawn from the State s treasury itself, resources that were collected mainly from activities such as cotton exportation and cotton trading. Another factor shows the interdependence between the urban remodeling and the cotton economy: during the years marked by great droughts or by hard plagues on the cotton plantations, cotton production decreased, as well as the State s finances. The first measures taken by the State s administrators were to halt all projects of urban remodeling in progress in the Cidade da Parahyba, which was, clearly, the most privileged city by the State s presidents during the period analyzed. 2 The city of João Pessoa was named Cidade da Parahyba, a designation that remained until September 1930, when it received its present-day name in order to pay homage to the president of the State, João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, murdered in the city of Recife in August of that same year. At that time, the State of Paraíba was known as Parahyba do Norte. Since this work is limited to a period of time comprised within the First Republic, the names employed respect the terms used in those days
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação enfatiza a modernização urbana da Cidade da Parahyba1, entre os anos de 1850 e 1924, e a sua relação com a economia algodoeira, fonte principal de acumulação de riqueza pública e particular do Estado da Parahyba do Norte durante toda a Primeira República. Esse estudo de história urbana desenvolveu-se através de uma perspectiva historiográfica de compreensão da formação espacial. Apesar da ênfase sob o aspecto econômico, os outros fatores que contribuem conjuntamente na formação da vida em sociedade não foram deixados à parte. O processo de modernização da Cidade da Parahyba, no período em questão, também foi analisado segundo uma lógica cronológica e temática estabelecendo-se, sempre que necessário, uma comparação direta com a situação financeira vivenciada pelo Estado, observando-se, especificamente, a participação do algodão nessa receita. Constatou-se a inexistência de empréstimos e de auxílios federais e municipais para a concretização das diversas obras empreendidas na capital os auxílios federais destinados à Parahyba do Norte foram utilizados em obras emergenciais de combate à seca e de desenvolvimento agrícola -, donde se conclui que foram utilizados recursos do próprio tesouro estadual, que em sua maioria provinham dos impostos arrecadados sobre a exportação e comercialização do algodão no Estado. Além desse fator, um outro demonstrou a interdependência entre a remodelação urbana e a economia algodoeira: o fato de que, nos anos de grande seca ou de acentuado ataque de pragas nos algodoais, reduzia-se sua produção e, em conseqüência, os números de receita. Diante de tais circunstâncias, a primeira atitude tomada pelos administradores estaduais era a suspensão dos serviços de remodelamento da cidade da Parahyba, declaradamente privilegiada pelos presidentes estaduais do período em análise. 1 A cidade de João Pessoa se chamava Cidade da Parahyba e assim ficou conhecida até setembro de 1930, quando teve seu nome alterado em homenagem ao presidente do Estado, João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, assassinado na cidade do Recife, em agosto do referido ano. Nesse período, o Estado da Paraíba era conhecido por Parahyba do Norte. Como este trabalho tem sua delimitação temporal dentro do período compreendido pela Primeira República, optou-se por utilizar a denominação da época
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/12428
Aparece nas coleções:PPGAU - Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KalineAG.pdf1,94 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.