Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13082
Título: Hidroquímica do estuário do Rio Caravelas, Caravelas - BA
Autor(es): Dávalos, Pablo Bezerra
Palavras-chave: nutrientes;balanço de propriedade;sistema carbonato;pH;Oxigênio dissolvido
Data do documento: 15-Mar-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: DÁVALOS, Pablo Bezerra. Hidroquímica do estuário do Rio Caravelas, Caravelas - BA. 2012. 145 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
metadata.dc.description.resumo: Os estuários são corpos de água importantes no transporte de nutrientes para a zona costeira,e em suas proximidadesse desenvolvematividades humanas que vem resultando em alterações químicas dos ambientes costeiros. Inserido na área de manguezal do Parque Nacional de Abrolhos, o estuário do rio Caravelas pode estar influenciando a zona costeira e os recifes internos do parque. Assim, com o objetivo de compreender a hidroquímica do estuário do rio Caravelas foram determinadas atemperatura, salinidade, pH, alcalinidade total (AT), estado de saturação da aragonita (ΩArag) e calcita (ΩCalc), saturação do oxigênio dissolvido (Sat.OD), material em suspensão (Seston), clorofila a (Cl-a), nitrogênio oxidado (nitrato e nitrito) (NO), amônia (NH3), sílicato(Si) e fosfato total (PT) e inorgânico dissolvido (PID) no sistema estuarino do rio Caravelas, bem como dados da corrente (intensidade e direção). Foram realizadas amostragens temporais e longitudinais. As amostragens temporais foram realizadas em um ponto de amostragens durante um ciclo completo de maré, meso-maré semi-diurna, a intervalos de 1h. As amostragens longitudinais foram realizadas em três estações ao longo do estuário realizadas durante as estofas de preamar e baixa-mar e cada ciclo de maré. Ambas as amostragens foram realizadas nos ápices dos regimes de maré de sizígia e de quadratura nas estações seca e chuvosa, agosto de 2007 e janeiro de 2008, respectivamente. Durante as amostragens temporais foram medidos dados de corrente para a determinação dos fluxos e balanços de propriedades. Além disso, foram determinadas as mesmas propriedades em um ponto na zona costeira (6 km além da boca do estuário) e no tributário dulcícolo (rio do Cupido). Os valores na amostragem longitudinal foram de: Temperatura (ºC)26,74±1,80, Salinidade 33,50 ±2,19, pH7,86 ±0,31, AT (mM) 2,38 ±0,30, ΩArag (%)3,02±1,87, ΩCalc (%)4,61±2,87,Sat.OD (%)78,11±11,69, PID (μM)0,23 ± 0,12, PT (μM)0,99±0,94, NO (μM)46,43±10,42, NH3 (μM)3,49±8,31, Si(μM)15,67±6,71, Cl-a (μg/L)2,94 ± 3,00 e Seston(mg/L)59,34±41,55. As massas calculadas no balanço anual foram: Sal (Mg ano-1) 2,98 x 105, TA (Mmol ano-1) 0,70, CO3 2-(Mmol ano-1) 1,63 x 10-3, HCO3 -(Mmol ano-1) 1.91 x 10-2, PID (Mmol ano-1) 1,74, PT(Mmol ano-1) 28.21, NO (Mmol ano-1) 428,10, NH3(Mmol ano-1) 5,14, Si (Mmol ano-1) 1,23 e Seston (Gg ano-1) 2,04, os valores positivos indicam exportação de propriedade pelo sistema estuarino. As razões N/P indicam uma forte limitação por P. As baixas concentrações de nutrientes e clorofila-a indicam que o sistema é oligotrófico. No balanço de propriedade, as exportações de todas as variáveis apresentaram valores pouco representativos no cenário global dos ciclos biogeoquímicos, mas o aporte de substâncias e a proximidade com os recifes internos do Parque Nacional de Abrolhos indicam uma provável influência destas substâncias nestes recifes
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13082
Aparece nas coleções:PPGCB - Mestrado em Ciências Biológicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PabloBD_DISSERT.pdf2,15 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.