Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13152
Título: Caracteristicas sodiodemogáficas, ocupacionais e de saúde na avaliação da qualidade de vida de professores da rede municipal de Natal/RN
Autor(es): Fernandes, Marcos Henrique
Palavras-chave: Qualidade de vida;docentes;saúde do trabalhador
Data do documento: 29-Jul-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: FERNANDES, Marcos Henrique. Caracteristicas sodiodemogáficas, ocupacionais e de saúde na avaliação da qualidade de vida de professores da rede municipal de Natal/RN. 2009. 110 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
metadata.dc.description.resumo: Objetivo: Analisar as características sociodemográficas, ocupacionais e de saúde clínica/comportamental, e o impacto desses fatores na avaliação da qualidade de vida de professores da rede municipal de Natal/RN. Métodos: Estudo descritivo-analítico com corte transversal e amostra de 242 docentes. Foram utilizados os questionários Whoqol-breve e nórdico, além de questões referentes ao trabalho do Job Content Questionnaire (JCQ). Os dados foram submetidos à análise estatística com nível de significância p<0,05, sendo utilizada a regressão logística binária, para análise de fatores hierarquicamente agrupados. Resultados: O domínio físico apresentou maior comprometimento entre os professores com trabalho de alta exigência (p=0,043), com mais de 02 diagnósticos de doenças (p < 0,001), atividade física inadequada (p= 0,001) e com sintomas osteomusculares (p=0.025); o domínio psicológico entre os docentes com trabalho de alta exigência (p=0,043), com carga horária maior que 28 horas semanais (p=0,034), com mais de 02 doenças (p=0,012) e que praticavam atividade física inadequadamente (p< 0,001); o de relações sociais com tempo de trabalho inferior/igual a 18 anos (p=0,036) e que residiam em bairro diferente do que trabalhavam (p=0,027); e, por último, o domínio meio ambiente apresentou maior comprometimento entre os docentes com carga horária superior a 28 horas semanais (p=0,025), que exerciam a atividade com tempo inferior/igual a 18 anos (p=0,013) e com sintomas osteomusculares (p= 0,002). Conclusões: Os professores apresentaram uma avaliação comprometida da qualidade de vida e do seu estado de saúde, tendo as atividades laborais desenvolvidas por esse grupo de trabalhadores um impacto importante sobre os resultados demonstrados. Tais achados podem comprometer a efetivação da proposta das escolas promotora de saúde
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13152
Aparece nas coleções:PPGCSA - Doutorado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MarcosHF.pdf5,69 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.