Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13369
Título: Eficácia do treinamento de força sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos em adultos sedentários
Autor(es): Cabral, Carlos Ernani de Araujo Tinoco
Palavras-chave: Rigidez arterial;Proteína C-reativa ultrassensivel;Treinamento de força muscular;Antropometria;Atividade física;Arterial stiffness;High-sensitive C-reactive protein;Strength training;Anthropometry;Physical activity
Data do documento: 16-Mar-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CABRAL, Carlos Ernani de Araujo Tinoco. Eficácia do treinamento de força sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos em adultos sedentários. 2012. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: This study aimed to determine the influence of strength training (ST), in three weekly sessions over ten weeks, on cardiovascular parameters and anthropometric measurements. It is a before and after intervention trial, with a sample composed of 30 individuals. Participants were adults aged between 18 and 40 years, from both sexes and sedentary for at least three months previously. Tests were computed ergospirometry, CRP, PWV and body composition (dependent variables) before and after the experiment. Independent variables, age and sex, were considered in order to determine their influence on the dependent variablesevaluatedend. By comparing the initial cardiovascular parameters with those obtained after intervention in patients undergoing the ST proposed (a Student s t-test was conducted within each group for samples matched to parameters with normal distribution, while the Wilcoxin was applied for those without), there was no significant difference in PWV(p =0469) or PCR(p =0.247), but there was an increase in anaerobic threshold(AT) (p=0.004) and Maximal Oxygen Uptake(VO2max) (p =0.052). In regard to anthropometric measures, individuals significantly reduced their body fat percentage (p<0.001) and fat mass (p<0,001), as well as increasing lean mass (p<0.001). However, no changes were recorded in the waist-to-hip ratio (WHR) (p= 0.777), body mass (p=0.226) or body mass index (BMI) (p =0.212). Findings of this study lead us to believe that the proposed ST, and did not increase the VOP or PCR improves cardiorespiratory capacity and body composition. Devotees of this training can therefore safely enjoy all its benefits without risk to the cardiovascular system
metadata.dc.description.resumo: O objetivo desse estudo foi verificar a influência do TF, com frequência de três sessões semanais e duração de dez semanas, sobre parâmetros cardiovasculares e antropométricos. Trata-se de um estudo de intervenção do tipo antes-depois, cuja amostra foi composta por 30 indivíduos. Os mesmos eram adultos com idade compreendida entre 18 e 40 anos, de ambos os sexos e sedentários há pelo menos três meses. Foram realizados os testes da ergoespirometria computadorizada, PCR, VOP e composição corporal (variáveis dependentes), antes e logo após o experimento. As variáveis independentes, idade e sexo, foram aferidas no sentido de verificar seus efeitos sobre as variáveis dependentes avaliadas. Ao comparar os parâmetros cardiovasculares iniciais com os obtidos após a intervenção nos indivíduos submetidos ao TF proposto(através dos testes t de Student para amostras emparelhadas para os parâmetros que tiveram distribuição normal e para os que não a possuíram, o Wilcoxon), não houve diferença significativa nem na VOP (p =0.469) nem na PCR (p=0,247), porém houve aumento no Limiar Anaeróbio (LA) (p=0,004) e no consumo máximo de oxigênio (VO2máx) (p=0,052). Em relação às medidas antropométricas, os indivíduos diminuíram significativamente o percentual de gordura (p<0,001) e a massa de gordura (p<0,001), aumentaram a massa livre de gordura (p<0,001), porém não alteraram a relação cintura-quadril (RCQ) (p= 0,777), massa corporal (p=0,226) nem o índice de massa corporal (IMC) (p =0,212). Os achados do presente estudo nos levam a crer que o TF proposto, além de não aumentar a VOP nem a PCR, melhora a capacidade cardiorrespiratória e a composição corporal. Portanto, os adeptos de tal treinamento podem usufruir, com segurança, de todos os seus benefícios sem risco ao sistema cardiovascular
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13369
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CarlosEATC_DISSERT.pdf523,4 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.