Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13433
Título: Candidíase vulvovaginal: sintomatologia, fatores de risco e colonização anal concomitante
Autor(es): Holanda, Antônio Arildo Reginaldo de
Palavras-chave: Candidíase vulvovaginal;Sintomatologia;Fatores de risco;Symptomatology;Risk factors
Data do documento: 31-Ago-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: HOLANDA, Antônio Arildo Reginaldo de. Candidíase vulvovaginal: sintomatologia, fatores de risco e colonização anal concomitante. 2007. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: Post-menarche patients with clinical signs of vulvovaginitis were analyzed in this study, whose aims were the following: identify the frequency of C. albicans and non C. albicans species and negative results, correlate the vaginal culture for yeast with risk factors and symptomatology; compare positive and negative results for yeast in the vaginal and anal cultures; compare the positive results for C. albicans with other results found in the vaginal and anal cultures; and compare concomitant positivity for C. albicans and non C. albicans in the vaginal and anal cultures. Sample selection occurred between May, 2003 and May, 2005, and included 99 patients from Natal, Brazil. The laboratory methods used consisted of CHROMagar Candida culture medium, thermotolerance test at 42-45°C and hypertonic NaCL, in addition to the classic methods of carbohydrate assimilation and fermentation. We used absolute numbers, percentages, means of central tendency, chi-squared test (χ2) with Yates correction, Fisher s exact test and odds ratio for statistical analysis. The most frequent species was C. albicans in 69% of the cases. The positivity for Candida spp showed an association with the use of tight-fitting intimate clothing and/or synthetics, allergic diseases and the occurrence of itching, leukorrhea and erythema. Anal colonization increased the likelihood of vaginal contamination by 2.8 and 4.9 times, respectively, for Candida spp and C. albicans. When compared to the other species, C. albicans-positive anal colonization increased by 3.7 times the likelihood of vaginal positivity. These data suggest likely vaginal contamination originating in the anus
metadata.dc.description.resumo: Pacientes após a menarca, com quadro clínico compatível com vulvovaginite foram analisadas no presente estudo, cujos objetivos foram: identificar a frequência de espécies de C. albicans, não C. albicans e resultados negativos; correlacionar a cultura vaginal para leveduras com fatores de risco e sintomatologia; comparar resultados positivos com os negativos para leveduras nas culturas vaginais e anais; comparar os resultados positivos para C. albicans com outros resultados encontrados nas culturas vaginais e anais; comparar a positividade concomitante para C. albicans e não C. albicans nas culturas vaginais e anais. A seleção da casuística ocorreu entre maio de 2003 e maio de 2005, sendo incluídas 99 pacientes, procedentes de Natal, RN. Os métodos laboratoriais utilizados consistiram em cultivo em CHROmagar Candida, provas de termotolerância a 42-45oC e NaCl hipertônico, além dos métodos clássicos de assimilação e fermentação de carboidratos. Para a análise estatística foram utilizados números absolutos, percentuais, medidas de tendência central, Teste do qui-quadrado (χ2) com correção de Yates e Teste exato de Fisher, além de Odds ratio. A espécie mais freqüente foi C. albicans em 69% dos casos. A positividade para Candida spp apresentou associação com o uso de roupas íntimas justas e/ou sintéticas, doenças alérgicas e ocorrência de prurido, leucorréia e eritema. A colonização anal determinou um aumento da chance para colonização vaginal, sendo 2,8 e 4,9 maior, respectivamente para Candida spp e C. albicans. A colonização anal positiva para C. albicans implicou numa chance 3,7 vezes maior para a positividade vaginal em comparação às outras espécies. Esses dados sugerem uma provável contaminação vaginal a partir do ânus
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13433
Aparece nas coleções:PPGCSA - Mestrado em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AntonioARH.pdf1,32 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.