Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13471
Título: Investigação das alterações citogenéticas em pacientes pediátricos com leucemia linfóide aguda do Rio Grande do Norte
Autor(es): Gil, Erica Aires
Palavras-chave: leucemia linfóide aguda;alterações cromossômicas;citogenética;acute lymphoid leukemia;chromosomal changes;cytogenetics
Data do documento: 1-Jul-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GIL, Erica Aires. Investigação das alterações citogenéticas em pacientes pediátricos com leucemia linfóide aguda do Rio Grande do Norte. 2011. 99 f. Dissertação (Mestrado em Bioanálises e Medicamentos) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: Leukemia is a heterogeneous group of hematologic malignancies that result from partial or total transformation of the blast cells. The Acute Lymphoblastic Leukemia (ALL) is the most common malignancy in childhood, especially in male, Caucasian children younger than 14 years. Several criteria are adopted to classify ALL, including the cell morphology, cytochemistry, immunophenotyping and cytogenetic analysis. Cytogenetic studies allow a more detailed analysis to detect chromosomal abnormalities of leukemic cells. These modifications will determine the diagnosis, classification, stage characterization, remission assessment and prognosis. In this study were evaluated 30 patients, aged from four months to seventeen years, of both sexes and various ethnicities. The age distribution showed that 67% of patients had between one and ten years (with mean age of XX years old), the most prevalent ethnic was Caucasian (50%) and 57% were males. According to immunophenotype, 93% of patients had B-cells progenitor ALL and 7% early lineage T. Considering the total studied population, the most frequent medical findings were lymphadenopathy (37%), hepatomegaly (77%) and splenomegaly (70%), where one patient could present more than one of these medical findings. Regarding the CBC, the majority of patients had hemoglobin below 10 g / dl (73%), leukocyte count less than 10.000/μL (60%) and platelet count below 150.000/μL (83%). Chromosomal abnormalities were observed in 64% of all patients, where hyperdiploidy was the most common numerical change (67%), followed by hypodiploid (33%). All these data are in agreement with the literature. Moreover, complexes structural and/or number changes not yet described in literature were observed, which indicated poor prognosis. Finally, we concluded that this study demonstrated the importance of cytogenetic study in the diagnosis and identification of prognostic factors in pediatric patients with ALL in Rio Grande do Norte. The results obtained in this study are extremely useful and emphasizes that surveys of this nature must be conducted more frequently in our state
metadata.dc.description.resumo: As leucemias são grupos heterogêneos de neoplasias hematológicas, que resultam da transformação total ou parcial das células blásticas. A Leucemia Linfóide Aguda (LLA) é a neoplasia mais comum na infância, principalmente na população masculina caucasiana menor de 14 anos. Vários critérios podem ser adotados para classificar LLA, dentre eles a morfologia celular, a citoquímica, a imunofenotipagem e o estudo citogenético. A citogenética permite uma análise mais detalhada o que possibilita detectar as alterações cromossômicas das células leucêmicas. Estas alterações irão auxiliar no diagnóstico, na classificação, na caracterização de diferentes estágios, na avaliação da remissão e no prognóstico dessas neoplasias. Foram avaliados neste estudo 30 pacientes com idade variando de quatro meses a dezessete anos, de ambos os sexos e de várias etnias. A faixa etária predominante neste estudo foi de pacientes entre um e dez anos (67%) com média de idade de 7 anos e meio, de etnia caucasiana (50%) e sexo masculino (57%). De acordo com a imunofenotipagem 93% dos pacientes apresentaram LLA de linhagem B precoce e 7% de linhagem T. Considerando a população total estudada, os achados clínicos mais freqüentes foram linfoadenopatia (37%), hepatomegalia (77%) e esplenomegalia (70%), podendo, em muitos casos um paciente apresentar mais de um desses achados. Em relação ao hemograma, a maioria dos pacientes apresentou hemoglobina abaixo de 10 g/dl (73%), contagem de leucócitos inferior a 10.000/μL (60%) e contagem de plaquetas abaixo de 150.000/μL (83%). As anormalidades cromossômicas foram observadas em 64%, dessas a hiperdiploidia foi à alteração numérica mais comum (67%), seguida pela hipodiploidia com 33%. Todos esses dados corroboram com os relatos da literatura. Adicionalmente, foram observadas alterações estruturais e/ou numéricas complexas ainda não descritas na literatura, as quais indicaram prognóstico desfavorável. Conclui-se que a partir deste trabalho foi possível demonstrar a importância do estudo citogenético no diagnóstico e na identificação de fatores prognósticos nos pacientes pediátricos com LLA do Rio Grande do Norte. Os resultados obtidos neste estudo são de extrema importância e ressaltam que pesquisas desta natureza devem ser realizadas com maior freqüência em nosso Estado
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13471
Aparece nas coleções:PPGCF - Mestrado em Ciências Farmacêuticas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
EricaAG_DISSERT.pdf1,51 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.