Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13572
Título: Atenção ao usuário em um centro de referência HIV/Aids: perspectiva de profissionais e usuários
Autor(es): Carvalho, Ana Lúcia de Souza
Palavras-chave: Atenção e cuidado em saúde. Tratamento do HIV/Aids. Interação profissional-usuário. Tecnologia das relações. Cartografia simbólica do cuidado;Attention and health care. HIV/AIDS Treatment. Professional-user Interaction. Relations Technology. Care Symbolic Mapping
Data do documento: 30-Nov-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CARVALHO, Ana Lúcia de Souza. Atenção ao usuário em um centro de referência HIV/Aids: perspectiva de profissionais e usuários. 2009. 111 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: We study the health care focused on care in an intercessor and dialogical relationship with the User, which involves the construction of therapeutic projects essential to the quality of the treatment of the user in health services, and it is necessary individual and collective actions. It is intended to acknowledge and analyze the perception of social subjects, users and professionals on the treatment given to a user of a Specialized Outpatient Service (Serviço Ambulatorial Especializado SAE) in STD/HIV/AIDS state reference in Natal, RN. The study is structured in a transdisciplinary vision of science and knowledge, theoretical and methodological principles that give meaning to the expression of the institutional features of care and health care reconnecting them to the social context. As a research strategy we seek the expressions of 56 subjects of social research, which agreed to participate in the sample, from a symbolic map of the attention, coupled with the techniques of observation and semi-structured interview. For the analysis of the results, five categories of analysis were established: the meaning of the service, care perception, process of communication and interaction, treatment perception and organization and evaluation of the service. It is argued that the attention and care are developed in a technical health care assistance to the disease, focusing on attention based on treatment, on diagnostic and drug therapy of antiretroviral drugs, reflecting the traditional biomedical paradigm of attention to the disease. This is also the mode of organization of practical actions in daily SAE: the therapy proves to be fragmented in several specialties, vertical and feeds the same model, generating tension and overload for professionals; showing impersonal care focused on structured and informative technology, unrelated to an interactive dialogic. From the speech of the subjects, the SAE is understood as the place of confrontation with the disease, but also enables greater elaboration of the illness by meeting their peers. Living with HIV and AIDS is living with concern, apprehension and fear, but mainly with the stigma, prejudice and exclusion, which require that the disease is kept in secret. There is a movement of forces and power, expressed in the knowledge-power of those who dominate the technical and administrative capabilities, devices that concentrate the maintenance of the medicalization of care, rapid consultations and with little attention, making it difficult to interact with and listen to, combined with structural failures, organizational and inadequate management of the service. We conclude that there are dimensions that are not considered in the internal dynamics of the care service multiple forms, characterized by care conflicting models, marked by individual interventions related to the disease. The subject is not considered together with his speech as technical discourse is imposed and care production based on material technology is observed
metadata.dc.description.resumo: Estuda-se a atenção à saúde centrada no cuidar, em uma relação intercessora e dialógica com o usuário, que envolve a construção de projetos terapêuticos essenciais para a qualidade do tratamento do usuário nos serviços de saúde, sendo fundamentais ações individuais e coletivas. Tem-se como objetivo conhecer e analisar a percepção dos sujeitos sociais, usuários e profissionais, sobre o tratamento dispensado ao usuário de um Serviço Ambulatorial Especializado em DST/HIV/Aids, referência estadual em Natal, RN. Articulam-se, em uma visão transdisciplinar da ciência e do conhecimento, referenciais teórico-metodológicos que possam dar sentido à expressão das características institucionais da atenção e do cuidado em saúde, religando-as ao contexto social. Como estratégia de pesquisa, buscam-se as expressões dos 56 sujeitos sociais da investigação, que aceitaram participar da amostra, a partir de uma cartografia simbólica da atenção, associada a técnicas de observação e entrevista semi-estruturada. Para análise dos resultados, estabeleceram-se cinco categorias de análise: significado do serviço, percepção do atendimento; processo de comunicação e interação; percepção do tratamento e organização e avaliação do serviço. Discute-se que a atenção e o cuidado desenvolvem-se em uma assistência tecno-assistencial à doença, centrados em uma atenção focada no tratamento, na solicitação de exames e na terapêutica medicamentosa dos anti-retrovirais, reflexo do paradigma tradicional biomédico de atenção à doença. Este também é o modo de organização das ações práticas no cotidiano do SAE: a conduta terapêutica mostra-se fragmentada nas diversas especialidades, verticalizada e retro-alimentada no mesmo modelo, gerando tensão e sobrecarga aos profissionais; evidenciam-se atendimentos impessoais focados em tecnologias estruturadas e informativas, desvinculadas da dialógica interativa. A partir dos discursos dos sujeitos, o SAE é interpretado como o lugar do confronto com a doença, mas também possibilita maiores elaborações do adoecer pelo encontro com os iguais. Conviver com o HIV e Aids é conviver com receios, apreensão e medo, mas principalmente com o estigma, o preconceito e a exclusão, o que requer o sigilo da doença. Há circulação de forças e de poder, expressos no saber-poder técnico-profissional e administrativo, dispositivos que concentram a manutenção da medicalização do atendimento, consultas rápidas e com pouca atenção, o que dificulta a interação e a escuta, aliados a falhas estruturais, organizacionais e a um gerenciamento inadequado do serviço. Conclui-se que há dimensões não consideradas na dinâmica interna das múltiplas formas do cuidar, caracterizado pelo modelo conflitante da atenção, marcado por intervenções individuais relacionadas à doença. Desconsidera-se o sujeito de seu discurso, imputando-lhe discursos tecnicistas, e observa-se a produção do cuidado baseada na tecnologia material
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13572
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnaLS.pdf736,88 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.