Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13587
Título: Arche Tupi : uma leitura arquetípica da mulher índia em Casa-Grande & Senzala
Autor(es): Fonseca, Gladson Paulo Milhomens
Palavras-chave: Mulher India;Inconsciente coletivo;Arquétipo;Women India;Collective unconscious;Archetype
Data do documento: 12-Abr-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: FONSECA, Gladson Paulo Milhomens. Arche Tupi : uma leitura arquetípica da mulher índia em Casa-Grande & Senzala. 2010. 81 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: This dissertation is a proposal for dialogue between Brazilian Social Thought, History of Portuguese America and the Analytical Psychology of C.G. Jung, highlighting the following archetypes: Anima, Animus, Shadow and Persona. Directing the study to the image of Indian women in this Brazilian interpretation of Casa-Grande & senzala by Gilberto Freyre, have largely centered on denial of the feminine image as a creative and positive in the minds of Brazilian culture, where a more specific analysis. We assume that your work has inspired several bridges over imaginary things in Brazil, including aspects relating to miscegenation, the study of foreign travelers, Jesuits and settlers / invaders of the sixteenth and seventeenth centuries the Portuguese disembarked in America and in this sense, the influence of his work as wasteful image through time and space of the Portuguese slave order. Above all, we intend to do a reading of Native women thought in his book
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação é uma proposta de diálogo entre Pensamento Social Brasileiro, História da América Portuguesa e a Psicologia Analítica de C.G. Jung, destacando os seguintes arquétipos: Ânima, Animus, Sombra e Persona. Direcionando o estudo para a imagem da mulher índia, presente na interpretação brasileira de Casa-grande & senzala de Gilberto Freyre, temos como eixo principal a negação desta imagem enquanto princípio feminino criativo e positivo no imaginário cultural brasileiro, no caso de uma análise mais específica. Partimos do pressuposto de que sua obra inspirou diversas pontes imaginárias sobre o Brasil, inclusive nos aspectos referentes à mestiçagem, no estudo sobre estrangeiros viajantes, jesuítas e colonos/invasores dos séculos XVI e XVII ao aportarem na América Portuguesa. Neste sentido, pretendemos enfatizar a influência de sua obra enquanto imagem perdulária através do tempo e do espaço na ordem escravista portuguesa. Sobretudo, pretende-se fazer uma leitura do feminino indígena pensada em seu livro
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13587
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GladsonPMF_DISSERT.pdf932,13 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.