Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13616
Título: Break: o grito corporal da periferia
Autor(es): Menezes, Julieta de Souza
Palavras-chave: Corporeidade;Hip hop;Break;Corporeality;Hip hop;Break
Data do documento: 30-Jun-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MENEZES, Julieta de Souza. Break: o grito corporal da periferia . 2010. 92 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: In order to question a sociology as it considers appropriate the body dimensions, which contributes in a mean singular in relation to body, not only as a matter, but mainly as a producer of knowledge, our research shows a reflection on corporality as the production of knowledge and to understand different perspectives and social logic here in contemporaneity, whose rationality seems to be placed in question through a performance expressed, a lot of 'breaks', including the space, which the dancer break appropriates of a reversed form and not more than linear. Our problem is the possibility of a greater understanding of this young body with dance the break, is not only 'breaking' his body, but fluent in their own body fragments, producing probably a break in relation to a dominant power established, by creating a kind of 'social resistance' to provide another sense for his life, out of the senses by the dominant of a social field. This is the area of production of knowledge, of the 'body' that cries keep our eyes, the challenge of dive in the depth of gestures, beyond the physical structure, restoring in a strong political constitution and cultural in so far as this body faces. The body as spectacular becomes 'cause and effect' of communication, this body is not only individual, it is not expression only for itself; when the young dance outside their walls individuals, makes it relational, turning to relate with the other, with the space, time and the world. The methodological point of view, to study this corporality in element break, the body as language of senses, we considered withdrawals in the field, observations of movements of the universe of break creative dance, performance and analysis of "attitudes" (expression peculiar world hip hop ), as well as my experience with dancing in the street interventions through 'urban' and our own attitudes to the object of research which challenges us academically and, it all, existentially
metadata.dc.description.resumo: No sentido de questionar uma sociologia que considere relevantes as dimensões corporais de existência, que contribua em um pensar singular em relação ao corpo, não somente enquanto matéria, mas principalmente como produtor de conhecimentos, esta pesquisa evidencia uma reflexão sobre a corporeidade como produção de saberes e como compreender diferentes olhares e lógicas sociais presentes nesta contemporaneidade, cuja racionalidade parece estar colocada em questão através de uma performance que expressa diversas quebras, inclusive a do espaço físico, do qual o dançarino de break se apropria de forma invertida e não mais linear. Nossa problemática encontra-se na possibilidade de uma maior compreensão deste corpo jovem que dança o break, que não está apenas quebrando o seu corpo, mas fluindo em seus próprios fragmentos corporais, produzindo provavelmente uma quebra em relação a um poder dominante instituído, criando uma espécie de resistência social que lhes forneça outro sentido para sua vida, fora dos sentidos dados pelo campo social dominante. É nesse espaço de produção do conhecimento, dos gritos corporais, que direcionamos nosso olhar, no desafio de mergulhar na profundidade dos gestos, ultrapassando a estrutura física, restituindo em uma forte constituição política e cultural na medida em que este corpo confronta. O corpo enquanto espetáculo se torna causa e efeito de comunicação. Esse corpo não parece ser só individual, ele não se expressaria apenas para si. Quando o jovem dança fora dos seus muros particulares, torna-se relacional, passando a se relacionar com o outro, com o espaço, o tempo e o mundo. Do ponto de vista metodológico, para análise dessa corporeidade no elemento break, do corpo, enquanto linguagem de sentidos, iremos considerar levantamentos em campo, observações de movimentos do universo do break dance, performances criativas e análise de atitudes (expressão peculiar do mundo hip hop), bem como minha experiência com a dança na rua através de intervenções urbanas e nossas próprias atitudes diante do objeto de pesquisa que nos interpela academicamente e, sobretudo, existencialmente
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13616
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JulietaSM_DISSERT.pdf938,13 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.