Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13633
Título: Paulo Freire e a pedagogia do oprimido: afinidades pós-coloniais
Autor(es): Lima, José Gllauco Smith Avelino de
Palavras-chave: Paulo Freire;Pedagogia do Oprimido;Teorias pós-coloniais;Sociologia das ausências;Pedagogia das ausências;Paulo Freire;Pedagogy of the Oppressed;Post-colonial theories;Sociology of absence;Pedagogy of absence
Data do documento: 17-Jun-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: LIMA, José Gllauco Smith Avelino de. Paulo Freire e a pedagogia do oprimido: afinidades pós-coloniais. 2011. 136 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: The main objective of the present research is to reflect on the affinities between post-colonial theories - analytical perspectives directed toward the discussion of colonialism and its effects on the contemporary social fabric - and Brazilian educator, Paulo Freire‟s (1921-1997) Pedagogy of the Oppressed, written at the end of the 1960‟s. The study aims to make the argument that the present reflections on the featured work is an example of a post-colonial theoretical framework, delineating a critical modus operandi of colonialism, particularly in its cultural and epistemic dimensions, delineating a problematization of the processes of cognitive domination set, above all, by the European colonization of the Latin American continent, with the formation of the modern-world-system (WALLERSTEIN, 2007), dated from the 16TH Century forward. From this stand point, and especially supported by the contributions of Boaventura de Sousa Santos on the sociology of absence, the present work accentuates Pedagogy of the Oppressed as a set of reflections that bring the possibility of a pedagogy of absence (SANTOS, 1996), having in mind that, this book deals with, the presuppositions of an educational action, which considers the plurality of knowledge and social practices by way of the establishment of a pedagogical practice of collective construction, emancipator and dialogic that arises from the encounter to the indolent reason (SANTOS, 2009) in which the silencing of the voices of the oppressed, construct their conditions of invisibility, promoting also the absence of the social questions inherent to the processes of teaching and learning. It is with this perspective, however, that post colonialism is considered a theoretical site for the affirmation and the reinvention of the Pedagogy of the Oppressed, an obligatory reference in the construction of a prudent knowledge for a decent life (SANTOS, 2006)
metadata.dc.description.resumo: A dissertação em pauta possui como objetivo principal a reflexão acerca das afinidades entre as teorias pós-coloniais - perspectivas analíticas voltadas para a discussão em torno do colonialismo e de seus efeitos na tecitura social contemporânea - e a Pedagogia do Oprimido - livro escrito pelo educador brasileiro Paulo Freire (1921-1997) durante os anos finais da década de 1960. Argumentamos que as reflexões presentes na obra em destaque, a exemplo do arcabouço teórico pós-colonial, delineiam uma crítica ao modus operandi do colonialismo, particularmente em sua dimensão cultural e epistêmica, delineando uma problematização sobre os processos de dominação cognitiva instaurados, sobretudo, a partir da colonização europeia no continente latino-americano, quando da formação do sistema-mundo-moderno (WALLERSTEIN, 2007), datada do Século XVI em diante. Partindo-se deste princípio, e amparado especialmente nas contribuições de Boaventura de Sousa Santos sobre a sociologia das ausências, o presente estudo acentua a Pedagogia do Oprimido como um conjunto de reflexões que trazem a possibilidade de uma pedagogia das ausências (SANTOS, 1996), tendo em vista que, neste livro, evidenciam-se os pressupostos de uma ação educacional que considera a pluralidade de saberes e de práticas sociais por meio do estabelecimento de uma prática pedagógica de construção coletiva, emancipatória e dialogal que vai de encontro à razão indolente (SANTOS, 2009). Esta razão, ao silenciar as vozes dos oprimidos, constrói suas condições de invisibilidade, promovendo também a ausência de questões sociais inerentes aos processos de ensino e de aprendizagem. É no interior desta perspectiva, portanto, que se considera o pós-colonialismo como um lugar teórico para a afirmação e a reinvenção da Pedagogia do Oprimido, referencial imprescindível à construção de um conhecimento prudente para uma vida decente (SANTOS, 2006)
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13633
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JoseGSAL_DISSERT.pdf1,43 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.