Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13657
Título: Histórias e relatos sobre Pipa: a praia internacional do Rio Grande do Norte
Autor(es): Aires, Jussara Danielle Martins
Palavras-chave: memória;mudanças;população nativa de Pipa;reformulações materiais e simbólicas;turismo;memory;changes;native population of Pipa;reformulations material and symbolic;tourism
Data do documento: 27-Fev-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: AIRES, Jussara Danielle Martins. Histórias e relatos sobre Pipa: a praia internacional do Rio Grande do Norte. 2012. 114 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: The overwhelming gear that boosted tourism as the main economic activity of Pipa a district formerly agricultural and fishery, that belongs to the municipality of Tibau do Sul/RN produced significant changes in the social, economic and cultural rights of the native population of the place where social relations were narrow and justified in some cases, the line of kinship in an environment where all residents knew each other. However, we can not observe the emergence of this activity just as voracious disarticulator of old local forms of sociability that in a linear process, destroys the old, replacing it with the new. New compositions are generated by merging elements of past and present. Overcoming opposition to simplistic positive or negative impacts of tourism sought especially in this dissertation, review the history of Pipa (told in narrative form), showing how slowly this district has become a major international tourist destination and how its residents were being swallowed by the "whirlwind" that led to this reality. The research used qualitative methodology and was based on photographic, literature and survey, observation, experience, oral and written reports acquired in the field. We conducted in-depth interviews (oral history) with subjects that are the living memory of the place local residents (mostly natives). We found that before the process of "modernization" resulting from the pressure of globalization itself and the capital investment in tourism resulting from the native population is not passive. On the contrary, natives resist, creating mechanisms of material and symbolic reformulations. The present moment is always dynamic. Because of that, the identity of a place is not the crystallization of its past. Many landscapes still reveal materialities of yesteryear, such as registration of social practices in the construction of the place
metadata.dc.description.resumo: A avassaladora engrenagem que impulsionou o turismo, enquanto principal atividade econômica de Pipa - distrito outrora agrário e pesqueiro, pertencente ao município de Tibau do Sul/RN - produziu mudanças significativas nos aspectos sociais, econômicos e culturais da população nativa desse lugar onde as relações sociais eram estreitas e fundamentadas, em alguns casos, pela linha de parentesco, num ambiente onde todos se conheciam. No entanto, não podemos observar a emergência dessa atividade apenas como desarticuladora voraz de antigas formas de sociabilidade locais que, em um processo linear, destrói o velho, substituindo-o pelo novo. Novas composições são geradas mesclando elementos do passado e presente. Superando a oposição simplista aos impactos positivos ou negativos do turismo, buscamos principalmente, nesta dissertação, rever a história de Pipa (contada em forma de narrativa), mostrando como aos poucos este distrito tornou-se um importante destino turístico internacional e de que forma seus moradores foram sendo tragados pelo redemoinho que as levou à presente realidade. A pesquisa utilizou metodologia qualitativa e fundamentou-se em levantamento fotográfico, bibliográfico e na própria observação, experiências, relatos orais e escritos adquiridos em campo. Realizamos entrevistas em profundidade (história oral) com sujeitos que constituem a memória viva do lugar moradores locais (majoritariamente nativos). Constatamos que diante do processo de modernização decorrente da pressão exercida pela própria globalização e pelo capital resultante do investimento turístico, a população nativa não é passiva. Pelo contrário: ela resiste, criando mecanismos de reformulações materiais e simbólicas. Por ser o presente dinâmico, a identidade de um lugar não é a cristalização de seu passado. Muitas paisagens ainda revelam materialidades de tempos passados, como inscrição das práticas sociais na construção do lugar
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13657
Aparece nas coleções:PPGCS - Mestrado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JussaraDMA_DISSERT.pdf5,99 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.