Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13744
Título: Narrativas do Brasil nas memórias de Pedro Nava
Autor(es): Silva, Lenina Lopes Soares
Palavras-chave: Memória;Narrativa autobiográfica;Subjetividade desestabilizadora;Passado capacitante;Racionalidade cosmopolita;Sociologia das ausências;Memory;Autobiographical narrative;Destabilizing subjectivity;Empowering past;Cosmopolitan rationality;Sociology of absences
Data do documento: 30-Nov-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Lenina Lopes Soares. Narrativas do Brasil nas memórias de Pedro Nava. 2010. 252 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: This thesis is a translation of work of the Brazilian doctor, Pedro da Silva Nava (1903-1984), in particular, his memoirs and chronicles, articulated with the writings of medicine history, aiming to defend that the autobiographical narratives are sources of research capable of promoting discussions on the expansion of the present at the confluence of complex and unequal society in constant changing process as the Brazilian. The theoretical and methodological support circulates around studies, proposals and thesis by Boaventura Santos about empowering past, destabilizing subjectivity, sociology of absences, cosmopolitan reason and translation work. The empirical support drawn from the literature produced by Nava were analyzed with reference this reasoning and studies that have facilitated the flow of translation among others, the studies of Antonio Candido, Arrigucci Jr., Boris Cyrulnik, Beatriz Sarlo, Ecléa Bosi, Ítalo Calvino, José Willington Germano, José Maria Cançado, Lev Vygotsky, Marilena Chauí, Paul Ricöeur and Walter Benjamim, without neglecting what we consider indispensable to scientific research, the production of relevant knowledge and prudent, in view of a decent life. The initial inflections reflect the subject of the Memoirs and its education/training, to then place the Memoir subject in the literary context, scientific, historical and Brazilian poetic (1972-2010), bringing great interpreters and discussing the rationale used by the Narrator that we defend stand closer to the cosmopolitan, showing the formation of narratives whose presence insert itself beforehand to modernist verve, linked to the discursive array against the literature as domination space, disseminated in Brazil in the early twentieth century. So, it articulate with those in which the concerns adjust the construction of the social formation of Brazil as a national heritage through literary narrative that focuses on a historical principle that becomes the past empowering, allowing his rereading, whose converge to memory, the lifestyles, the plurality of language and Brazilian culture, formed by several people, converging into a design not of culture but multiculturalism in Brazil. The memory issue was addressed in the space-time of experiences of being that narrates, shaped by a destabilizing subjectivity that sought to order the testimony of a time, a history and society, retelling them by creative imagination, almost fictional, to make circulate his knowledge about Brazil attached to his medical knowledge, as well as other subjects in his living group and other groups with whom they maintained contact. Thus, he portrayed both tangible and intangible cultural assets of the country as a form of preservation, giving them meanings and sense. It approaches, therefore, from the perspective of sociology of absences, the expansion of the present and by the logic inherent in his narratives of self and Brazil
metadata.dc.description.resumo: Consiste, este trabalho de tese, de uma tradução da obra do médico brasileiro, Pedro da Silva Nava (1903-1984), em particular, de seus escritos memorialísticos e das crônicas, articulados com os de história da medicina, objetivando-se defender que as narrativas autobiográficas são fontes de pesquisas capazes de promover discussões sobre a dilatação do presente na confluência de uma sociedade desigual e complexa, em constante processo de mudança, como a brasileira. A fundamentação teórica e metodológica circula no entorno dos estudos, propostas e teses de Boaventura Santos sobre passado capacitante, subjetividade desestabilizadora, sociologia das ausências, razão cosmopolita e trabalho de tradução. As bases empíricas, extraídas da literatura produzida por Nava, foram analisadas tendo como referentes esta fundamentação e estudos que possibilitaram o fluir da tradução, entre outros, de Antonio Candido, Arrigucci Jr., Boris Cyrulnik, Beatriz Sarlo, Ecléa Bosi, Ítalo Calvino, José Willington Germano, José Maria Cançado, Lev Vygotsky, Marilena Chauí, Paul Ricöeur e Walter Benjamim, sem descurar daquilo que consideramos imprescindível à pesquisa científica, à produção de conhecimentos prudentes e pertinentes, na perspectiva de uma vida decente. As inflexões iniciais traduzem o sujeito das Memórias e sua educação/formação, para, em seguida, situar as Memórias do sujeito no contexto literário, científico, histórico e poético brasileiro (1972-2010). Trazem seus principais intérpretes, discutindo a racionalidade empregada pelo Narrador, que defendemos aproximar-se da cosmopolita, evidenciando a constituição de narrativas cujas presenças inserem-se de antemão à verve modernista, vinculada à matriz discursiva contrária à literatura como espaço de dominação, disseminada no Brasil no início do Século XX. Desse modo, articula-se àquela na qual as preocupações conformam a construção da formação social do Brasil, como patrimônio nacional, através da narrativa literária com enfoque em um princípio histórico que torna o passado capacitante. Permite, assim, sua releitura, para cujas tramas convergem à memória, os modos de vida, a pluralidade da linguagem e da cultura brasileira, formada por vários povos, confluindo para uma concepção, não de cultura, mas de multiculturalidade brasileira. A questão da memória foi tratada no espaçotempo das experiências do ser que narra, moldado por uma subjetividade desestabilizadora que buscou ordenar os testemunhos de um tempo, de uma história e de uma sociedade, recontando-os pela imaginação criadora, quase ficcional, para fazer circular seus conhecimentos sobre o Brasil, unidos aos seus conhecimentos médicos, bem como aos de outros sujeitos de seu grupo de convivência e de outros grupos com os quais manteve contato. Assim, retratou bens culturais materiais e imateriais do país como forma de preservação, atribuindo-lhes significados e sentidos. Aproxima-se, portanto, da perspectiva de sociologia das ausências, pela dilatação do presente e pelas lógicas a ela inerentes em suas narrativas de si e do Brasil
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13744
Aparece nas coleções:PPGCS - Doutorado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LeninaLSS_TESE.pdf2,33 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.