Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13817
Título: OBALUAIÊ: um estudo sobre o estigma no convívio com o HIV/Aids em terreiros de Umbanda na cidade de Fortaleza-Ceará
Autor(es): Holanda, Violeta Maria de Siqueira
Palavras-chave: Umbanda. Aids. Estigma. Drama social;Umbanda. Aids. Stigma. Social drama
Data do documento: 20-Mar-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: HOLANDA, Violeta Maria de Siqueira. OBALUAIÊ: um estudo sobre o estigma no convívio com o HIV/Aids em terreiros de Umbanda na cidade de Fortaleza-Ceará. 2013. 175 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: The tradition and living in African-Brazilian religious spaces, called yards, reveal how dynamic the reproduction and exchange of knowledge are, and that through their worldview, reveal ways of dealing with health and disease. The yards are culturally rich territories, in which people shape concepts, practices, and beliefs about health, disease and forms of healing, passed on from generation to generation through oral tradition. With the advent of HIV/AIDS from the 80s, a new challenge is established in the community of the yards and in the individual trajectories of people affected by the disease, who since an early age participate in this religious practice. The objective of this research is the analysis on the stigma in living with HIV/AIDS in yards of Umbanda in Fortaleza-Ceará, considering the (re)production of social dramas experienced by the community in question. During the investigation we adopted two basic parameters: the first one considers the understanding of the reproduction of stigma (or deteriorated identity) in relation to HIV/AIDS in its socio-historical dimension and its effects in the investigated context (Goffman, 1988). And the second one refers to the creation and reproduction of social dramas as a social experience carried through learning, handling and symbolic performance, which is reproduced in four stages: rupture, crisis, corrective action and reintegration (Turner, 1971)
metadata.dc.description.resumo: A tradição e a vivência nos espaços religiosos afro-brasileiros, denominados terreiros, revelam o quão dinâmico é a reprodução e troca de saberes e conhecimento que, através de sua visão de mundo, revelam formas de lidar com a saúde e a doença. Os terreiros constituem territórios ricos, culturalmente, em que pessoas moldam concepções, práticas e crenças a respeito da saúde, das enfermidades e das formas de cura, repassados de geração a geração, através da oralidade. Com o advento do HIV/Aids a partir dos anos 80, um novo desafio se estabelece na comunidade dos terreiros e nas trajetórias individuais das pessoas afetadas pela doença que desde idade tenra participam dessa prática religiosa. O objetivo desta pesquisa é a análise sobre o estigma no convívio com o HIV/Aids em terreiros de Umbanda na cidade de Fortaleza-Ceará, considerando a (re)produção dos dramas sociais vivenciados pela comunidade em questão. Durante a investigação foram adotados dois parâmetros fundamentais: primeiro, que considera a compreensão da reprodução do estigma (ou da identidade deteriorada) em relação ao HIV/Aids em sua dimensão sócio-histórica, e seus efeitos no contexto investigado (GOFFMAN, 1988). E segundo, que se refere à criação e reprodução dos dramas sociais, enquanto experiência social realizada através do aprendizado, manuseio e atuação simbólica, que se reproduz em quatro fases: ruptura, crise, ação corretiva e reintegração (TURNER, 1971). PALAVRAS-CHAVE:
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13817
Aparece nas coleções:PPGCS - Doutorado em Ciências Sociais

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
VioletaMSH_TESE.pdf2,93 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.