Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13856
Título: Afinal, quantos éramos? Um estudo da mortalidade pretérita na freguesia da gloriosa Sant Anna
Autor(es): Santos, Gracineide Pereira dos
Palavras-chave: Mortalidade. Demografia histórica. Registros paroquiais. Freguesia da gloriosa Sant´Anna
Data do documento: 27-Mai-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SANTOS, Gracineide Pereira dos. Afinal, quantos éramos? Um estudo da mortalidade pretérita na freguesia da gloriosa Sant Anna. 2013. 101 f. Dissertação (Mestrado em Abordagens metodológicas em demografia; Dinâmica demográfica) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: Search mortality in the glorious St. Anna Parish, hinterland of Rio Grande do Norte in the time frame 1788-1838 is the main objective of this research. Questions that the research aims to answer are: how many were after? Data parish deaths allow us to study mortality in Town? To conduct the research, first appealed to the population maps of the years 1777, 1810, 1811, 1824, 1844, 1853; censuses of 1872 and 1890. As well, the first two books of burials / deaths of the Parish, the first dating from 1788 to 1811 and the second from 1812 to 1838 and a book of baptism 1803-1806. Among the findings it was realized that, for now, the question of knowing, "After all, how many were?" Still cannot be answered, because during the analysis we noticed a high rate of underreporting, demonstrated through a study of the first infant mortality, in which the records we have was very high, which goes against the pre-transitional period, but with the exercise of inverse projection found the opposite, a population that would have a life expectancy higher. Demonstrating the problem of underreporting. Infant deaths occur mainly with the male children in the first months of the year due to infectious causes, and in the early days and weeks, we raised a hypothesis is that these deaths have as a backdrop the poor condition of the mother leading to poor training child, thus leading to his early death
metadata.dc.description.resumo: Pesquisar a mortalidade na Freguesia da Gloriosa Sant´Anna, sertão do Rio Grande do Norte no recorte temporal de 1788 a 1838 é o objetivo principal da presente investigação. As perguntas às quais a pesquisa se propõe a responder são: afinal quantos éramos? Os dados paroquiais de óbitos nos permitem estudar a mortalidade na Freguesia? Para realizar a pesquisa; primeiro recorreu-se aos mapas populacionais dos anos de 1777, 1810, 1811, 1824, 1844, 1853; os censos de 1872 e 1890. Como também, os dois primeiros livros de enterros/óbitos da Freguesia; o primeiro datado de 1788 a 1811 e o segundo de 1812 a 1838 e um livro de batismo de 1803 a 1806. Entre os resultados encontrados percebeu-se que, por enquanto, o questionamento de sabermos, Afinal, quantos éramos? ainda não pode ser respondido, pois durante a análise percebemos um alto índice de sub-registros, demostrado através de um estudo primeiro da mortalidade infantil, na qual pelos registros que temos era muito alta, o que vai de encontro com o período Pré-transicional, porém com o exercício de projeção inversa constatou-se o contrário, uma população que teria uma esperança de vida elevada. Demostrando o problema de sub-registros. Os óbitos infantis ocorrem principalmente com as crianças do sexo masculino, nos primeiros meses do ano por causas infecciosas, e nos primeiros dias e semanas, uma hipótese que levantamos é que essas mortes tenham como pano de fundo as condições precárias da mãe acarretando a má formação da criança, culminando assim com sua morte precoce
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/13856
Aparece nas coleções:PPGDEM - Mestrado em Demografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GracineidePS_DISSERT.pdf1,14 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.