Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14024
Título: A diversidade de lagartos na Caatinga é mediada pelos térmitas?
Autor(es): Souza, Heitor Bruno de Araujo
Palavras-chave: Coexistência;Estratégias de forrageamento;Isoptera;Região neotropical;Semiárido.;Coexistence;Foraging strategies;Isoptera;Neotropical region;Semiarid.
Data do documento: 23-Fev-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SOUZA, Heitor Bruno de Araujo. A diversidade de lagartos na Caatinga é mediada pelos térmitas?. 2012. 30 f. Dissertação (Mestrado em Bioecologia Aquática) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: Intending to explain the extraordinary lizard coexistence levels found in Australian deserts, Morton & James (1988) figured out a hypothesis which defends that the termite diversity would bring about lizard radiation. This study aims to verify the validation of that hypothesis in Caatinga lizard assemblages. This study also objectives verifying if the termite defense mechanisms influence their consuming levels by lizards and if this pattern differs between different lizard lineages. Termites were collected using a standardized sampling protocol of termites. Besides using haphazard sampling, we collect lizards with 108 pitfall traps in each area. Intending to check the linkage between the termite and lizard assemblages, the lizard stomach contents were analyzed and then a canonical correspondence analysis was performed. The presence of nonrandom patterns of diet overlap among the lizard species was also examined. Aiming to check if the defense mechanisms of termite influence their consuming pattern by lizards it was performed a laboratory experiment where termite with different defense mechanisms were offered to lizards of two different lineages. We verified that lizard assemblages do not consume termites according to termite abundance in ecosystems. Furthermore, mean niche overlap lizard species did not differ significantly from that expected by chance. We found that termite chemical defense mechanism does influence the termite s pattern consuming by lizards. These results do not corroborate premises which support Morton & James hypothesis (1988) and point out that lizard do not chose termites based on their abundance, but, trying to avoid consuming termites which exhibit chemical defense mechanisms. This defense mechanism, however, may not be the only explanation to patterns of termite s consuming by lizards.
metadata.dc.description.resumo: Ao tentar explicar a extraordinária taxa de coexistência de lagartos em desertos Australianos, Morton & James (1988) formularam uma hipótese em que a diversidade de térmitas promoveria uma diversificação dos lagartos. O presente estudo visa verificar se essa hipótese é válida para as taxocenoses de lagartos da Caatinga. Objetiva-se também verificar se os mecanismos de defesa dos térmitas influenciam a taxa com que esses são consumidos pelos lagartos e se esse padrão difere entre diferentes linhagens de lagartos. Para a coleta dos térmitas foi aplicado um protocolo padronizado de amostragem termítica. Para a coleta dos lagartos, além da busca ativa, foram instaladas 108 armadilhas de queda em cada área. Para verificar a relação entre as taxocenoses de lagartos e térmitas foi analisado o conteúdo estomacal dos lagartos e, em seguida, foi realizada uma Análise de Correspondência Canônica. Posteriormente realizou-se uma análise de sobreposição de nicho. Para verificar se o mecanismo de defesa dos térmitas influencia o seu padrão de consumo pelos lagartos, realizou-se um experimento onde se ofertou térmitas com diferentes mecanismos de defesa para lagartos de duas linhagens diferentes. Verificou-se que a taxocenose de lagartos não consome os térmitas de acordo com a abundância destes no ecossistema. Além disso, a sobreposição de nicho alimentar não foi menor do que o esperado ao acaso. Verificou-se que o mecanismo de defesa química influencia sim o padrão de consumo dos térmitas pelos lagartos. Esses resultados não corroboram as premissas que alicerçam a hipótese de Morton & James (1988) e indicam que os lagartos não selecionam os térmitas a serem consumidos devido à sua abundância, mas, sim, de modo a evitar térmitas que exibissem mecanismos de defesa química. A presença desse mecanismo de defesa, porém, parece não ser a única explicação para o padrão de consumo dos térmitas pelos lagartos.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14024
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
HeitorBAS_DISSERT.pdf378,08 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.