Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14028
Título: Movimento de borboletas frugívoras e conectividade funcional em uma paisagem de Mata Atlântica
Autor(es): Amaral, Priscila Lins Pimentel Figueiredo do
Palavras-chave: Nymphalidae;Conectividade funcional;Fragmentação;Dispersão;Permeabilidade;Mata Atlântica;Nymphalidae;Functional connectivity;Fragmentation;Dispersal;Permeability;Atlantic Forest
Data do documento: 5-Abr-2012
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: AMARAL, Priscila Lins Pimentel Figueiredo do. Movimento de borboletas frugívoras e conectividade funcional em uma paisagem de Mata Atlântica. 2012. 47 f. Dissertação (Mestrado em Bioecologia Aquática) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Resumo: An organisms movement within and between habitats is an essential trait of life history, one that shapes population dynamics, communities and ecosystems in space and time. Since the ability to perceive and react to specific conditions varies greatly between organisms, different movement patterns are generated. These, in turn, will reflect the way species persist in the original habitat and surrounding patches. This study evaluated patterns of movement of frugivorous butterflies in order to estimate the connectivity of a landscape mosaic in an area of Atlantic Forest. For this purpose, we used the capture-mark-recapture method on butterflies trapped with fermented fruit bait in three distinct habitats. The first represents a typical Atlantic forest fragment, while the other two represent man-made matrix habitats. One contains a coconut plantation and the other a plantation of the exotic Acacia mangium species. Five traps were randomly placed in each landscape unit in areas of 40 x 40m. Using recapture data and relating it to distance between captures and habitat structure, I found that movement frequencies, both within and between landscape units were different for the analyzed species, suggesting that they do not interpret and react to the landscape in the same way. Thus this study was able to measure landscape functional connectivity. For most species, the exchange between forest and coconut plantations occurred with low frequency compared to exchanges between the forest and acacia plantations, which share more structural similarities. This seems to indicate that a matrix that is more similar to patches of native vegetation can shelter species, permit their movement and, consequently, contribute to the landscape connectivity
metadata.dc.description.resumo: O movimento de organismos dentro e entre unidades de habitat é um traço essencial da história de vida que molda a dinâmica das populações, comunidades e ecossistemas no espaço e no tempo. Como a habilidade de perceber e reagir às condições específicas de habitat varia grandemente entre os organismos, diferentes padrões de movimento são gerados. Estes, por sua vez, vão refletir na forma com que espécies persistem nos remanescentes de habitat original e de entorno. Este estudo avaliou padrões de movimento de borboletas frugívoras para estimar a conectividade em um mosaico paisagístico em uma área de Mata Atlântica. Para tal foi utilizado o método de Captura-Marcação-Recaptura de borboletas, utilizando armadilhas com iscas de fruta fermentada, em três tipos de habitats. O primeiro, mata, representa as condições normais de um remanescente de Mata Atlântica, ao passo que os outros dois representam matrizes antropogênicas, contendo plantação de coqueiro em uma delas e plantação de uma árvore exótica (Acacia mangium). Cinco armadilhas foram aleatoriamente colocadas em cada unidade da paisagem em áreas de 40 x 40m. Usando dados de frequência de captura de borboletas e relacionando com dados de distância entre armadilhas e estrutura dos habitats, encontrei que as frequências de movimento, tanto dentro quanto entre unidades da paisagem são diferentes para as espécies analisadas, indicando que as mesmas não parecem sentir e reagir à paisagem da mesma maneira. Assim, este estudo conseguiu medir conectividade funcional na paisagem. Para a maioria das espécies, as trocas entre mata e coqueiral ocorreram com baixa frequência, em comparação às trocas entre mata e acácia, que compartilham mais semelhanças estruturais. Os resultados sugerem que uma matriz mais similar a manchas de vegetação nativa pode abrigar espécies, ser permeável ao movimento e, consequentemente, contribuir para conectividade da paisagem
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14028
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PriscilaLPFA_DISSERT.pdf1,79 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.