Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14062
Title: Relações internacionais: o comércio exterior do Brasil e Rio Grande do Norte no período de 1999 a 2008
Other Titles: International Relations: foreign trade of Brazil and Rio Grande do Norte from 1999 to 2008
Authors: Dantas, Jefferson Teixeira
Keywords: Economia;Comércio exterior;Relações internacionais;Brasil;Rio Grande do Norte;Economy;Trade;International relations;Brazil;Rio Grande do Norte
Issue Date: 17-Dec-2009
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: DANTAS, Jefferson Teixeira. International Relations: foreign trade of Brazil and Rio Grande do Norte from 1999 to 2008. 2009. 189 f. Dissertação (Mestrado em Economia Regional) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Portuguese Abstract: O período pós-guerra promoveu inúmeras transformações nas relações econômicas, políticas e sociais no mundo. Desde então, uma nova divisão internacional do trabalho vem se desenhando, com o grande crescimento dos países asiáticos. No campo das relações internacionais, o mundo ainda aparece em transição não concluída, pois as antigas instituições não foram substituídas por novas e o poder dos Estados Unidos enquanto principal país capitalista se mantém inabalado, mesmo com o surgimento e fortalecimento de novos blocos econômicos mundiais. Com a globalização, o Brasil ressurge com mais intensidade diante dos novos temas globais, embora sua parcela nas transações comerciais mundiais não tenha se alterado na mesma proporção. Neste sentido, o objetivo principal dessa dissertação é analisar, de forma descritiva e crítica o desenvolvimento das relações internacionais e comerciais do Brasil e do Rio Grande do Norte com os principais blocos econômicos mundiais no período de 1999 a 2008. Como objetivos secundários: identificar os pressupostos teóricos que alicerçaram as decisões dos governos FHC e Lula, em especial, na interferência destas no tocante as relações internacionais e do comércio exterior. Adotou-se como procedimento metodológico a análise bibliográfica da temática, bem como a coleta e tratamento estatístico dos dados do comércio exterior. Durante o governo FHC o país passou pelo grande crescimento das importações, como parte da estratégia da política econômica anti-inflacionária, gerando grandes déficits comerciais. Na passagem do primeiro para o segundo mandato, com a inflexão da política cambial o país retomou os superávits comerciais. A opção do governo pela autonomia elevou a participação relativa dos blocos tradicionais no total do comércio exterior e reduziu a participação do MERCOSUL. No governo Lula, observa-se a manutenção de alguns elementos da política econômica do governo anterior e a mudança parcial na condução da política externa, com a opção da autonomia pela diversificação, ampliando a participação relativa dos demais blocos e países emergentes no total do comércio exterior brasileiro e redução da participação dos blocos tradicionais, como o NAFTA e a União Europeia. Uma tendência observada no governo anterior e aprofundada no governo Lula foi o crescimento da exportação de produtos básicos e a retração dos produtos manufaturados, confirmando o modelo de inserção conservadora da exportação brasileira. O Rio Grande do Norte acompanhou a tendência brasileira no crescimento do comércio exterior, inclusive na sua inserção conservadora, dado que os produtos exportados pelo estado são basicamente oriundos da fruticultura irrigada e da agroindústria. Porém, no aspecto do destino das exportações, o estado seguiu trajetória distinta do apresentado no governo Lula, com o aprofundamento das relações comerciais com os blocos tradicionais, principalmente com a União Europeia e o NAFTA.
Abstract: The period post-war promoted several changes in relations economic, political and social world. Since then, a new division international of labor has delineated, with the great growth of Asian countries. In the field of international relations, the world still appears to transition is not completed because the old institutions were not replaced by new ones and the power of the United States as a major capitalist country remains unshaken, even with the emergence and strengthening of new economic global blocs. With globalization, Brazil emerges with more intensity in the face of new issues global, although its share in transactions trade global hasn‟t changed accordingly. In this sense, the objective of this dissertation is to examine, in a descriptive and critical the development of international relations and trade of Brazil and Rio Grande do Norte with the main blocs in the world from 1999 to 2008. As a secondary objective: to identify the assumptions theoretical that underpinned the decisions governments of the FHC and Lula, in particular, the interference of these terms in international relations and foreign trade. Adopted as the procedure methodological the literature review of the subject, as well as collection and processing of the data of foreign trade. During the Cardoso government has undergone the substantial growth in imports, as part of the economic policy of anti-inflationary, generating large deficits trade. From the first to the second term, with the inflection of exchange rate policy the country has resumed surpluses trade. The choice of government of the autonomy participation increased the relative share of the traditional blocks in total foreign trade and reduced the share of MERCOSUL. In the Lula government, there is the maintenance of some elements of the economic policy of the previous government and the partial shift in the conduct of foreign policy, with the option of autonomy through diversification, raising its stake on the blocks and other emerging countries in total foreign trade Brazilian and reducing the contribution of the traditional blocks such as NAFTA and the European Union. A trend observed in the previous government and deepened in the Lula government was the growth in commodity exports and the decline of manufactured products, confirming the model of conservative insertion of Brazilian exports. The Rio Grande do Norte followed the trend Brazilian in the growth of foreign trade, including in participating conservative, given that the products exported by the state are basically coming from horticulture irrigated and agribusiness. However, in the aspect of destination export, the state followed trajectory distinct from that in the Lula government, with the deepening of trade relations with traditional blocks, especially with the European Union and NAFTA
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14062
Appears in Collections:PPGECO - Mestrado em Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RelaçõesInternacionaisComércio_Dantas_2009.pdf3.19 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.