Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14074
Título: As regras do jogo: mudanças estruturais na agropecuária do Rio Grande do Norte sob a ótica da nova economia institucional (1990-2010).
Autor(es): Penha, Thales Augusto Medeiros
Palavras-chave: Economia institucional – Dissertação;Agricultura familiar - Dissertação;Desenvolvimento rural – Dissertação;Estrutura de governança - Dissertação;Ambiente institucional - Rio Grande do Norte - Dissertação;Economia regional – Rio Grande do Norte - Dissertação
Data do documento: 13-Dez-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PENHA, Thales Augusto Medeiros. Educação tecnológica e pré-sal: necessidades e urgências. 2011. 120 f. Dissertação (Mestrado em Economia Regional) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: O objetivo desta dissertação de mestrado é verificar se a demanda de mão-de-obra com formação no ensino médio técnico para o setor de Petróleo e Gás (P&G) está em consonância com a oferta daquela formação no sistema educacional brasileiro. A metodologia aplicada para obter tal informação foi baseada no Censo Escolar 2000 e 2008, em que os dados foram trabalhados de maneira a explicitar o número de matrículas nos cursos de nível médio técnico, demandados pelo setor de P&G. A demanda de mão-de-obra com aquela qualificação teve como fonte de dados o Plano de Negócios 2010-2014 do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (PROMINP). Este Programa identificou a demanda futura de mão-de-obra para o setor de P&G até 2014, onde as categorias ocupacionais mapeadas possuem pré-requisitos de formação e experiência. Com o intuito de entender melhor o objeto deste estudo foi feita uma revisão de literatura no que diz respeito ao ensino técnico no Brasil, como também a importância da educação para o crescimento econômico e as peculiaridades da economia do petróleo nos diferentes países possuidores daquelas jazidas, ou seja, países subdesenvolvidos e desenvolvidos. As análises demonstraram que as matrículas no ensino técnico no Brasil apresentaram um significativo aumento entre as datas de 2000 a 2008. Traz também como característica a desarmonia com a dinâmica dos setores produtivos da economia, devido principalmente ao aquecimento da economia antes da crise mundial de 2008, e a retomada recente do crescimento notadamente no Setor de Construção Civil, bem como no setor de Petróleo e Gás Natural e Engenharia Naval por conta da descoberta de petróleo na camada Pré-sal. Outro aspecto relevante é que um dos grandes problemas da qualificação de mão-de-obra no Brasil se deve a má qualidade do ensino fundamental e médio, que dificulta para o futuro profissional um bom desempenho nas suas funções laborais e na capacidade de aprender novas funções. A aproximação entre a oferta no sistema educacional e a demanda de mão-de-obra com a formação de nível médio técnico para o setor de P&G, demonstraram que a maioria dos cursos técnicos demandados não apresentava matrículas em 2008, ou possuíam poucas matrículas nos 15 estados com demanda prevista, e aquelas matrículas estavam mal distribuídas entre os estados. A análise aponta para a necessidade de uma política pública que possibilite a adequação do sistema educacional (Ensino Médio Técnico) ao setor de P&G, tanto no que se refere ao número de matrículas e a sua distribuição entre os estados produtores de petróleo quanto no que se refere à especialidade técnica oferecida
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho busca analisar a trajetória do meio rural do Rio Grande do Norte à luz das teorias institucionalistas, com ênfase na corrente teórica da Nova Economia Institucional (NEI) baseada em dois níveis de análise: macroinstituições ou ambiente institucional e microinstituições ou estruturas de governança, assim como a sua interrelação. Desta forma, analisou-se as transformações no ambiente institucional do Rio Grande do Norte desde os anos 1990 até o final dos anos 2000, de maneira a identificar quem são e como se configuram os agentes ao longo deste processo. Partindo da hipótese de que diante do atual ambiente institucional, diversos agentes atuam no meio rural potiguar. Estes co-existem praticando diferentes estilos de agricultura e constituindo distintas estruturas de governança para dialogar com as macroinstituições. Percebendo também que os agentes que praticam o modo de produção familiar são os mais vulneráveis, estes travam uma luta constante pela sua autonomia. Este trabalho também se propõe a construir um mecanismo que possibilite estes agentes da produção familiar a ganharem maior autonomia diante do ambiente hostil que envolve a agricultura. Assim, a partir da teoria do desenho de mecanismos será constituída uma estrutura de governança, baseada na elaboração de incentivos aos agentes, levando em conta a racionalidade dos agentes em meio à assimetria de informação. Esta estrutura terá como estratégia a cooperação como meio de reduzir a vulnerabilidade dos produtores através da ação em conjunto
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14074
Aparece nas coleções:PPGECO - Mestrado em Economia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ThalesAMP_DISSERT.pdf1,22 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.