Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14148
Título: O discurso formativo do Biólogo sobre a morte: matizes e metáforas do saber que o sujeito não deseja saber
Autor(es): Santos, Valdecí dos
Palavras-chave: Morte;Duplo vida-morte;Finitude da vida;Silêncio ruidoso sobre a morte;Não-dito da morte;Obstáculo epistemológico;Formação;Death. Life-death Double;Finitude of life;Noisy Silence on death;Non-said of death;Epistemological obstacle;Education
Data do documento: 18-Set-2008
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SANTOS, Valdecí dos. O discurso formativo do Biólogo sobre a morte: matizes e metáforas do saber que o sujeito não deseja saber. 2008. 183 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.
Resumo: This study - Biologist s formative speech about death. Nuances and metaphors from knowing that the subject of do not want to know - shows a marginal cognitive construction in scientific education from biologist - death. It considered as obvious that death is a theme that covers both the scientific education from biologist and the division of the subject, and concerns the splitting of the double life-death and the principles of inclusion and exclusion of the subject. Part of sensitive question: What is the epistemological weave who supports biologist's speech about death? It is constituted an object of study of the biologist s speech on death. It is advocated the thesis that: Death is an epistemological obstacle announcing for something always aims to escape from the perspective of knowledge, especially of scientific knowledge because, since it is understood as cognitive learning about the disruption of biological phenomenon life which is involved on weave of imaginary and symbolic constructions about the finiteness of life; it has constituted a metaphorical knowing - encouraged by the noisy silence - which does not allow to know in full, mobilizing hence subject in searching for transitional truths that reduce the ontological being-mortal anguish centered in subjective dimension involved in the act of knowing. From this movement of search that the object mental life after death wins a symbolic value that requires a real-looking multi-referential for the study of biology - life - and its implications: the finiteness of life, especially by moving the omnipotence of scientific objectivity expressed by signs and symbols that seek say the completeness of scientific knowledge-, signaling thus the existence of the dynamics of incompleteness implicit in subjectivity that supports knowledge relating to the double, life and death, and to the temporality of the existence of Homo sapiens sapiens, with the axis guiding the desire of the subject, do not want to know about death, implicit in the mechanisms objective-subjective founded by non-said of death is the epistemology of the existence of objective-subjective subject, whose core is the negation of death. The theoretical methodological knowing web is anchored in the multi-reference which favors a transit by theoretical current, as the Psychoanalysis, bachelardian philosophy, the epistemology of complexity, the Thanatology, the Social Psychology, and Etnocenology, and Understanding Interview. The unveiling of the study object from the analysis of oral speech of eleven biologists who serve in high school, from three main guiding: Death in the history of life,Death in biologist s academic education and, Conceptions about concepts
metadata.dc.description.resumo: Este estudo - O discurso formativo do biólogo sobre a morte. Matizes e metáforas do saber que o sujeito não deseja saber - evidencia uma construção cognitiva marginal na formação científica do biólogo - a morte. Considera como evidente que a morte é um tema que abrange, simultaneamente, a formação científica do biólogo e a cisão do sujeito, e diz respeito à cisão do duplo vida-morte e aos princípios de inclusão e de exclusão do sujeito. Parte da questão sensibilizadora: Qual a tessitura epistêmica que fundamenta o discurso do biólogo sobre a morte? Constitui objeto de estudo o discurso do biólogo sobre a morte. Defende a tese que: A morte é um obstáculo epistemológico anunciador de que algo, sempre, escapará na perspectiva objetiva do conhecimento, especialmente do conhecimento científico, visto que, compreendida como a construção cognitiva sobre a ruptura do fenômeno biológico vida, está implicada na tessitura de construções imaginárias e simbólicas sobre a finitude da vida; constitui-se um saber metafórico fomentado pelo silêncio ruidoso -, que não se permite conhecer por inteiro, mobilizando, assim, o sujeito à busca/procura de verdades transitórias que reduzam a angústia ontológica de ser-mortal nucleada na dimensão subjetiva implicada no ato de conhecer. É nesse movimento de busca/procura que o objeto mental vida pós-morte ganha um valor simbólico-real que requer um olhar multirreferencial para o objeto de estudo da Biologia a vida e a sua implicação: a finitude da vida, especialmente, por deslocar a onipotência da objetividade científica expressa por signos e símbolos que procuram dizer da completude do conhecimento científico -, sinalizando, assim, a existência da dinâmica da incompletude implícita na subjetividade que fundamenta a construção de saberes relativos ao duplo vida-morte e à temporalidade da existência do Homo sapiens sapiens, tendo como eixo norteador o desejo do sujeito, de não desejar saber sobre a morte, implícito nos mecanismos objetivos-subjetivos fundamentados pelo não-dito da morte que constitui a epistemologia da existência do sujeito objetivo-subjetivo, cujo núcleo é a negação da morte. A teia epistêmica teórico-metodológica ancora-se na Multirreferencialidade que favorece um trânsito por correntes teóricas, como, a Psicanálise, a filosofia bachelardiana, a epistemologia da complexidade, a Tanatologia, a Psicologia Social, e a Etnocenologia, e na Entrevista Compreensiva. O desvelamento do objeto de estudo parte da análise dos discursos orais de onze biólogas que atuam no Ensino Médio da Educação Básica, a partir de três eixos norteadores: A morte na história de vida, A morte na formação acadêmica do biólogo e, Concepções sobre conceitos
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14148
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ValdeciS.pdf558,19 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.