Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14239
Título: Prototexto, narrativa poética da ciência: uma estratégia de construção do conhecimento e religação de saberes no ensino de física
Autor(es): Araujo, Valmir Henrique de
Palavras-chave: Ensino de física;Narrativa poética;Estratégia;Complexidade;Caos;Teaching of physics;Poetic narrative;Complexity;Chaos;Strategy
Data do documento: 19-Out-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: ARAUJO, Valmir Henrique de. Prototexto, narrativa poética da ciência: uma estratégia de construção do conhecimento e religação de saberes no ensino de física. 2009. 125 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: In this thesis I present the prototexto notion and to I base as a complex system while strategy of knowledge construction and reconexion of you know in physics teaching. Prototexto is a poetic narrative of the science, proposal and used initially as "instrument of creative" learning for students apprentice of science of the medium and technical teaching of the Vitória da Conquista's CEFET-BA, in the period of 1997-2004. Later become pregnant as a strategy of knowledge construction, in the Universidade Estadual da Bahia - UESB, the prototexto notion configures a complement to the mathematical formulation. The proposal of a poetic narrative of the science is that the apprentice of science starts to organize in an aesthetic-literary way your knowledge, dispersed in disciplines, starting from a theme of the physics. The prototexto emerges of my reflections concerning the classic science, identified for Edgar Morin as tends a thought excessively numeric, and that it has been reproduced in physics teaching, in most of the schools, limiting him/it to an order pattern with the mistake absence. They are operations of the prototexto: the poetic language, the pedagogic stamp, the unfinished of the argument, the system character and the apprentice's of science inclusion as subject implicated in the construction of the knowledge. the theoretical foundations are based Morin's proposition of the method as strategy, the beginning of the complementarity of Niels Bohr in conceiving excluding categories as face of a same phenomenon and the conception of creative time of Ilya Prigogine that enunciates the alliance among the nature and the man that it describes her
metadata.dc.description.resumo: Nesta tese apresento a noção de prototexto e a fundamento como um sistema complexo enquanto estratégia de construção de conhecimento e religação de saberes no ensino de física. Prototexto é uma narrativa poética da ciência, proposta e utilizada inicialmente como instrumento de aprendizagem criativa para estudantes do ensino técnico e médio, do CEFET-Vitória da Conquista-BA, no período de 1997-2004. Concebida a partir de 2001 como uma estratégia de construção de conhecimento, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB, a noção de prototexto configura um complemento à operacionalidade matemática. A proposta de uma narrativa poética da ciência supõe que o estudante, aprendiz de ciência, passe a organizar os seus conhecimentos em uma matriz literária complexa. Esta matriz procura fazer conviver tanto os aspectos do formalismo matemático quanto a discursividade da ciência necessários para a formação de um aprendizado que almeje aos múltiplos aspectos do conhecimento, dispersos em disciplinas, a partir de um tema da física. Tal proposta emerge das minhas práticas em sala de aula e reflexões acerca do ensino de física com ênfase matemática, na maioria das escolas, limitando o ensino a um padrão de ordem com a ausência de erro. São operações do prototexto: a linguagem poética, estratégia de construção do conhecimento, inacabamento da argumentação e a inclusão do aprendiz de ciência como sujeito implicado na construção do conhecimento. Na fundamentação teórica assumo a proposição de Edgar Morin do método como estratégia, o princípio da complementaridade de Niels Bohr em conceber categorias excludentes como face de um mesmo fenômeno e a concepção de tempo criativo de Ilya Prigogine que enuncia a aliança entre a natureza e o homem que a descreve
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14239
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ValmirHA_TESE.pdf865,03 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.