Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14374
Título: Em nome da república: escolas e tradições modernas
Autor(es): Moreira, Keila Cruz
Palavras-chave: História da Educação;Colégio Americano;Grupo Escolar Modelo;Tradição;República;History of education;American college;Model elementary school;Tradition and the Republic
Data do documento: 21-Mar-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: MOREIRA, Keila Cruz. Em nome da república: escolas e tradições modernas. 2011. 177 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: Our research aims to analyze some institutions of primary education in so-called First Republic in Natal/RN, when they were considered high standard institutions on training, dissemination and creation of national identity and republican traditions. Thus, we investigated to try to understand the creation of the new man and the invention of new traditions to confirm the status of republican modernity in two schools in Natal, the Colegio Americano, a private one, and a standard model of school, Augusto Severo, which is a public one. As a basis we have the history of institutions to analyze, paying close attention to consider the use of imitation in cultural patrimony as well as the use of strategies to distinguish. The concept of ownership follows, for present purposes, their focus of study on observation of diverse and contrasting use of these cultural objects, texts, readings and ideas from research institutions. For analysis of the link which occurs within the school environment, in every period of its history, we used the concept of school culture as a set of rules and practices which define knowledge to teach and conduct the introject. A culture that incorporates the school to keep a set with other religious cultures, political and popular of its time and space. In this sense, the educational institutions which we studied while showing what kind of in this work by preparing cultures, codes, different practices, and specific individuals they have, they were in important locations to provide modern cultural appropriation as a strategy for educational innovation and a factor of rationality and efficiency which could be observed and controlled, so gradually the modern school education was organized to produce its own society. As a challenge of affirmation and incorporating diverse social experiences to produce the modern, civilized man of the Republican time, the school, as part of the social life, which is singular in its practices, not only the set of reforms, decrees, laws and projects, but also as expressions of concept about life and society in terms of material, symbolic and cultural symbols in the social context in modernization. We focused on these two schools, because inside the wide cultural and material status of the city, they were the first republic schools which had the goal of having men and woman together culturally , with a view to adapting them to the modern movement to make them civilized / educated / rational . On this view, we would emphasize that this statement needs a reinvention as a new way through what is made at the schools which production of new spaces, practices, rites and what represents school, making and expressing a new identity, modern, different of the old symbols of the Empire. For this, nothing better than the organization of schooling, emphasizing on educating the individual and his/her responsibilities with the order and progress. We need to understand the past as a result of conflicts, including strengths and limitations within the historical and social context, and the invention of tradition as a process of formalization and ritualization of acts which want to perpetuate, as a reference to a group identity. These are practices and social educative representations which support the understanding of pedagogical and educational ideas at this historical moment, making a new way of being and doing in the Republican universe
metadata.dc.description.resumo: Nossa pesquisa prioriza a análise das instituições de ensino primário na chamada Primeira República em Natal/RN, enquanto instâncias privilegiadas na formação, divulgação e criação da identidade nacional republicana e suas tradições. Assim, buscamos investigar e compreender a criação do homem novo e a invenção de novas tradições para confirmarem o status de modernidade republicana dentro de duas instituições escolares na cidade do Natal, o Colégio Americano (de iniciativa privada) e o grupo escolar modelo, Augusto Severo (pública). Temos como base de análise a História das instituições, tendo o cuidado de considerar a imitação do uso de bens culturais bem como o uso de estratégias de distinção. A noção de apropriação segue, para fins deste trabalho, seu foco de estudo na observação do emprego diverso e contrastante dos mesmos bens culturais, textos, leituras e idéias das instituições pesquisadas. Para análise das relações que ocorrem dentro do ambiente escolar, em cada período de sua história, utilizamos o conceito de cultura escolar, enquanto um conjunto de normas e práticas que definem conhecimentos a ensinar e condutas a introjetar. Uma cultura que incorpora o fazer escolar, mantendo um conjunto com outras culturas religiosas, políticas e populares de seu tempo e espaço. Nesse sentido, as instituições educativas estudadas neste trabalho, ao disporem de culturas, códigos, práticas diferenciadas, singulares e específicas, constituíram-se em locais privilegiados para se darem apropriações culturais modernas, como estratégia de inovação educacional e fator de racionalidade e eficiências, observáveis e controláveis. Paulatinamente, a educação escolar moderna, se organizava ao produzir a própria sociedade. No desafio da afirmação e incorporação de diversas experiências sociais para produzir o homem republicano moderno e civilizado, a escola, como parte do social, singularizava em suas práticas, não somente o conjunto de reformas, decretos, leis e projetos, mas expressões de concepções de sociedade e vida no plano material, simbólico e cultural, no contexto social em modernização. Detemo-nos nessas duas instituições porque dentro do diverso estado material e cultural da cidade foram as primeiras escolas republicanas que objetivavam homogeneizar culturalmente homens e mulheres na perspectiva de adequá-los ao movimento da modernidade para fazê-los civilizados/educados/racionais. Sobre esse prisma convém destacar que essa reinvenção necessita de uma afirmação como nova forma escolar através da produção de novos espaços, práticas, ritos e símbolos escolares, produzindo e expressando uma nova identidade, o moderno, contrário aos símbolos ultrapassados do Império. Para tanto, nada melhor do que a organização da instrução escolar, com ênfase na formação do indivíduo, e suas responsabilidades com a ordem e o progresso. É entendermos o passado como resultado dos conflitos, com suas potencialidades e limites dentro do contexto histórico e social e a invenção de tradições enquanto processo de formalização e ritualização de atos que se quer perpetuar como referência de identidade a um grupo. São essas práticas e as representações sócio-educativas que favoreceram a compreensão das idéias pedagógico-educacionais nesse momento histórico, destinadas a formar um novo modo de ser e fazer no universo republicano
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14374
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KeilaCM_TESE.pdf2,06 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.