Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14382
Título: Praxiologia e representação social sobre formação de professores nas licenciaturas da UFPI
Autor(es): Queiroz, Nilza Maria Cury
Palavras-chave: Praxiologia;Campo acadêmico;Subcampo da formação de professores;Habitus;Representação social;Formadores de professores;Praxeology;Academic field;Subfield of teachers education;Habitus;Social representation;Teachers trainers
Data do documento: 14-Nov-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: QUEIROZ, Nilza Maria Cury. Praxiologia e representação social sobre formação de professores nas licenciaturas da UFPI. 2011. 393 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: At this investigation it was analyzed the content and the organization of the social representation on the object teachers education, built by teachers of degree courses from Universidade Federal do Piauí(Ufpi), understanding such representation articulated to the teaching habitus of these educators of teachers, what takes under consideration the position that they hold in the structure of the national field and in the subfield of teachers education. For that, it is searched: a) to emphasize the properties of the place in which the trainers act Ufpi as the office of those field and subfield; b) to understand who are the trainers, that is, to grasp the teaching habitus of the trainers with a view of its origin, social trajectory and the specifics of their position in the analyzed field and the subfield and c) to know what they think about their work object, that is, identify and articulate the content and the organization of the social representation analyzed with their properties of field and subfield agents. The research includes the specific degree courses of the Campus Ministro Petrônio Portella , from Teresina(PI), and it was applied to 134 professors of degree courses from this Campus. The data collect joined to the participants happened on the second period of 2008 and on the first semester of 2009. The starting point of the study is the corroboration that the reform of Ufpi degree courses, determined by the legislation and stablished at this Institution in 2005, altered a little the previous situation. It is comprehended that Ufpi and its structures of teachers education as a trainer institution, is limited by the national academic field and by the subfield of teachers education. From this last one, it was listed some of its properties, to show that it is about an academic subfield in construction process. It is emphasized division of the subfield, that separates the trainers into two subgroups the ones who dedicate themselves to the specific education on the contents and those ones who are specialized on pedagogical education placed in antagonistic position and competing by the symbolic power of imposing the meaning and the sense of the teachers education in the degree courses. To understand the comprehension of the problem, it is searched for the models that are in the root of the construction of the University and its project of teachers education in the degree courses, to clarify the matrixes in which the social representation searched is stablished. The theoretical referential articulates the contributions of Moscovici, the theory of social representations, and of Bourdieu, with the concepts that compose its praxeology, as habitus, social field, capital, symbolic power and others, as well as their interpreters and continuators, as Domingos Sobrinho. From the literature about the university and teachers education, it was used Dermeval Saviani, Luiz Antônio Cunha, Maria Isabel da Cunha and Mirian Jorge Warde, besides others. Plurimethodological procedures were adopted, combining associative techniques adjusted to the access to the social representations, and a classic technique, a questionnaire about teaching habitus. The condition is that the teachers build different social representation of the object teachers education because of the distinct positions that they occupy in the structure of the academic field and the subfield of the teachers education. The reached positions in the field and subfield are due to the differences in the origin and social trajectory of these agents, who, therefore, have different teaching habitus from which they build their social representation about their work object. It is highlighted that the teaching habitus and the social representation of two subfields, identified by the belongings to different dimensions of the teachers education in the degree courses, they have similarities and, also, differences. These ones permit to support that the subjects are holders of distinct teaching habitus that conceive different practices, struggles, tensions and conflicts around the sense of teachers education
metadata.dc.description.resumo: Nesta investigação, analisamos o conteúdo e a organização da representação social sobre o objeto formação de professores, construída pelos professores de licenciatura da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), entendendo tal representação articulada aos habitus docentes desses formadores de professores, o que remete a considerações sobre a posição que ocupam na estrutura do campo acadêmico nacional e do subcampo da formação de professores.Para isso, buscamos: a) evidenciar as propriedades do lugar em que atuam os formadores a Ufpi, como agência daqueles campo e subcampo; b) compreender quem são os formadores, ou seja, apreender os habitus docentes dos mesmos tendo em vista sua origem, trajetória social e a especificidade de suas posições no campo e subcampo analisados e c) conhecer o que pensam sobre seu objeto de trabalho, isto é, identificar e articular o conteúdo e organização da representação social analisada com suas propriedades de agentes do campo e subcampo. A pesquisa cinge-se aos cursos de licenciatura específica do Campus Ministro Petrônio Portella , de Teresina (PI), e foi aplicada a 134 professores de licenciaturas desse Campus. A coleta de dados junto aos participantes se deu no segundo período de 2008 e no primeiro de 2009. O ponto de partida do estudo é a constatação de que a reforma das licenciaturas da Ufpi, determinada pela legislação e adotada nessa Instituição em 2005, pouco alterou a situação anterior. Compreendemos a Ufpi - e suas estruturas de formação de professores - como instituição formadora, circunscrita pelo campo acadêmico nacional e pelo subcampo da formação de professores. Deste último, inventariamos algumas de suas propriedades, para evidenciar que se trata de um subcampo acadêmico em processo de construção. Enfatizamos a divisão desse subcampo, que separa os formadores em dois subgrupos - os que se dedicam à formação específica nos conteúdos e aqueles especializados na formação pedagógica - colocados em posição antagônica e disputando o poder simbólico de impor o significado e o sentido da formação de professores nas licenciaturas. Visando à compreensão do problema, buscamos os modelos que estão na raiz da construção da Universidade e de seu projeto de formação de professores nas licenciaturas, para esclarecer as matrizes em que se ancora a representação social pesquisada. O referencial teórico articula os aportes de Moscovici, a teoria das representações sociais, e de Bourdieu, com os conceitos que compõem sua praxiologia, como habitus, campo social, capital, poder simbólico e outros, bem como de seus intérpretes e continuadores, como Domingos Sobrinho. Da literatura sobre universidade e formação de professores, recorremos a Dermeval Saviani, Luiz Antônio Cunha, Maria Isabel da Cunha e Mirian Jorge Warde, além de outros. Adotamos procedimentos plurimetodológicos, combinando técnicas associativas, adequadas ao acesso às representações sociais, e uma técnica clássica, um questionário sobre habitus docentes. O pressuposto é de que os docentes constroem diferentes representações sociais do objeto formação de professores por força das distintas posições que ocupam na estrutura do campo acadêmico e do subcampo da formação de professores. As posições alcançadas no campo e subcampo são devidas a diferenças na origem e trajetória social desses agentes, que, portanto, têm diferentes habitus docentes a partir dos quais constroem sua representação social sobre seu objeto de trabalho. Evidenciamos que os habitus docentes e a representação social de dois subgrupos, identificados pela pertença a diferentes dimensões da formação de professores nas licenciaturas, têm semelhanças e, também, diferenças. Estas permitem sustentar que os sujeitos são detentores de distintos habitus docentes que engendram práticas diferentes, lutas, tensões e conflitos em torno do sentido de formação de professores
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14382
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
NilzaMCQ_TESE.pdf2,92 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.