Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14491
Título: Guiando almas femininas: a educação protestante da mulher em impressos confessionais no Brasil e em Portugal (1890-1930)
Autor(es): Silva, Sandra Cristina da
Palavras-chave: Educação feminina. Impressos confessionais. Educação protestante;Female education. Printings confessionals. Protestant education
Data do documento: 16-Dez-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: SILVA, Sandra Cristina da. Guiando almas femininas: a educação protestante da mulher em impressos confessionais no Brasil e em Portugal (1890-1930). 2013. 215 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: This paper treats confessional printings as a non formal space for the female education. It reflects on the importance of the woman s role to the diffusion of Protestantism in general, and its Presbyterian trend in particular, besides commenting on the proliferation of printings at the First Republic and its relation with education. In this study, Brazilian Northeastern is seen as a relevant space to the diffusion of Protestantism in Brazil; especially on what concerns the relations between Rio Grande do Norte and Pernambuco. Thereby some fountains were fundamental, as the confessional printings, that is, newspapers, magazines, prospects and other materials recollected in archives located in Natal/RN and Recife/PE, and São Paulo. It was also provided a brief incursion on Portuguese confessional printings kept in Oporto, PT. New Cultural History was chosen as theoretic-methodological guide, franchising ways inside the history of book and reading with the help of concepts like Interdependence, Social Configuration (ELIAS, 1993, 1994) and Representation (CHARTIER, 1990), considering that the survey worked out culture-manufactured products that is, intentional materials. It is well known that publishing, or better, the dissemination of printed material used to be associated to Protestants missionary practices since Reform began and, as what concerns the investigated period, in Portuguese and Brazilian lands indistinctly. Printing material in general books, booklets, fragments, as well as the press itself played a central role in divulging reformed ideas, their social options and the means of being and intervening in the world. In this regard, the confessional printings established themselves as an educative, although non schooled, informal space, but, all considered, relevant, seen that they dialogue with another important demand of that social group: formal, literate education. Because it dealt with the diffusion of a printed culture supported by the written word, it required of that group a different modus operandi: formal education. The first letters schools at first, then the high schools later represented spaces established for the circulation of printing material in order that they should be read, divulged and comprehended. This survey intends at last to take a look at Protestantism which, in this context of self-affirmation, reserved a specific place to woman by working out a non formal educational proposal disseminated by printing material. Three models were highlighted in the reformed proposal: Christian education in itself, household education, whose references of motherhood and care towards the neighbor were present and, at last, education to the public space, with emphasis on the practice of teaching. This study also offers a brief dialogue between Brazil and Portugal because, when some periodic printing, book or something like that got to be published in one margin of the Atlantic Ocean, the other margin surely was affected by that feat, received it, divulged it, corroborating the argument in support of the circulation of these printings. It was not only the same language that survived in both maritime coasts; some protestant specificities also crossed out along that sea
metadata.dc.description.resumo: O presente trabalho identifica os impressos confessionais como espaço não formal para a educação feminina, reflete acerca da importância do papel da mulher na difusão do Protestantismo em geral e da vertente presbiteriana em particular, além de dissertar sobre a proliferação dos impressos na Primeira República e sua relação com a educação. Compreende o Nordeste brasileiro como espaço de relevância na difusão do Protestantismo no Brasil, em especial as relações forjadas entre o Rio Grande do Norte e Pernambuco. As fontes utilizadas foram impressos confessionais, a saber, jornais, revistas, prospectos, coletadas em arquivos das cidades de Natal/RN, Recife/PE e São Paulo/SP. Vale salientar que uma breve incursão também foi feita nos jornais confessionais portugueses, coletados nos arquivos da cidade do Porto/PT. Como opção teórico-metodológica, elegeu-se a Nova História Cultural, transitando pela história do livro e da leitura, utilizando os conceitos Interdependência, Configuração Social (ELIAS, 1993, 1994) e Representação (CHARTIER, 1990), uma vez que a pesquisa em tela utilizou-se de materiais culturalmente produzidos e logo, intencionais. Sabe-se que a atividade editorial, ou seja, a divulgação de material impresso esteve, frequentemente, aliada à atividade missionária dos protestantes desde o início da Reforma e, particularmente, no período investigado, tanto em terras brasileiras quanto portuguesas. Os impressos de um modo geral livros, porções, opúsculos e a imprensa, de forma singular, tiveram um papel central na difusão das ideias reformadas, de suas opções sociais e dos modos de estar e intervir no mundo. Sob tais aspectos, os impressos confessionais estabeleceram-se como um espaço educativo, não escolarizado, informal, mas de igual maneira relevante, uma vez que dialogavam com outra necessidade do grupo social em pauta: a educação escolar, letrada. Por se tratar da difusão de uma cultura impressa, balizada pela palavra escrita, exigia um modus operandi diferenciado por parte desse grupo social: a educação formal. As escolas de primeiras letras, inicialmente, e os grandes colégios depois, foram espaços propostos e criados a fim de que o impresso também pudesse circular, ser lido, divulgado, aprendido. Esta pesquisa pretende, ao fim e ao cabo, lançar um olhar sobre o Protestantismo que, nesse contexto de autoafirmação, destinou, de certa forma, um lugar específico à mulher, forjando uma proposta educativa não formal disseminada através dos impressos. Três modelos se destacaram na proposta reformada: a educação cristã, propriamente dita, a educação doméstica, cujos referenciais de maternidade e cuidado com o próximo estavam presentes e, por fim, a educação para o espaço público, com ênfase para o exercício do magistério. O presente texto traz, ainda, um breve diálogo entre o Brasil e Portugal, pois quando um periódico, livro ou algo do gênero era publicado em uma das margens do Atlântico, a outra seguramente participava do feito, recebendo a mesma publicação ou, ao menos, fazendo menção a ela, o que corrobora o argumento da circulação desses impressos. Não apenas uma língua comum sobreviveu nas duas costas marítimas: algumas especificidades protestantes também navegaram por esse mar
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14491
Aparece nas coleções:PPGED - Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SandraCS_TESE.pdf3,19 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.