Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14579
Título: Corporeidade e humanescência: cenários ludopoiéticos na vida de professores contadores de história
Autor(es): Camara, Maria das Dores da Silva Timoteo da
Palavras-chave: Contação de histórias. Ludopoiese. Humanescência;Storytelling. Ludopoiese. Humanescence
Data do documento: 14-Out-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CAMARA, Maria das Dores da Silva Timoteo da. Corporeidade e humanescência: cenários ludopoiéticos na vida de professores contadores de história. 2013. 168 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: During the latest years, the art of storytelling has received special attention from those who make education, art and culture. The storyteller is a singular person who manages to seduce itself and its listeners, by involving them in an atmosphere of pleasure and complicity, dodging situations, space and time, providing delight, stimulating creativity, daydreaming and imagination. This is a study developed with storyteller teachers that takes as its starting point the need to change the landscape of education, which seeks to emphasize the affirmation of embodiment of the teacher, so that it participates in a creative self-dynamic and the context in which they live. In addition , the following purposes accompanied the study : education - liberating practice and human development ; corporality - radiant , first and main focus of educational criteria; playfulness - a human dimension ; autopoiese - as an organization of human beings that produces and continuously transforms itself; flow experience concerns the feeling of full involvement in the activity , the psychic energy toward something that is being produced or performed , something that brings us pleasure , happiness and profound sense of well being. As general objective of the study we analysed the humanescent self-formation and its ludopoiética nature in storyteller teachers from humanescent workshops developed in a state school in Natal / RN. In view of the overall objective , we developed the following specific objectives : to identify the ludopoiéticas properties of self-worth , self-connectivity , self-territoriality , autotelia and self realization present in the life of storyteller teachers and the changes in the school environment, from the development of humanescent workshops; reveal the nature of humanescent self-training in storyteller teachers lives. The investigated group had the participation of eight teachers, and had the Escola Estadual Potiguassu as environment for the research. This is a descriptive study, understood as an action-research , developed with basis in the fundamentals and ethnomethodological principles , which used eight humanescents workshops , developed in the context of humanescent experiential pedagogy in conjunction with participant observation .The analyzes were focused on the chosen categories for the study : self-worth , self-connectivity , self-territoriality , autotelia and self-, indexicality and reflexivity . In terms of conclusions, we noted that the properties of ludopoiese were unveiled in the lives of the teachers by providing changes in their ways of being and living together. The teachers have become more creative and intensely began to experience their own life, social life, as well as its meaning. The struggle for a more cheerful and happy school was another important development highlighted in the reports of the teachers, also observing that there was a significant improvement in the reduction of violence in the school environment. Thus, we emphasize that the teachers began to recognize themselves like being ludic, playing with the beauty of storytelling and life
metadata.dc.description.resumo: Nos últimos anos, a arte de contar histórias vem recebendo atenção especial por parte daqueles que fazem educação, arte e cultura. O contador de histórias é uma figura singular, que consegue seduzir-se e seduzir seus ouvintes, envolvendo-os num clima de prazer e cumplicidade, driblando as situações, o espaço e o tempo, proporcionando encantamentos, estimulando a criatividade, o devaneio e a imaginação. Trata-se de um estudo desenvolvido com professoras contadoras de histórias que toma como ponto de partida a necessidade de mudança de paisagem da educação, que procura ressaltar a afirmação da corporeidade do professor, de forma que ele participa de uma dinâmica criativa de si mesmo e do contexto em que vive. Além disso, os seguintes pressupostos acompanharam o estudo: educação - prática libertadora e desenvolvimento humano; corporeidade - foco irradiante, primeiro e principal de critérios educacionais; ludicidade - uma dimensão humana; autopoiese - condição de organização do ser humano que se autoproduz e se transforma continuamente; experiência de fluxo enquanto sensação de completo envolvimento na atividade, da energia psíquica em direção a algo que está sendo produzido ou realizado, algo que nos traz prazer, felicidade e profunda sensação de bem-estar. Como objetivo geral do estudo analisamos a autoformação humanescente e sua natureza ludopoiética em professores contadores de histórias, a partir de ateliês humanescentes desenvolvidos em uma escola estadual na cidade de Natal/RN. Para atender ao objetivo geral, elaboramos os seguintes objetivos específicos: identificar as propriedades ludopoiéticas da autovalia, autoconectividade, autoterritorialidade, autotelia e autofruição, presentes na vida dos professores contadores de histórias e as mudanças ocorridas no ambiente escolar, a partir do desenvolvimento de ateliês humanescentes; revelar a natureza da autoformação humanescente na vida dos professores contadores de histórias. O grupo investigado teve a participação de oito professoras, tendo, como ambiente de pesquisa, a Escola Estadual Potiguassu. Trata-se de um estudo descritivo, compreendido como uma pesquisa-ação, desenvolvida com bases nos fundamentos e princípios etnometodológicos, que utilizou oito ateliês humanescentes, desenvolvidos no contexto da pedagogia vivencial humanescente em conjunto com a observação participante. As análises foram centradas nas categorias elegidas para o estudo: autovalia, autoconectividade, autoterritorialidade, autotelia, autofruição, indicialidade e reflexividade. Em termos de conclusões, evidenciamos que as propriedades da ludopoiese se revelaram na vida das professoras por proporcionarem mudanças nas suas formas de ser e de conviver. As professoras tornaram-se mais criativas e passaram e experienciar intensamente o seu viver e conviver, o sentido da vida. A luta por uma escola mais alegre e feliz foi outra revelação importante destacada nos relatos das professoras, observando-se ainda que ocorreu uma melhora significativa na diminuição da violência no ambiente da escola. Assim, destacamos que as professoras passaram a se autorreconhecer como ser lúdico, jogando com a beleza da contação de história e da vida
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14579
Aparece nas coleções:PPGED - Mestrado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaDSTC_DISSERT.pdf2,89 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.