Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14639
Título: Vivendo o bem estar no desconhecido: experiência da mulher com a presença do acompanhante no processo de parto
Título(s) alternativo(s): Living the well-being in the unknown: the woman´s experience with the presence of a birth-partner
Autor(es): Costa, Maria Cláudia Medeiros Dantas de Rubim
Palavras-chave: Humanização;Parto;Acompanhante;Cidadania;Humanization;Birth;Birth partner;Citizenship
Data do documento: 31-Ago-2007
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: COSTA, Maria Cláudia Medeiros Dantas de Rubim. Living the well-being in the unknown: the woman´s experience with the presence of a birth-partner. 2007. 121 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.
Resumo: The humanization of the birth process is a current health policy priority. Within that perspective, the presence of a partner during the birth is a benefit guaranteed by the Law 111008/05. The purpose of this study is to comprehend the woman s experience with the presence of a birth partner as a legal right. It is a qualitative descriptive study based on Symbolic Interactionism and conducted using the grounded theory methodology. Data were collected by semi-structured interviews conducted during August to December 2006, with women that had the presence of a partner during their birth experience and that were in the first 24 hours of puerperium. Data analysis resulted in the identification of the phenomena: FEELING GOOD, RECOGNIZING THE BOND WITH THE PARTNER, RECOGNIZING THE IMPORTANCE OF THE EXPERIENCE and NOT KNOWING THE RIGHT. These enabled the identification of the central phenomenon LIVING THE WELL-BEING IN THE UNKNOWN. The study demonstrated that the birth experience with the presence of partner is a positive one, resulting in benefits such as tranquility, support, and assurance, which, in that context, signify well-being. However, the women do not visualize the experience as a right, therefore remaining alienated from their civic practice. The understanding of the experience was enabled by the conceptual construction obtained from the categories of the interactions between the women and their birth partners during the event. The explanation of the phenomenon LIVING THE WELL-BEING IN THE UNKNOWN reflects the theoretical structure obtained from the integration of the identified concepts. The study points out the need for health professionals to improve the information given to women during the birth process and to work the civic duties of the women in reproductive health
metadata.dc.description.resumo: A humanização do parto e nascimento tem sido prioridade nas atuais políticas públicas da saúde. Dentro desta perspectiva, a presença do acompanhante no parto é um benefício garantido através da Lei 11108/05. O propósito da pesquisa foi compreender a vivência da mulher no parto acompanhado, enquanto direito legal. É um estudo descritivo, com enfoque qualitativo, baseado no interacionismo simbólico e realizado através da metodologia da Teoria Fundamentada nos Dados. A coleta de dados foi realizada através de entrevista semi-estruturada no período de agosto a setembro de 2006, com mulheres que tiveram a presença do acompanhante no processo de parto e estavam nas primeiras 24 horas de puerpério. Após a fase de tratamento e análise dos dados, surgiram os fenômenos: SENTINDO - SE BEM, RECONHECENDO O VÍNCULO COM O ACOMPANHANTE, RECONHECENDO A IMPORTÂNCIA DA EXPERIÊNCIA e DESCONHECENDO O DIREITO. Estes possibilitaram a identificação do fenômeno central: VIVENDO O BEM-ESTAR NO DESCONHECIDO. O estudo mostrou que a vivência do parto com a presença do acompanhante é uma experiência positiva que traz benefícios, como tranqüilidade, apoio, segurança, traduzidas no contexto como bem-estar. As mulheres não visualizaram a experiência como um direito, portanto, são alheias à cidadania, já que não entendem como tal. Esta compreensão é resultado de uma elaboração teórica conceitual, realizada a partir das categorias construídas pelas mulheres e acompanhantes nas interações durante o acontecimento. A explicação do fenômeno VIVENDO O BEM-ESTAR NO DESCONHECIDO reflete a estrutura teórica da integração dos conceitos. Esta pesquisa aponta para a necessidade de os profissionais de saúde trabalharem melhor as orientações e os aspectos de cidadania junto às mulheres no contexto de saúde reprodutiva
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14639
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MariaClaudiaMDRC.pdf634,36 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.