Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14664
Título: As representações sociais da morte e do processo de morrer para profissionais que trabalham em unidade de terapia intensiva uti
Autor(es): Guerra, Débora Rodrigues
Palavras-chave: Morte;Morrer;UTI;Death;Dying;ICU
Data do documento: 9-Dez-2005
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: GUERRA, Débora Rodrigues. As representações sociais da morte e do processo de morrer para profissionais que trabalham em unidade de terapia intensiva uti. 2005. 101 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.
Resumo: This study aimed to seize the general social representations of doctors and nurses who work in ICUs on the process of death and dying. We also aimed to know the social representations of these professionals in relation to death and the process of dying of people who are under their care, identify factors that influence the construction of these representations and identify similarities and differences between the two professions. The study was conducted from the perspective of the Theory of Social Representations of Serge Moscovici and the Central Nucleus of Jean-Claude Abric. The study was conducted in the Intensive Care Unit of Natal Hospital Center, a private hospital of the city of Natal - Rio Grande do Norte. This is descriptive and exploratory research. Twenty-four (24) professionals were interviewed, twelve (12) nurses and twelve (12) doctors. Data were collected through two instruments: Test of Free Association of Words, semi-structured interview. Later, they were coded, categorized and analyzed according to Content Analysis of Bardin (1977). The words evoked after the use of inducing words - death and dying - and the interviews, led to three thematic categories: Death and dying as a biological event, death and dying as a psychosocial event, death and dying as a transcendental event. As final considerations, we believe that the social representations of the group are translated in death and dying as biological and psychosocial events and anchored in the transcendental aspects, we do not see obvious differences in the testimonies of doctors and nurses , and the factors that interfere the construction of these offices is the culture, including religion
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo teve como objetivo geral apreender as representações sociais de médicos (as) e enfermeiros (as) que trabalham em Unidade de Terapia Intensiva UTI sobre a morte e o processo de morrer. Tivemos ainda como objetivos conhecer as representações sociais desses profissionais em relação à morte e o processo de morrer de pessoas que estão sob os seus cuidados, identificar os fatores que influenciam na construção dessas representações e identificar convergências e divergências entre as duas profissões. O estudo foi realizado sob a ótica da Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici e do Núcleo Central de Jean-Claude Abric. A pesquisa foi realizada na Unidade de Terapia Intensiva do Natal Hospital Center, instituição da rede privada da cidade de Natal Rio Grande do Norte. Trata-se de uma pesquisa do tipo descritiva e exploratória. Para atender os objetivos propostos entrevistamos 24 (vinte e quatro) profissionais, sendo 12 (doze) enfermeiros (as) e 12 (doze) médicos (as). Os dados foram coletados através de dois instrumentos: Teste de Associação Livre de Palavras e entrevista semi-estruturada. Posteriormente, foram codificados, categorizados e analisados de acordo com a Análise de Conteúdo de Bardin (1977). As palavras evocadas após o uso das palavras-indutoras morte e morrer , bem como as entrevistas, deram origem a três categorias temáticas: Morte e morrer como evento biológico; Morte e morrer como evento psicossocial; Morte e morrer como evento transcendental. Como considerações finais, entendemos que as Representações Sociais do grupo estão objetivadas na morte e morrer como eventos biológico e psicossocial e ancoradas nos aspectos transcendentais; não percebemos divergências evidentes nos depoimentos de médicos(as) e enfermeiros(as); e os fatores que interferem na construção destas representações é o cultural, especialmente, a religião
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14664
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DeboraRG.pdf674,92 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.