Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14697
Título: Hipertensão arterial e fatores de risco em servidores atendidos pelo departamento de assistência da Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Autor(es): Freire, Lucia de Fatima
Palavras-chave: Saúde do trabalhador;Hipertensão arterial;Fatores de risco;Worker´s health;Arterial hypertension, Risk factors
Data do documento: 30-Out-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: FREIRE, Lucia de Fatima. Hipertensão arterial e fatores de risco em servidores atendidos pelo departamento de assistência da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 2009. 90 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: Systemic arterial hypertension is a multifactorial disease that contributes to the country´s high cardiovascular morbi-mortality rates. Considering that hypertension affects individuals in their most productive age while facing work and living risk factors, it is important to investigate its occurrence and predisposing factors in different occupational segments. The objective of this study was to identify the prevalence of hypertension among workers attended to in a medical service of a public university, their hypertension levels, the risk factors present, and their knowledge of the factors that influence the arterial pressure. The epidemiologic study was conducted in the Health Department of the Federal University of Rio Grande do Norte with 102 workers that sought care in the medical clinic during the months of March to May 2009. Data were collected by means of a questionnaire and measurements of systolic and diastolic arterial pressure (SAP and DAP) that were classified in stages according to the Brazilian Society of Hypertension and the degree of risk for cardiovascular events according to the criteria of the Brazilian Society for Cardiology. Data were analyzed using descriptive statistics. The workers were, on average, 54 years of age; the majority (67%) was male and had primary or middle educational level; they worked mainly in supplemental units and deanship offices conducting different functions such as security guards, administrative assistants, health auxiliaries and constructions workers; 48 (47%) of the workers identified themselves as hypertensive for 8 years on average, with the majority executing hard labor and administrative functions. Among the workers with hypertension, the number of the pressure levels classified as pre-hypertensive, stage I and II were: (12% in the SAP and 20% in the DAP); (16% in the SAP and 9% in the DAP); and (15% in the SAP and 5% in the DAP), respectively. The workers that did not identify themselves as hypertensive presented classifications with greater frequencies were: normal (16% in the SAP and 30% in the DAP); and pre-hypertensive (21% in the SAP and 16% in the DAP). The risk factors identified in more than 50% of the workers were: tobacco smoking, alcohol consumption and indices of being overweight, although physical activities are also present. Of the 48 workers diagnosed as hypertensive, those that had 5 risk factors present and limitrophic pressure levels (12%), in stage I hypertension (16%) and stage II hypertension (15¨%) were categorized as being in high risk for vascular events. The number of workers that indicated they had knowledge of the factors that influence their hypertension was less than 39% for each factor. It is concluded that there is a high prevalence of systemic arterial hypertension in the university workers, even amongst those already under treatment. They constitute a population at risk considering their age group, their work functions, and their inadequate life habits. Health care of these hypertensive workers that seek attention in the Health Department is an important aspect of the internal workers health policy in the institution. Educational interventions are recommended for the improvement of quality of life and of work in these workers
metadata.dc.description.resumo: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença multifatorial que contribui para uma elevada morbimortalidade cardiovascular, em todo o país. Considerando que a HAS afeta indivíduos em idade produtiva, quando enfrentam fatores de risco no trabalho e nos hábitos de vida, torna-se essencial conhecer a ocorrência da hipertensão e os fatores que predispõem os trabalhadores dos diversos segmentos ocupacionais a essa doença. Objetivou-se, neste estudo, identificar a prevalência da HAS em servidores atendidos em um serviço de saúde de uma universidade pública, as variações de níveis pressóricos, os fatores de risco presentes e o conhecimento que esses servidores possuem sobre os fatores que influenciam a elevação da pressão arterial. A pesquisa epidemiológica foi realizada no Departamento de Atendimento ao Servidor (DAS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com 102 servidores atendidos na clinica médica no período de março a maio de 2009. Os dados foram coletados por meio de um questionário e pela aferição dos níveis pressóricos arteriais sistólicos e diastólicos (PAS e PAD). As aferições foram classificadas em estágios de hipertensão, segundo os parâmetros da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), e quanto ao risco cardiovascular que indicavam, com base nos critérios da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Os dados foram analisados utilizando técnicas de estatística descritiva. Os servidores tinham, em média, 54 anos de idade; a maioria era do sexo masculino (67%) e com escolaridade de nível fundamental ou médio (76%); trabalhavam principalmente nas unidades suplementares e nas pró-reitorias; exerciam diversas funções, com predominância de vigilância, assistência administrativa, como auxiliares nos setores de saúde e em obras estruturais. Identificou-se que 47% (48) dos servidores se autorreferiram como portadores de hipertensão por oito anos em média, a maioria exercendo funções braçais e administrativas. Entre os trabalhadores com hipertensão autorreferida, observaram-se percentuais de trabalhadores com níveis pressóricos nas classificações de pré-hipertenso (12% no PAS e 20% no PAD), em estágio I de hipertensão (16% no PAS e 9% no PAS) e no estágio II da doença (15% no PAS e 5% no PAD). As aferições dos não portadores foram classificada em: normal (16% no PAS e 30% no PAD) e pré-hipertenso (21% no PAS e 16% no PAD). Os fatores de risco identificados em mais de 50% dos sujeitos foram: tabagismo, etilismo e sobrepeso, embora houvesse indícios de alguns hábitos positivos para combater o sedentarismo. Dos 48 servidores com diagnostico de hipertensão que tiveram 5 cinco fatores de risco presentes e níveis pressóricos limítrofes (12%), em estágio I e II foram categorizados como de alto risco vascular, respectivamente, 16% e 15%. Nos servidores que indicaram ter conhecimento dos fatores que influenciam a elevação de sua pressão arterial, o percentual informado foi menor do que 39% para cada fator de risco citado. Conclui-se que havia uma alta prevalência de HAS entre os servidores atendidos no Departamento; que todos os servidores apresentavam comportamentos de risco; que os níveis pressóricos eram elevados, mesmo naqueles que se encontravam em tratamento, revelando baixa adesão à terapêutica. Trata-se de uma população em risco, quando se considera a faixa etária do grupo, as funções que exercem e os hábitos de vida inadequados que possuem. A atenção à saúde dos servidores com hipertensão na UFRN e que procuram o serviço do DAS se apresenta como uma ação essencial no cumprimento da política de saúde do trabalhador da instituição e do país. Sugere-se a realização de intervenções educativas que resultem em melhoria da qualidade de vida e trabalho desses servidores
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14697
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LuciaFF_DISSERT.pdf768,42 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.