Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14709
Título: Serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU) e a assistência às urgências psiquiátricas
Autor(es): Bonfada, Diego
Palavras-chave: Saúde mental;Emergências;Intervenção na crise;Psiquiatria;Mental Health;Emergencies;Crisis intervention;Psychiatry
Data do documento: 8-Nov-2010
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: BONFADA, Diego. Serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU) e a assistência às urgências psiquiátricas. 2010. 148 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.
Resumo: The objective of this work which is characterized as an applied research, with a qualitative exploratory approach and has case study character has been the analysis of the conceptions and dealings of health professionals of SAMU in Natal RN about the attendance of psychiatric urgencies. The information was collected between the months of March and April of 2010, by means of semi-structured interviews, performed with 24 health professionals integrating of SAMU-Natal as well as the usage of direct observation technique, performed in the institution's medical regulation room. Both the number of professionals involved in the interviews and the bringing about of the observations, were determined by saturation methods in qualitative research's information collecting. The interviews and observations were transcribed and submitted to contents analysis technique , more specifically, to thematic analysis, which made possible to reach the deepest levels, that go beyond what has simply been manifest in the speech of the interviewed, getting to the relations among the categories and social structures of the issue of the research. Keeping this in mind, three analysis categories have been built, namely: conceptions and concepts of psychiatric urgencies shared by health professionals in SAMU-Natal; attendances to psychiatric urgencies in SAMU-Natal; and the Brazilian Psychiatric Reformation under the view of the SAMU-Natal's health professionals. Reflection about the analyzed information revealed discussions pertaining to the stigma and prejudice on mental illness, and also, pointed out to some hindrances which impair the attendance to individuals in mental suffering in SAMU-Natal. The interviewed health professionals' conceptions on the individual in psychical crisis involve concepts of unpredictability, aggressiveness and risk, stigmatizing elements and historically associated to the social hazard ideology and need for mentally sicks' segregation. The predominance of these conceptions, seen in health professionals speech, had identifiable reflexes on assistance to psychiatric demands performed by SAMU-Natal, namely: indiscriminate request for military police's presence during psychic crisis intervention, neglect about occasions that involve mental health patients, as well as repetitive assisting practice directed on physical contention, and transportation to psychiatric hospital. Associated to it, the professionals have shown distorted and reductionist understanding about Brazilian Psychiatric Reformation, and, in the majority, haven't lent credibility to present model of attention to mental health, based on psycho-social treatment, pointing their speech to a need for psychiatric patient's internment. In this sense, we notice that the hospital-centered and excluding model conceived by classical psychiatry still remains alive in these health professionals' mentality as a reference to psychiatric urgency's assistance. Therefore, the research revealed a sequence of elements, that make us think about the challenges that health sector and society must face to realize Brazilian Psychiatric Reformation's principles and guidelines
metadata.dc.description.resumo: O objetivo desse trabalho, caracterizado como uma pesquisa aplicada, de abordagem qualitativa, exploratória e do tipo estudo de caso, foi analisar as concepções e práticas dos profissionais de saúde do SAMU de Natal-RN sobre o atendimento às urgências psiquiátricas. As informações foram coletadas entre os meses de março e abril de 2010, por meio de entrevistas semi-estruturadas realizadas com 24 profissionais de saúde lotados no SAMUNatal e da utilização da técnica da observação direta, feita na sala de regulação médica da instituição. Tanto o número de profissionais participantes nas entrevistas quanto o tempo de realização das observações foram determinados pelo método da saturação na coleta de informações em pesquisas qualitativas. As entrevistas e observações foram transcritas e submetidas à técnica da análise de conteúdo, mais especificamente, da análise temática, o que possibilitou o alcance de níveis mais profundos, que ultrapassaram o que foi simplesmente manifesto nas falas, atingindo a relação entre as categorias e estruturas sociais do problema de pesquisa. Diante disso, foram construídas três categorias de análise, a saber: concepções e conceitos de urgência psiquiátrica dos profissionais de saúde do SAMU Natal; a assistência às urgências psiquiátricas no SAMU-Natal; e a Reforma Psiquiátrica brasileira sob o olhar dos profissionais de saúde do SAMU de Natal-RN. A reflexão sobre as informações analisadas revelaram discussões a respeito do estigma e preconceito sobre a doença mental, bem como, apontaram para alguns entraves que prejudicam a assistência ao sujeito em sofrimento mental no SAMU-Natal. As concepções sobre o sujeito em crise psíquica dos profissionais de saúde entrevistados envolvem os conceitos de imprevisibilidade, agressividade e do risco, elementos estigmatizantes e historicamente associados à ideologia da periculosidade social e necessidade de segregação do doente mental. O predomínio dessas concepções, no discurso dos profissionais de saúde, tem reflexos identificáveis na assistência prestada pelo SAMU-Natal às demandas psiquiátricas, na qual se destacam: a solicitação indiscriminada da polícia militar durante as intervenções em crise psíquica, a negligência com as ocorrências que envolvem pacientes de saúde mental, bem como, a prática assistencial repetitiva e direcionada à contenção física, medicação e ao transporte para hospital psiquiátrico. Associado a isso, os profissionais demonstraram compreensões deturpadas e reducionistas da Reforma Psiquiátrica brasileira e, em sua maioria, não deram credibilidade ao atual modelo de atenção à saúde mental pautado no tratamento psicossocial, remetendo suas falas à necessidade de internamento dos pacientes psiquiátricos. Nesse sentido, percebemos que o modelo hospitalocêntrico e excludente concebido pela psiquiatria clássica ainda permanece vivo no ideário desses profissionais como referência para a assistência às urgências psiquiátricas. Portanto, a pesquisa revelou uma série de elementos que nos fazem pensar a respeito dos desafios que o setor saúde e a sociedade ainda precisam enfrentar para concretizar os princípios e diretrizes da Reforma Psiquiátrica brasileira
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14709
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DiegoB_DISSERT.pdf1,96 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.