Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14714
Título: Qualidade de vida de pessoas com úlcera venosa: associação dos aspectos sociodemográficos, de saúde, assistência e clínicos da lesão
Autor(es): Costa, Isabelle Katherinne Fernandes
Palavras-chave: Enfermagem;Qualidade de vida;Úlcera venosa;Atenção à saúde;Nursing;Quality of life;Varicose ulcer;Health care
Data do documento: 29-Mar-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: COSTA, Isabelle Katherinne Fernandes. Qualidade de vida de pessoas com úlcera venosa: associação dos aspectos sociodemográficos, de saúde, assistência e clínicos da lesão. 2011. 145 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: Venous ulcer (VU) is a lower limbs injury resulting from inadequate return of venous blood in feet or legs. Although it is not a deadly disease, it causes chronic wounds, which seriously undermine patients´ quality of life (QOL) and sometimes leads to drastic family, social, economic and psychological changes. In this sense, there are several aspects that may influence the venous ulcers patients´ QOL. The study´s objective aimed on the association of socio-demographic and health, health care and clinical injury on UV patients‟ QOL. Analytical studies, which consider the complexity of factors involved in changes in UV patients‟ QOL has a cross-sectional and quantitative approach. The HUOL Ethics Committee approved this project (n.279/09). The collection of data lasted a period of 3 months in 2010 and it took place at the clinic of Angiology at Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL). The data sample consisted of 60 patients treated by UV angiologists in the HUOL Surgical Clinic. The results were analyzed with SPSS 15.0 by descriptive and inferential statistics. The study was based on UV patients that were predominantly female, average age of 61.4 years, that had low education level and low family income, with occupations requiring long periods of standing or sitting, but mostly retired, unemployed or laid off due to the disease and/or due to chronic diseases associated with the UV. The study took also into consideration patients that used inappropriate products, that were improperly treated by a professional caregiver, that lacked of adequate guidance and compression therapy, that performed no lifting of the lower limbs and regular exercise, that the time of injury were greater than or equal to six months, that were missing specific laboratory tests. The study‟s reference were on recurrent lesions, medium to large lesions area, bed of the lesion (injuries) with fibrin and/or necrosis, with amount of exudate with medium to large, odorless and no signs of infection, with tissue loss between 1st and 2nd degree, without collecting swab or biopsy and with pain. In general, QOL of researched individuals were considered low, the maximum score was 69 points, which the areas that were mostly influenced were the total scores of QOL functional capacity (0.021), emotional (0.000) and social functioning (0.080). Of the 60 individuals, 53.3% had scores between 40 and 69 points in SF-36, and they had the best scores in sociodemographic and health variables (ρ = 0.049). In respect to the assistance and injury characteristics, patients who scored between 40 and 69 points in SF-36 had better scores on these characteristics. By combining the socio-demographic variables, health, and handling characteristics of the injury, we observed a significant difference (ρ = 0.032) when linking them with the QOL total scores. When analyzing separately the domains of the SF-36 scores on the quality of life, we find that the areas that showed statistical significance were functional ability (ρ = 0.035), appearance (ρ = 0.019), emotional (ρ = 0.000), and mental health (ρ = 0.050). Among the socio-demographic characteristics studied, gender and marital status contributed more to the reduction of QOL and among the variables of assistance and the injury, orientation, reference and area of UV contributed the most. By analyzing these five variables all together in accordance with the overall score obtained in the quality of life, we found a significant correlation (ρ = 0.002); with 6.23 times more chances of patients have better QOL in the presence of these five positive factors. By conducting the Mann Whitney U test between all the five demographic variables, health, and clinical care, we found that this combination also proved to be significant (ρ = 0.006). Therefore, patients with these five variables positive tend to have a better QOL. Based on these results, we reject the null hypothesis (H0) and accept the alternative hypothesis (H1) proposed in this study because we noted that the QOL of patients with UV is associated with sociodemographic and health, health care and clinical aspects of the injury
metadata.dc.description.resumo: A Úlcera Venosa (UV) é uma lesão dos membros inferiores resultante do inadequado retorno de sangue venoso nos pés ou pernas. Embora não fatais, tais feridas crônicas comprometem seriamente a qualidade de vida (QV) dos doentes trazendo mudanças por vezes drásticas no âmbito familiar, social, econômico e psicológico. Nesse sentido, são diversos os aspectos que podem estar associados à QV da pessoa com UV. O estudo teve o objetivo de analisar a associação dos aspectos sociodemográficos e de saúde, de assistência à saúde e clínicos da lesão na QV dos portadores de UV. Estudo analítico, com delineamento transversal e abordagem quantitativa. O projeto obteve parecer favorável do Comitê de Ética do HUOL (n.279/09). A coleta de dados realizou-se no ambulatório de angiologia do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), num período de três meses em 2010. A amostra foi de 60 pessoas com UV atendidos por angiologistas no ambulatório de Clínica Cirúrgica do HUOL. Os resultados foram processados no programa SPSS 15.0 por estatística descritiva e inferencial. Identificamos usuários com UV predominantemente do sexo feminino, idade média de 61,4 anos, baixo nível de escolaridade e de renda familiar, com profissões que exigiam longos períodos em pé ou sentados, aposentados, desempregados ou afastados do trabalho devido à doença e com doenças crônicas associadas, em uso de produtos inadequados, curativos realizados por profissional ou cuidador sem treinamento, ausência de terapia compressiva e orientações adequadas, sem realizar elevação de membros inferiores e exercícios regulares, com tempo de lesão maior ou igual a seis meses, falta de exames laboratoriais específicos, sem registro no prontuário, com lesões recidivantes, área de média a grande, leito da lesão com fibrina e/ou necrose, exsudato com quantidade de média a grande, sem odor e sinais de infecção, perda tecidual entre grau I e II, sem coleta de swab ou biopsia e com presença de dor. Em geral, a QV dos pesquisados foi considerada baixa, com pontuação máxima de 69 pontos. Sendo os domínios que mais influenciaram nos escores totais da QV a capacidade funcional (0,021), aspecto emocional (0,000) e aspecto social (0,080). Dos 60 pesquisados, 53,3% tiveram pontuação entre 40 a 69 pontos no SF-36, e apresentaram os escores melhores nas variáveis sociodemográficas e de saúde (ρ=0,049). Quanto às características da assistência e da lesão, os pacientes que tiveram pontuação entre 40 a 69 pontos no SF-36 apresentaram escores melhores em tais características. Ao associar as variáveis sociodemográficas, de saúde, características da assistência e da lesão, verificamos que houve uma diferença significante (ρ=0,032) ao relacioná-las com o escore total da QV. Analisando separadamente os domínios do SF-36 com os escores obtidos na QV, verificamos que os domínios que apresentaram significância estatística foram a capacidade funcional (ρ= 0,035), aspecto físico (ρ= 0,019), aspecto emocional (ρ= 0,000) e saúde mental (ρ= 0,050). Dentre as características sociodemográficas estudadas, o sexo e estado civil contribuíram mais para a redução da QV; e entre as variáveis da assistência e da lesão destacam-se as variáveis: orientações, referência e área da UV. Ao analisarmos o conjunto dessas cinco variáveis de acordo com o escore geral obtido na QV, verificamos correlação significativa (ρ= 0,002), sendo 6,23 vezes maior a chance de os pacientes apresentarem melhor QV na presença desses cinco fatores positivos. Ao realizarmos o Teste de Mann Whitney U entre o conjunto das cinco variáveis sociodemográficas, de saúde, clínica e assistencial, verificamos que tal conjunto também demonstrou ser significativo (ρ=0,006). Portanto, os pacientes que apresentam essas cinco variáveis positivas tendem a ter melhor QV. Diante dos resultados obtidos, rejeitamos a hipótese nula (H0) e aceitamos a hipótese alternativa (H1) proposta no estudo, pois evidenciamos que a QV dos portadores de UV está associada aos aspectos sociodemográficos e de saúde, de assistência à saúde e dos aspectos clínicos da lesão
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14714
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IsabelleKFC_DISSERT.pdf1,89 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.