Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14733
Título: À beira do leito : sentimentos de pacientes durante a passagem de plantão em Unidade de Terapia Intensiva
Autor(es): Pereira, Mabel Maria Marques
Palavras-chave: Humanização;Enfermagem;Unidade de Terapia Intensiva.;Humanization;Nursing;Intensive Care Unit.
Data do documento: 30-Nov-2011
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: PEREIRA, Mabel Maria Marques. À beira do leito : sentimentos de pacientes durante a passagem de plantão em Unidade de Terapia Intensiva. 2011. 94 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
Resumo: This study aims to understand the feelings of patients admitted to the Intensive Care Unit (ICU) that experienced a change of shift at the bedside. The change of shift is one of the routines used by nursing in their work process and of great significance for the patient; therefore, deserves careful analysis in seeking to perfect themselves for the improvement of nursing care. It is a descriptive research, with a qualitative approach. The collection of information was performed using semi-structured interview, in August and September of 2011, after authorization from the Ethics Committee of the Federal University of Rio Grande do Norte, as opinion 290/2011. The analysis, based on interviews of patients, took the humanization as the thread of investigation backed by authors who deal on the subject and the theory of the gift of Marcel Mauss that sits on drug give-receive-return. The results indicate that the change of shift at the bedside but has not configured, the content of the speech of patients interviewed, as a moment that has generated fear and anxiety, could be deduced by the expression of silence, tears and other signs during interviews, how hard it is to live this experience. Nevertheless, despite this apparent tranquility, revealed uncertainty and apprehension face the speech of professional, during the visit at the bedside, particularly when referring to their health and their neighbors. On the other hand, the indifference to the participation of the patient at the time of the visit, expressing an attitude of merely technical nature, dehumanizes the act of taking care, the essence of nursing. And, for all the patients that we understand, about the visit to the bedside, as well as the ICU, we can infer that there is suffering for them. However, we understand your feelings and revelations seeking support in the theory of Mauss's gift: the patient receives the gift (care), and imbued with a feeling of gratitude, the rewards in the form of compliments and courtesies. Precisely for this reason, we need to sharpen our sensitivity to deal about the human condition in all its vulnerability.
metadata.dc.description.resumo: O presente estudo tem como objetivo compreender os sentimentos de pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que vivenciam uma passagem de plantão à beira do leito. A passagem de plantão constitui uma das rotinas utilizadas pela enfermagem no seu processo de trabalho e de grande significação para o paciente; por isso mesmo, merece uma análise cuidadosa na busca de seu aperfeiçoamento para o aprimoramento da assistência de enfermagem. Trata-se de um estudo descritivo exploratório, de natureza qualitativa. A coleta de informações foi realizada através de entrevista semiestruturada, nos meses de agosto e setembro de 2011, após autorização do Comitê de Ética, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, conforme Parecer 290/2011. A análise, pautada nos depoimentos dos pacientes, tomou a humanização como o fio condutor da investigação, apoiada em autores que tratam sobre o tema e na teoria da dádiva de Marcel Mauss que se assenta na tríade: dar-receber-retribuir. Os resultados apontam que a passagem de plantão à beira do leito embora não tenha se configurado, pelo teor das falas dos pacientes entrevistados, como um momento que tenha gerado medo e ansiedade, pôde-se depreender pelas expressões de silêncio, lágrimas e outras sinalizações, durante as entrevistas, o quão difícil é vivenciar essa experiência. Mesmo assim, apesar dessa aparente tranquilidade, revelaram incerteza e apreensão diante das falas dos profissionais, por ocasião da visita à beira do leito, particularmente, quando se referiam ao seu estado de saúde e de seus vizinhos. Por outro lado, a indiferença em relação à participação do paciente, no momento da visita, expressando uma atitude de cunho meramente técnico, desumaniza a ação do cuidar, essência da enfermagem. E, por tudo que apreendemos dos pacientes, acerca da visita à beira do leito, bem como da própria UTI, podemos inferir que há sofrimento para eles. No entanto, vamos compreender suas revelações e sentimentos buscando apoio na teoria da dádiva de Mauss: o paciente recebe o presente (cuidado) e, imbuído de um sentimento de gratidão, o retribui em forma de elogios e gentilezas. Justamente por isso, precisamos aguçar nossa sensibilidade para lidar com a condição humana, em toda a sua vulnerabilidade.
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/14733
Aparece nas coleções:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MabelMMP_DISSERT.pdf743,88 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.