Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14759
Title: Atenção à saúde mental na Estratégia Saúde da Família no Município de Parnamirim/RN: opinião dos profissionais, dos portadores de transtornos mentais e seus acompanhantes
Other Titles: Mental health care in the Family Health Strategy in the city of Parnamirim/RN: the opinion of professionals, people with mental disorders and their caregivers
Authors: Dutra, Samia Valeria Ozorio
Keywords: Saúde mental;Saúde da família;Atenção primária à saúde;Assistência à saúde;Mental health;Family health;Primary health care;Delivery of health care
Issue Date: 27-Feb-2012
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: DUTRA, Samia Valeria Ozorio. Mental health care in the Family Health Strategy in the city of Parnamirim/RN: the opinion of professionals, people with mental disorders and their caregivers. 2012. 162 f. Dissertação (Mestrado em Assistência à Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.
Portuguese Abstract: O presente estudo objetiva analisar e comparar os pontos de vista de profissionais, dirigentes e usuários sobre a atenção à saúde mental na Estratégia de Saúde da Família (ESF). Nessa perspectiva, caracteriza-se como uma pesquisa operacional, ou Investigação em Sistemas de Saúde (ISS), com desenho transversal de caráter descritivo quantitativo, desenvolvida a partir da aplicação de Escala de Medida de Opinião - EMO no Município de Parnamirim/RN, aliada às técnicas de observação e entrevista estruturada. A amostra compõe-se de 409 sujeitos, sendo 209 profissionais integrantes das equipes da Estratégia de Saúde da Família, 30 da Estratégia de Saúde Bucal, 19 dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família, 24 diretores das Unidades Básicas de Saúde, acrescidos de 68 usuários portadores de transtorno mental e 59 acompanhantes, respeitando os parâmetros éticos da Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, CAAE nº 0003.0.051.000-11. Os dados quantitativos foram submetidos ao Epi-info 3.5.2 para análise. A rede de saúde mental de Parnamirim envolve o fluxo entre ESF, CAPS, centro clínico e instituições hospitalares, possuindo como principais entraves a fragilidade do sistema de referência e contrarreferência, das conferências municipais de saúde, das equipes da ESF pelas limitações em recursos materiais e humanos, assim como uma população que desconhece a organização do sistema, aspectos que prejudicam a integralidade na atenção. Apesar de reconhecerem a importância de sua atuação, os profissionais da ESF questionam o próprio papel na assistência em saúde mental, sentindo dificuldade de acesso aos serviços psiquiátricos (76,5%). Apesar da maioria concordar que o doente mental é mais bem tratado na família do que no hospital (65,2%), os agentes comunitários de saúde foram a categoria predominante na discordância parcial ou total dessa afirmativa (40,8%), justamente o profissional em maior contato com a família. Os acompanhantes, por sua vez, sentem falta do apoio da ESF, pelo atendimento focar nas receitas controladas. As opiniões de profissionais, portadores de transtorno e acompanhantes confluíram em várias afirmativas, demonstrando as principais fragilidades a serem abordadas pela rede de saúde mental do município, como as percepções de que: (a) há necessidade de força física para cuidar do portador de transtorno por sua tendência à agressividade, precisando permanecer no hospício por representar perigo à sociedade; (b) apenas o psiquiatra pode ajudar a pessoa com problemas emocionais; (c) não há necessariamente desenvolvimento da doença mental pelo usuário de álcool e drogas; (d) entraves no acesso e questionamentos da qualidade dos serviços psiquiátricos; (e) não consideram que o cuidado ao doente mental traga sofrimento ao profissional. Logo, o empenho na formação de consensos, a monitoração e avaliação da rede são importantes mecanismos para uma gestão eficaz do sistema, refletindo na importância do fortalecimento das conferências de saúde e aproximação das diferentes instituições. Os resultados reforçam a importância do fortalecimento da atenção primária através de programas de educação permanente com enfoque nas ações e funções dos profissionais em acordo com suas competências e atribuições, contribuindo para a organização e resposta do cuidado em saúde mental, consequentemente favorecendo o cuidado ao usuário e a promoção da saúde familiar
Abstract: This study aims to analyze and compare the opinion of professionals, managers and users about the mental health care in the Family Health Strategy (FHS). It is characterized as an Operations Research or Health System Research with a cross-sectional design and a descriptive quantitative nature. The study was developed from the application of the Opinion Measurement Scale allied to techniques of observation and structured interview in the city of Parnamirim / RN. The sample consists of 409 subjects, 209 professionals of the Family Health Strategy, 30 of the Oral Health Strategy, 19 of the Family Health Support Center, 24 directors of Basic Health Units, plus 68 users with mental disorders and 59 caregivers, respecting the ethical parameters of Resolution 196/96 of the National Health Council, trial registration number: CAAE 0003.0.051.000-11. Quantitative data were submitted to the Epi-info 3.5.2 for analysis. The network of mental health in Parnamirim involves the flow between the FHS, Psychosocial Care Centers, clinics and hospitals, having as main barriers the fragility of the referral and counter-referral system, of the municipal health conferences, of the FHS teams by the limitations in material and human resources as well as the population´s lack of acknowledge about the organization of the mental health network, issues that affect the integral attention. Even though the FHS professionals recognize the importance of their actions, they question their role in mental health care, experiencing difficulties in accessing psychiatric services (76.5%). Although most agree that the mentally ill is best treated in the family than in hospital (65.2%), the community health workers were the predominant category in the partial or total disagreement of this statement (40.8%), who is the professional in greater contact with the family. Nevertheless the caregivers miss the support of the FHS as the main focus of attention is on revenue control. The views of professionals, mental patients and caregivers converged in several statements, showing the main weaknesses to be focused by the mental health network of the city, as the perceptions that: (a) physical strength is needed to take care of mental patients for its tendency to aggression, requiring it to stay in the sanatorium for representing danger to society, (b) only a psychiatrist can help the person with emotional problems, (c) the user of alcohol and drugs does not necessarily develop mental illness, (d) the access barriers and doubts about the quality of psychiatric services, (e) caring of a mental health patient does not bring suffering to professionals. Therefore, the commitment to consensus building, monitoring and evaluation of the network are important mechanisms for an effective management system, reflecting in the importance of strengthening the health conferences and approximating different institutions. The results reinforce the importance of strengthening primary care through programs of continuing education focusing on the actions and functions of professionals in accordance with its competences and duties what contribute to the organization and response of mental health care, favoring user´s care and the promotion of family health
URI: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14759
Appears in Collections:PPGE - Mestrado em Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SamiaVOD_DISSERT.pdf3.33 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.