Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/15704
Título: Utilização do éster de soja como biolubrificante
Autor(es): Rodrigues, Luanda Kívia de Oliveira
Palavras-chave: Éster de soja. Biolubrificante. Fluido de corte. Transesterificação. Usinagem
Data do documento: 24-Jul-2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: RODRIGUES, Luanda Kívia de Oliveira. Utilização do éster de soja como biolubrificante. 2013. 111 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Materiais; Projetos Mecânicos; Termociências) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Resumo: The lubricants found in the market are of mineral or synthetic origin and harm to humans and the environment, mainly due to their improper discard. Therefore industries are seeking to develop products that cause less environmental impact, so to decrease mainly, operator aggression the Cutting Fluids became an emulsion of oil / water or water / oil. However, the emulsion was not considered the most suitable solution for environmental question, therefore the search for biodegradable lubricants and which no are toxic continues and so vegetable oils are seen, again, as a basis for the production of lubricants. The biggest problem with these oils is their oxidative instability that is intensified when working at high temperatures. The process transesterification decreases the oxidation, however changes some physical and chemical properties. Therefore soybean oil after the transesterification process was subjected to tests of density, dynamic viscosity, kinematic viscosity which is calculated from two parameters mentioned, flash point and acidity. Besides the physico-chemical test the soybean oil was subjected to a dynamic test in a tribometer adapted from a table vise, whose induced wear was the adhesive and ultimately was used as cutting fluid in a process of turning in two different materials, steel 1045 and cast iron. This latter test presented results below the mineral cutting fluid which it was compared in all tests, already in other experiments the result was satisfactory and other experiments not, so that chemical additives can be added to the oil analyzed to try equate all parameters and so formulate a biolubrificante not toxic to apply in machining processes of metalworking industry
metadata.dc.description.resumo: Os lubrificantes encontrados no mercado são de origem mineral ou sintético e agridem ao homem e ao meio ambiente, principalmente, devido ao seu descarte inadequado, por isso as indústrias estão buscando desenvolver produtos que causem um menor impacto ambiental. Para diminuir a agressão ao operador, principalmente, os Fluidos de Corte passaram a formar uma emulsão óleo/água ou água/óleo. No entanto a emulsão não foi tida como a solução mais adequada para a questão ambiental, portanto a busca por lubrificantes biodegradáveis e que não sejam tóxicos continua e assim os óleos vegetais estão sendo vistos, novamente, como base para a produção de lubrificantes. O maior problema desses óleos é sua instabilidade oxidativa que é intensificada ao trabalhar em altas temperaturas. O processo de transesterificação diminui a oxidação, no entanto altera algumas propriedades físico-químicas. Portanto o Óleo de Soja após o processo de transesterificação foi submetido aos ensaios de densidade, viscosidade dinâmica (cuja viscosidade cinemática foi calculada a partir dos dois parâmetros citados); ponto de fulgor e acidez. Além dos ensaios físico-químicos, o éster de soja foi submetido a um ensaio dinâmico em um tribômetro adaptado de um torno de bancada cujo desgaste induzido foi o adesivo e por último foi usado como fluido de corte em um processo de torneamento em dois materiais distintos, Aço1045 e Ferro Fundido. Esse último ensaio apresentou resultados inferiores ao fluido de corte mineral o qual foi comparado em todos os ensaios, já nos outros ensaios alguns o resultado era satisfatório em outros não de modo que aditivos químicos podem ser adicionados ao óleo analisado para tentar equacionar todos os parâmetros e assim formular um biolubrificante não tóxico para aplicar nos processos de usinagem da indústria metal-mecânica
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/15704
Aparece nas coleções:PPGEM - Mestrado em Engenharia Mecânica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LuandaKOR_DISSERT.pdf4,2 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.