Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/15761
Título: Propriedades cerâmicas e imobilização do manganês em cerâmica estrutural
Título(s) alternativo(s): Ceramics properties and immobilization Manganese in Structural Ceramic
Autor(es): Câmara, Ana Paula Costa
Palavras-chave: Argila;Cerâmica;Manganês;Clay;Ceramic;Manganese
Data do documento: 19-Fev-2009
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: CÂMARA, Ana Paula Costa. Ceramics properties and immobilization Manganese in Structural Ceramic. 2009. 89 f. Dissertação (Mestrado em Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias Regionais) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.
Resumo: In this work is the addition of a metallic ion, of the metal Manganese, in a clay of Rio Grande do Norte state for structural ceramics use, the objective this study was to assess the evolution of ceramic properties. The clay was characterized by Chemical and Thermal analysis and Xray difraction. The metallic ion was added in the clay as aqueous solutions at concentrations of 100, 150 and 200 mg / L. The molded by extrusion and the burned were temperatures at 850, 950, 1050 and 1150 º C. Was made Chemical Analysis and investigated the following parameters environmental and ceramic: Solubility, Colour, Linear Retraction (%), Water Absorption (%), Gresification Curves, Apparent Porosity (%), Apparent Specific Mass (g/cm3) and Flexion Rupture Module (kgf/cm2). The results showed that increasing the concentration of metallic ion, properties such as Apparent Porosity (%), Water Absorption (%) decreases and the Flexion Rupture Module (kgf/cm2) increases with increasing temperature independent of the concentration of the ion. The gresification curves showed that the optimum firing temperatures were in the range between 950 and 1050 ° C. The evaluation of the properties showed that the ceramic material can be studied its use in solid brick and ceramic materials with structural function of filling. The results of solubility showed that the addition of ion offers no risk to the environment
metadata.dc.description.resumo: Neste trabalho estudou-se a adição de um íon metálico, Manganês bivalente, em uma argila do Rio Grande do Norte para uso em cerâmica estrutural, tendo como objetivo avaliar a evolução das propriedades cerâmicas e ambientais. A argila foi caracterizada por Análise Química (FRX) e Difratograma de Raios X (DRX). O íon metálico foi adicionado à argila na forma de soluções aquosas nas concentrações de 100, 150 e 200 mg/L. A moldagem foi por extrusão e a queima foi realizada nas temperaturas de 850, 950, 1050 e 1150 ºC respectivamente. Fez-se a Análise Química de corpos queimados, e os ensaios ambientais de Solubilidade e cerâmicos de Cor, Retração Linear (%), Absorção de Água (%), Curvas de Gresificação, Porosidade Aparente (%), Massa Específica Aparente (g/cm3) e Tensão de Ruptura à Flexão (Kgf/cm2) para os corpos queimados. Os resultados mostraram que aumentando a concentração do íon metálico, propriedades como Porosidade Aparente (%), Absorção de Água (%) diminuem e a Tensão de Ruptura à Flexão (Kgf/cm2) cresce com o aumento da temperatura independente da concentração do íon. As curvas de gresificação mostraram que as temperaturas ótimas de queima ficaram no intervalo compreendido entre 950 e 1050 °C. A avaliação das propriedades cerâmicas demonstrou que o material estudado é possível seu uso em tijolo maciço cerâmico e materiais com função de preenchimento estrutural. Os resultados de solubilidade revelaram que a adição do íon não oferece risco ao meio ambiente
URI: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/15761
Aparece nas coleções:PPGEQ - Mestrado em Engenharia Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AnaPCC_DISSERT.pdf734,67 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia
AnaPCC_DISSERT_PARCIAL.pdf117,52 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.